22 novembro 2017

Prof. retruca parlamentar: Deputado, o senhor sabe o que é uma universidade e o que ela faz?


Por José Ronaldo – UERN

Alguns deputados estaduais do RN, felizmente uma minoria, não fazem a menor ideia do que é uma universidade, o que ela faz ou o que representa para um estado. Para se convencer dessa triste realidade, basta ouvir o que falam sobre a UERN. Vejamos alguns relatos e prestemos alguns esclarecimentos.
O governo estadual deve financiar a UERN.

Um deputado disse em entrevista que o governo do RN não deveria financiar a UERN porque não é obrigado a fazê-lo. Na verdade o governo tem essa obrigação. Ele assumiu essa responsabilidade quando a UERN foi estadualizada há 30 anos e isso é um fato concreto. E nesse particular, ele é só mais um porque não tendo nada de excepcional nisso.

Somente o estado do Paraná tem sete universidades estaduais e região Nordeste tem 15 universidades estaduais. Dessas, quatro estão na Bahia e três estão no Ceará. Os estados de Alagoas e do Maranhão tem, cada um, duas universidade estaduais. Existem inclusive vários municípios que financiam universidades, como por exemplos, Rio Verde, cidade do interior de Goiás (UNIRV) e Linhares, cidade do interior do Espírito Santo (FACELI).
Qual é o investimento do estado na UERN?

O mesmo deputado aparece em um vídeo nas redes sociais dizendo que a UERN custa R$ 33 milhões/mês ao contribuinte, ou seja, quase R$ 400 milhões/ano. Como não acreditamos que o deputado se arriscaria deliberadamente à vergonha pública, vamos trabalhar com a hipótese de que sua assessoria seja medíocre, ou no mínimo muito preguiçosa.

No ano passado o estado investiu pouco mais de R$ 263 milhões na UERN. E isso é muito para manter uma universidade? Vamos fazer uma comparação entre a UERN e universidade estadual da Paraíba, não apenas porque está na moda comparar os dois estados, mas também porque até pouco tempo eram economicamente bem parecidos. Pois bem, o governo da Paraíba investiu R$ 307,5 milhões na sua universidade estadual, a UEPB, ou seja, R$ 44,5 milhões a mais.

Esses dados estão disponíveis ao público no portal da transparência de ambas as universidades. Um assessor menos preguiçoso teria encontrado facilmente esses números.
Quanto é o salário do professor da UERN?

O mesmo deputado novamente expõe sua assessoria quando diz em outra entrevista que o salário de um professor da UERN é 15, 18, 20 mil reais e nas federais é R$ 6, 8, 10 ou 12 mil. Pela quantidade de valores, vê-se quanta certeza ele tem sobre o que fala.

O salário médio de um professor da UERN é cerca de R$ 9 mil, perfeitamente compatível com o salário médio pagos pelas universidade federais sendo que estes, inclusive, são levemente superior. Em 2016, o governo do RN pagou R$ 241 milhões de reais em salários na UERN. O governo da Paraíba pagou R$ 260 milhões na folha de pagamento da UEPB e atenção, a folha da UERN também paga seus aposentados, a da UEPB, não. Uma dica elementar para a assessoria do deputado é olhar os recentes editais de concurso na UERN e nas federais.
Na UERN tem estudantes de outros estados.

Outro deputado se queixou de que na UERN há vários estudantes de outros estados. Ele não sabia dizer quantos, mas pareceu achar isso um absurdo.

Atualmente, cerca de 15% dos estudantes da UERN são de outros estados. Ora, os potiguares também estudam em universidades da Paraíba, Ceará, Pernambuco, além de outros. Em se tratando de universidades, isso é um fato natural, até porque os cursos oferecidos variam muito de uma instituição para outra. O RN não é uma ilha e como qualquer outro estado da federação, ele importa e exporta estudantes universitários o tempo todo.

Há inclusive universidades em cidades de fronteira, como a Unipampa, no Rio Grande do Sul, que recebe centenas de estrangeiros (uruguaios) todo ano.

O fato de a UERN ser procurada por estudantes de outros estados atesta que seus cursos têm qualidade. De fato, em 2015, ano em que a UERN adotou o ENEM-SISU, mais 61 mil inscritos disputaram uma vaga nos seus cursos.
O que a UERN faz.

O deputado também afirmou que não “sabia direito o que a universidade faz”.


Primeiro é necessário dizer que além do campus de Natal (Zona Norte), a UERN desenvolve suas atividades nos campi de Mossoró, Pau dos Ferros, Patu, Caicó e Assu. Tem núcleos avançados em São Miguel, Alexandria, Umarizal, Caraúbas, Apodi, Areia Branca, Macau, João Câmara, Touros, Santa Cruz e Nova Cruz. E o que ela faz nesses locais?

– Ela forma pessoas.

A UERN faz o seu papel enquanto universidade e faz bem feito. Ela tem sob sua responsabilidade a formação de mais de 11.485 estudantes de graduação e 1.167 estudantes de pós-graduação. Para isso, abre anualmente mais de 2.000 mil vagas aos potiguares nos seus 69 cursos de graduação presenciais, três cursos de graduação a distância, 20 cursos de mestrados acadêmicos e 2 cursos de doutorado. Esses cursos estão em sua quase totalidade no interior do estado potiguar e cerca de 70% da sua clientela provém de famílias de baixa renda.

A UERN formou quase 100% dos professores da Rede Básica de Ensino que atuam na região oeste do estado. Além disso, forma enfermeiros, economistas, cientista da computação, advogados, médicos e diversos outros profissionais que passam a atuar nas cidades em que se formam ou no seu entorno. Ela já formou mais de 40 mil profissionais no interior do estado e isso representa não apenas melhoria dos serviços das cidades do RN, mas também e principalmente a inclusão social dessas pessoas.

– Ela atua nas comunidades.


A UERN atua diretamente junto às comunidades executando mais de 170 projetos de extensão. Esses projetos capacitam e promovem a melhorias na produção, serviços e na vida das pessoas, no campo e nas cidades. Além da prática jurídica, que presta assessoria a dezenas de cidadãos diariamente, a universidade mantém clínicas e ambulatórios odontológicos, que atendem centenas de pessoas de baixa renda. O projetos de extensão nas escolas incentivam a leitura e promovem a cultura. Além disso, são oferecidos diversos cursos para a população, somente na Zona Norte de Natal, são mais de mil pessoas participando de atividades realizadas no seu Complexo Cultural.

– Ela capacita e faz pesquisas científicas.

A UERN promove pesquisas voltadas para a solução dos problemas do estado. Só em 2016 seus programas de pós-graduação matricularam mais de 600 estudantes de mestrado e doutorado. Nesse mesmo ano, seus pesquisadores publicaram 342 artigos científicos, 362 capítulos de livros e registraram 23 patentes como resultados de suas pesquisas. Esses pesquisadores analisaram e apresentaram soluções para os mais variados problemas. Um outro dado relevante desses programas, é que em 2016, seus estudantes receberam do governo federal cerca de R$ 3,4 milhões de reais em bolsas, recursos esses injetando das cidades do interior do estado.
O estado do RN precisa fortalecer a UERN

Por fim, alguns deputados precisam entender que o debate sobre uma universidade não se limita a uma simples questão contábil. Ao andar pelo interior do estado, em particular na região oeste potiguar, os deputados podem perguntar às pessoas onde elas se formaram. Ao encontra uma das mais de 40 mil pessoas formadas pela UERN, pergunte o que elas pensam da universidade que a formou.

Perguntem o que a UERN representou na vida delas e de suas famílias. Perguntem ao médico nascido e radicado na cidade do interior o que lhe possibilitou o diploma. Perguntem ao professor onde ele teve a sua licenciatura. Pergunte ao comunicador social que fala nas rádios, na TV ou escreve nos jornais como surgiu sua oportunidade para se capacitar.

Perguntem aos prefeitos e empresários das cidades onde se formou a mão de obra especializada que consultam e contratam. Ou simplesmente perguntem a um colega, deputado na Assembleia Legislativa do RN, sim porque lá também tem estudante da UERN, o que pensa da universidade.

Enfim, pergunte, informe-se e, se a sua motivação for de fato um futuro melhor para o nosso estado, irá sem dúvida reconhecer que no estado precisa fortalecer a UERN.

(Foto: Reprodução)

Da Assessoria de Comunicação da ADUERN

Secretário da Educação de Olho D'água do Borges visita Escolas da Zona Rural

Ontem (21) o Secretário da Educação deste município,  Prof. Escolástico Paulino e o Diretor Gean Rodrigues visitaram as Escolas Rurais das Comunidades Caiçara e Cajazeiras.

Foram observar in loco o funcionamento das Instituições de Ensino.

O Secretário conversou com alunos e professores e concluiu que as duas Escolas estão funcionando dentro dos padrões determinados pela LDB.

Ação conta com o apoio integral da Prefeita Maria Helena Leite que não mede esforços para a melhoria da educação deste município.

O gestor da Educação de Olho D'água do Borges aproveita para parabenizar as professoras Rozalba Delfino e Iza Oliveira, responsáveis pelas Escolas Caiçara e Cajazeiras, respectivamente.















Blogueiro e amigos em mais um 'City tour' no Rio de Janeiro





EM COPACABANA
NA PRAIA DE BÚZIOS
Na Praia de Búzios
NO MARACANÃ
NO MARACANÃ

NO MARACANÃ

NA FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO. FEIRA É MUITO ARROJADA
NA FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO
NA PRAIA DE COPACABANA






“Chega de transferir responsabilidades aos Municípios", afirma Presidente da CNM


Os gestores municipais que vieram à Mobilização Nacional Municipalista em Brasília, como parte da campanha Não Deixem os Municípios Afundarem, foram recebidos em Sessão Solene no Congresso Nacional, realizada no Plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados, na manhã desta terça-feira, 21 de novembro. Lideranças municipalistas, presidentes de entidades estaduais e prefeitos tiveram a oportunidade de falar sobre a pauta do movimento e a situação de crise financeira dos Municípios do alto da tribuna da Casa legislativa.

Aberta pelo deputado Caetano (PT-BA), o parlamentar deu início a sessão com a leitura da carta aos prefeitos escrita pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que afirmou que "a crise de arrecadação força a pressão por mudanças". Em seguida, a palavra foi concedida ao presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, que capitaneia a mobilização. A liderança municipalista nacional iniciou seu discurso saudando todos os parlamentares presentes no Plenário para, em seguida, abordar a pauta da campanha.

As matérias fundamentalmente abrangem formas de corrigir falhas em relação à distribuição de responsabilidades e direitos atribuídos aos Entes, que acaba por sufocar as finanças municipais. "A dívida de precatórios dos Municípios brasileiros remonta mais de R$ 40 bilhões, os Municípios não estão conseguindo pagar e tem suas arrecadações sequestradas", disse ele.


"A questão mais séria de todas é a atualização dos programas federais. Têm 390 programas criados no Brasil, esse é o problema. É neles que estão a situação caótica das Prefeituras. Na época que foi criado, há 15 anos, não pagavam nem 30% e esse valor nunca foi atualizado. O que está quebrando os Municípios são estes programas, isso é gravíssimo, temos que atualizar esses valores", prosseguiu ele.

Ziulkoski concluiu: "chega de transferir responsabilidades sem recursos para pagar". Ele também abordou a questão da derrubada do veto ao Encontro de Contas, da prorrogação do prazo dos Resíduos Sólidos, do mais 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) acrescido em setembro, e do Piso do Magistério atualizado pela inflação. "Estamos aqui altivamente dizendo que nós estamos lá na ponta, essa crise não foi gerada pelos Municípios, foi gerada aqui em Brasília".

Entidades municipalistas

Com adendos dos parlamentares durante os discursos, a palavra foi passada para os discursos das demais lideranças municipalistas. Da Associação Brasileira de Municípios (ABM), Gilmar Dominici, disse que a entidade está de acordo com a pauta prioritária elaborada pela CNM e frisou na questão da judicialização das administrações municipais. "Precisamos enfrentar essa situação, discutir a questão dos crimes fiscais, porque os prefeitos, no geral, são bem-intencionados, mas acabam pagando caro pela administração”, disse Dominici, e continuou "daqui a pouco ninguém mais vai querer disputar eleição."

Já o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro, reforçou que a crise não foi criada pelos Municípios, portanto considerou injusto que os Municípios paguem por ela. "A Bahia veio em peso, 97% dos prefeitos baianos estão aqui. Queremos socorro da União e ajuda desta Casa Legislativa. Juntos tenho certeza que somos fortes, não sairemos daqui sem defender o povo", afirmou.

Frisando principalmente na questão do programa de assistência social Criança Feliz, o presidente da Federação Goiana de Municípios (FGM), Haroldo Neves, relembrou os problemas causados com repasses insuficientes para execução de programas federais municipalizados. "O subfinanciamento gera problemas ao municipalismo brasileiro e precisamos romper isso", disse ele.

Fundamental
Representando as demandas de Minas Gerais, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, lembrou do fundamental papel dos parlamentares para a saída da crise dos Municípios e exigiu comprometimento dos congressistas. "Temos poucos deputados comprometidos conosco. Muitos só ficam no discurso do municipalismo, na hora de fazer o que tem que ser feito não faz, nossas bandeiras estão anos paradas", opinou.

Ele ainda conclui sobre a função dos municipalistas para garantir mudanças. "Precisamos curar a doença que nos aflige, a distribuição desse pacto federativo. Tudo nasceu foi aqui [Congresso] e cabe a nós pressionar para mudar", disse ele.

Última liderança municipalista a falar antes do encerramento da sessão, o presidente da Associação Goiana de Municípios (AGM), Paulo Rezende, reforçou as dificuldades e apontou a importância de os parlamentares estarem ao lado dos gestores municipais. "Nós prefeitos sabemos das dificuldades e dos gastos que temos em nosso Municipio. Deputados e senadores, não deixem os Municípios afundarem", disse.

Acompanhe a cobertura, em tempo real, pelas Redes Sociais: Twitter, Facebook e Instagram.
Fonte: Portal da CNM

FERIADÕES: 2018 terá 12 e mais os municipais; Confira a lista


O ano de 2018 ainda nem chegou, mas já é aguardado cheio de alegria por muitos. Mais que esperança de renovação na nova volta em torno do sol, o próximo ano está sendo bem quisto pela quantidade de feriados prolongados. Somente os feriados nacionais serão 10, a maioria caindo em dias de segunda e sexta-feira. Além destes, um feriado municipal em Mossoró, Dia de Santa Luzia, tem possibilidade de ter a folga prorrogada, pois será num quinta-feira.

Confira o calendário com os feriados e pontos facultativos nacionais, estaduais e municipais de 2018:
1° de Janeiro (segunda);
Carnaval: 12 e 13 de Fevereiro (Seg e Terça);
Paixão de Cristo – 30 de Março (Sexta);
Tiradentes – 21 de Abril (Sábado);
Dia do Trabalho – 1 de Maio (Terça);
Corpus Christi – 31 de Maio (Quinta – Ponto facultativo);
Independência do Brasil – 7 de Setembro (Sexta);
Mártires de Cunhaú e Uruaçu – 03 de outubro (Quarta);
Nossa Senhora Aparecida – 12 de Outubro (Sexta);
Finados – 2 de Novembro (Sexta);
Proclamação da República – 15 de Novembro (Quinta);
Dia de Santa Luzia – 13 de dezembro (Quinta);
Natal – 25 de Dezembro (Terça);

Além dos feriadões, o próximo ano terá ainda a Copa do Mundo de Futebol, realizada na Rússia. Por conta da diferença de fuso-horários, os jogos serão transmitidos no Brasil às 7h, 9h, 10h, 11h, 12h, 13h e 16h, todos em horário comercial. A seleção brasileira terá pelo menos três jogos e caso, chegue à final, serão mais quatro jogos em que alguns trabalhadores poderão reduzir a carga horária de trabalho para acompanhar as partidas.
Em Olho D'água do Borges são feriados municipais os seguintes dias:  20 de setembro (alusivo à Fundação do Município); 8 de dezembro (Padroeira do Município,   Nossa Senhora da Conceição,  e 17 de dezembro (Emancipação Política do Município).

Em busca de negociação, servidores da UERN e do SINDAUDE participam hoje (22) de audiência com o Governo


Em busca de negociação, servidores participam de audiência com o Governo no dia de hoje  (22)
  ADUERN e SINDAUDE participam a amanhã (22) às 15h, de audiência com a Chefa de Gabinete do Governo e com membros da equipe administrativa. O encontro tem como objetivo abrir negociação acerca da pauta de reivindicações das categorias, que acampam na Governadoria desde o dia 13 de novembro.

A expectativa é que o Governo apresente uma saída para o colapso financeiro que vem atingindo os servidores públicos. A chefa de Gabinete, Tatiana Mendes Cunha, já havia agendado uma audiência com as categorias na última sexta-feira (17), mas desmarcou alegando necessitar de maiores informações acerca da situação financeira do estado.

Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e servidores de diversos segmentos da saúde deflagraram greve unificada no início do mês, reivindicando o pagamento dos salários atrasados e um calendário que preveja os vencimentos de novembro, dezembro e do 13º.

Os servidores públicos do Estado convivem com atrasos os salariais desde Janeiro de 2016. O pagamento dos salários do mês de setembro/2017 foi concluído somente no dia 10 de novembro, o que revoltou os trabalhadores e trabalhadoras do Rio Grande do Norte.

‘Quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor da PF?’, ironiza procurador da Lava-Jato

O procurador da força-tarefa da Lava-Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, criticou a declaração do novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, que colocou em dúvida se “uma única mala” seria o suficiente para determinar se houve ou não crime. Em um post nas redes sociais, Lima ironizou: “Uma pergunta: quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor-geral da Polícia Federal?”.

Em entrevista coletiva após sua posse no principal cargo da Polícia Federal, Segovia prometeu que Temer continuará sendo investigado e que seus inquéritos terão celeridade. Segovia questionou as conclusões das investigações da JBS pela Procuradoria-Geral da República. De acordo com Segovia, se dependesse da PF, a averiguação não teria sido finalizada em um prazo tão curto.

— Talvez uma única mala não desse toda a materialidade para apontar se houve ou não crime, e quais são os partícipes. Isso poderia ter sido respondido se a investigação tivesse mais tempo. E quem colocou esse prazo foi o Ministério Público Federal. E também seria esclarecido por que Joesley (Batista, dono da JBS) sabia quando iria acontecer (a divulgação da delação) para ganhar milhões no mercado de capitais — disse Segovia.

Ontem, o procurador já havia criticado Segovia. Segundo Lima, a opinião do novo diretor-geral seria desnecessária e irrelevante.

“Sua opinião pessoal é totalmente desnecessária e sem relevância, ainda mais quando dada em plena coletiva após a posse que lhe foi dada pelo próprio denunciado”, escreveu.

O Globo

“Ponta pé” de Carlos inicia 2018 no RN, com a união de Alves-Maia e crença na repetição do passado

Do Blog de Ney Lopes

Nos últimos dias afunilaram-se as conversas políticas de bastidores no Rio Grande do Norte, com vista à eleição, principalmente, de governador do Estado, em 2018.

FATO NOVO


O fato novo é que o prefeito de Natal Carlos Eduardo, após resistir dá o “ponta pé” inicial e admite deixar a Prefeitura, candidatando-se ao governo.

Se não admitisse não estaria conversando tanto, quanto vem conversando.

Amanhã mesmo, após a procissão da Padroeira de Natal, há um encontro marcado de Carlos Eduardo com o deputado Ezequiel Ferreira, presidente da Assembleia.

Na semana passada, ao que se sabe, Carlos encontrou-se com Garibaldi e José Agripino, quando recebeu fortíssima pressão para ser o candidato.

“CORETO” BAGUNÇADO

O argumento é que, se ele não aceitar, o “coreto estará bagunçado”.

Por que esse raciocínio?

A justificativa é clara para quem conhece a política do RN.

Por mais que “pareçam” públicas e notórias as dificuldades e obstáculos para candidatos tradicionais (Alves e Maia) ganharem a eleição de 2018, a tese entre eles é que tudo não passa de ficção e há chances do controle do poder não escapar desses grupos.

Realmente, talvez eles tenham razão.

HISTÓRIA POLÍTICA RN

Olhando o passado político do RN nos últimos anos ocorreram apenas três “acidentes de percurso”, em eleições majoritárias, com vitoriosos que não tinham origem nas famílias Mariz, Rosado, Alves, Faria e Maia.

Foram as vitórias de Geraldo Melo para governador; Agenor Maria e Fátima Bezerra para o senado.

Geraldo e Agenor ganharam a eleição pelo fato da família Alves desacreditar na possibilidade de sucesso.

Mesmo assim, no caso do governo estadual, colocaram na manga uma “carta de seguro”: o então deputado Garibaldi Alves foi o vice-governador de Geraldo Melo que, no final do seu governo, teve na prática “veto” dos Alves para disputar o senado.

Era a tentativa de “segurar” Geraldo e impedir o seu crescimento político, mesmo sendo ele desde jovem correligionário de carteirinha de Aluízio Alves.

Agenor Maria saiu de uma “boleia” de caminhão e aceitou o considerado impossível pelo grupo Alves, que seria vencer Djalma Marinho para o senado.


Deu “zebra” e ele se elegeu.

Fátima Bezerra aproveitou a “onda Lula”.

FAZENDA CHAMADA RN


Não é sem razão que a política potiguar é chamada de “fazenda”, sem direito à desapropriação por interesse social ou público, salvo raras exceções.

Observe-se, por oportuno, que não há crítica pessoal, nem desmerecimento às famílias tidas como tradicionais e dominadoras do Estado.

Todas elas merecem respeito, porém contra fatos não há argumentos;

A análise é feita apenas sob o ângulo político democrático, o qual pressupõe que o poder seja distribuído por classes e grupos sociais, sem concentração permanente.

Impossível esconder, que para crescer na política do RN sempre tenha sido exigida a mudança do sobrenome….!!!!!

O editor desse blog tentou quatro vezes disputar o senado e foi sempre vetado pelo seu próprio partido, sob o domínio do atual senador José Agripino Maia, sem sequer merecer explicações.

EXEMPLO É A BANCADA FEDERAL DO RN


A composição atual da representação estadual no Congresso Nacional é o exemplo maior.

Do total de 11 parlamentares, só não pertencem ás famílias políticas dominadoras do estado há anos, ou aos fiéis e históricos adeptos desses grupos, a senadora Fátima Bezerra e o deputado Antônio Jácome.

Para relembrar: senadores José Agripino e Garibaldi Alves; deputados Walter Alves (filho de Garibaldi), Felipe Maia (filho de José Agripino), Rogério Marinho (neto de Djalma Marinho egresso dos Mariz e Maias), Rafael Motta (filho do deputado Ricardo Motta, fiel aliado desses grupos aos longos dos anos), Betinho Rosado Segundo (Rosado-Maia), Zenaide Maia (da “gema” da família Maia, primos de José Agripino, cujo irmão João Maia disputou a vice-governança com Henrique Alves em 2014) e Fábio Faria (família Faria-Mariz).

A CHAPA: CARLOS, GARIBALDI E JOSÉ

Nesse contexto, os senadores José Agripino e Garibaldi Alves, ávidos para preservarem os seus mandatos, só encontram um caminho, diante dos últimos fatos do conhecimento público: colocar imediatamente nas ruas a candidatura de Carlos Eduardo ao governo.

O prefeito de Natal, mesmo com o sobrenome, agrega o fato de ter se rebelado contra os seus próprios familiares e somente por isso conseguiu chegar aonde chegou.

Além disso revelou-se inegavelmente um bom administrador na Prefeitura de Natal.

Se não tivesse agido como agiu, talvez fosse ainda deputado estadual, com disputa acirrada em família.

Carlos e Wilma foram dissidentes dos Alves e Maia, porém ao final se reencontraram em suas origens.

Alguns dizem que essa aparente rebeldia foi apenas à aplicação do princípio “dividir para reinar”!

Aliás, os Rosados Maias de Mossoró sempre foram fieis defensores dessa máxima.

CHEGA 2018!


A verdade é que 2018 se aproxima.

Carlos Eduardo, afinal, parece entrar em campo, na companhia de seus candidatos ao Senado José Agripino Maia e Garibaldi Alves Filho.

De “quebra”, ele contaria com o apoio de Rosalba Ciarlini (Rosado Maia), indicando o vice.

Ao contrário do que se pensava, Rosalba e Carlos Augusto “esqueceriam” o “gesto” dos “mui amigos” José Agripino e da família Alves, quando arrancaram à força o direito da então governadora ser candidata à reeleição, fato único e isolado em todo o país.

O objetivo claro foi afastá-la definitivamente da vida pública e favorecer a formação da maior máquina de poder eleitoral já montada no Estado, para eleger Henrique Alves e Wilma de Faria em 2014, com o apoio não apenas de políticos, mas de grupos econômicos, que contribuíram intensamente nas estratégias e articulações.

Para o próximo ano, as “cartas” estão na mesa, com impressões digitais semelhantes ao passado, salvo aqueles alcançados (ou que venham a ser alcançados) pela vassourada da Lava Jato e da Operação Dama de Espadas.

Todos esses personagens que lançam as cartas para 2018, acreditam que a dominação política do passado se repetirá no Rio Grande do Norte e o povo os levará, novamente, ao pódio da vitória.

Será?

Responda o internauta.

21 novembro 2017

60% dos alunos da UERN já realizaram a matrícula on-line

De acordo com os dados da Plataforma Íntegra, até às 17h desta terça-feira (21), 66,44% do total de alunos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) já haviam realizado a matrícula curricular no semestre letivo 2017.2, no primeiro dia do prazo estabelecido pela Pró-reitoria de Ensino de Graduação (PROEG).
Devem efetuar a matrícula os alunos ingressantes através do ENEM/SiSU, que realizaram matrícula institucional; alunos regulares veteranos e alunos ingressantes através do Processo Seletivo de Vagas Não-Iniciais (PSVNI). O acesso se dá por meio da Plataforma Íntegra (integra.uern.br) e o prazo termina na sexta-feira (24).
De acordo com o cronograma, o aluno poderá requerer ajuste em sua matrícula, de forma on-line, na primeira semana de aulas. O Trancamento de Programa de Estudos aconteceu na segunda-feira (20).
Conforme o Calendário Universitário em vigor, as aulas do segundo semestre de 2017 seriam iniciadas no dia 04 de dezembro, contudo, o início das aulas está condicionado à negociação entre o segmento docente e o governo do estado, para o fim da greve dos professores que teve início no dia 10 de novembro.
Veja: EDITAL DE MATRÍCULA
Veja: TUTORIAL (orientações sobre a matrícula on-line)
Cronograma de 20 a 24 de novembro:
20/11/2017 – Das 09h às 23h59 Fase 1 da matrícula on-line – Exclusiva para solicitação de Trancamento de Programa de Estudos
21 a 22/11/2017 – Das 09h do dia 21 às 23h59 do dia 22/11/2017 Fase 2 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares
23/11/2017 – Das 09h às 23h59 Fase 3 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares com vagas disponíveis
24/11/2017 – Das 09 h às 23h59 Fase 4 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares com vagas disponíveis

Em qual ‘outsider’ o brasileiro votaria?

Brasileiros deverão votar em 'caras novas' para o Executivo e o Legislativo nas eleições de 2018

Levantamento inédito do Instituto Paraná Pesquisas quis saber em qual das personalidades fora da política o brasileiro votaria em 2018.

O juiz Sergio Moro foi a escolha de 35,5% dos ouvidos. Em segundo, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, com 11,1%.

Na terceira colocação, Luciano Huck teve 10,8% dos votos. Em quarto, o procurador da Lava-Jato Deltan Dallagnol, com 6%.

Em quinto aparece o jurista Modesto Carvalhosa, com 2,1%. E, em sexto, a ex-apresentadora da Rede Globo Valéria Monteiro, com 0,3%.

O instituto também questionou se os partidos políticos representam o povo. Nesse caso, 84,8% disseram que não. Só 4,4% acreditam na representatividade das siglas, enquanto 8% responderam que em parte sim.

Rio de Janeiro: Um dia no "Cristo Redentor" e no Pão de Açucar acompanhado de amigos. Na edição de amanhã publicarei imagens de outros locais visitados pelo grupo

Fizemos um maravilhoso "city tour" no Rio de Janeiro na companhia dos  casais Antonimar Maia e Cristina Maia; Dilson Dantas e Margatônia, e do  Sargento Neto de Salete e esposa Tenente Conceição.
Aproveitamos essa oportunidade para agradecer àqueles e àquelas que colaboraram com a  viagem à Cidade Maravilhosa, destacando-se: Raimundo Evaristo (Raimundo de Joca) e esposa Cida, como também o filho Anderson Evaristo que nos recepcionaram no Aeroporto Pinto Martins,  Fortaleza e ao Sargento Neto de Salete e esposa Tenente Conceição que foram anfitriões no Rio de Janeiro.







Da esquerda para direita: Dilson Dantas e esposa Margatônia;  Welitânia e esposo Escolástico e Antonimar e a esposa Cristina Maia, empresários em Sumaré/SP


NO PÃO DE AÇUCAR

Estacionamento do Pão de Açucar

Da esquerda para direita: Margatônia, Welitânia, Escolástico, Antonimar Maia e Cristina Maia e Dilson Dantas.

Bondinho do Pão de Açucar

Estátua do Inventor do Bondinho ladeado por Escolástico e Weli

Governador do RN cria grupo para analisar venda de ativos e redução de gastos do Estado

Reunião tratou da implementação de medidas administrativas de curto, médio e longo prazos com vistas a solucionar o crescente déficit do orçamento e à retomada do equilíbrio fiscal.

O governador Robinson Faria e o vice-governador Fabio Dantas estiveram reunidos nesta segunda-feira, 20, na sede do Ministério Público Estadual com o procurador geral, Eudo Leite, e o presidente do Tribunal de Contas, Gilberto Jales, para discutir a formação de um pacto pelo reequilíbrio financeiro do estado.

O encontro, que teve a participação do conselheiro do TCE Carlos Thompson, do Promotor de Justiça Carlos Rodrigues, do procurador geral do Estado Wilkie Rebouças e do secretário de gestão Vagner Araújo, tratou da implementação de medidas administrativas de curto, médio e longo prazos com vistas a solucionar o crescente déficit do orçamento estadual e à retomada do equilíbrio fiscal. Atualmente, o Estado não vem conseguindo pagar parte da folha de pessoal dentro do mês – e não tem cumprido o repasse do duodécimo orçamentário integral para os demais Poderes.

“A saída para a crise passa pelo diálogo – principalmente entre as instituições de Estado. Este pacto que estamos firmando é o melhor caminho para sairmos desta difícil situação. O gesto de sentar à mesa de forma transparente, responsável e construtiva é o que os norte-rio-grandenses esperam dos gestores. E é o que estamos fazendo aqui, discutindo medidas que não são apenas de governo, são de Estado”, declarou o governador Robinson.

“Ficou definida a composição de um grupo técnico com representantes de todos os poderes que vai se reunir diariamente para dar sequência aos trabalhos. Eles vão analisar as iniciativas já em discussão, como a venda de ativos que não tenham função social. E vão medir o custo-benefício e a viabilidade legal de medidas que o Estado possa adotar para reduzir gastos e reequilibrar o caixa”, concluiu o vice-governador Fábio Dantas.

A próxima reunião deverá contar com a participação dos presidentes da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Justiça, que já manifestaram disposição em colaborar com as iniciativas em discussão, segundo afirmou o Procurador Geral Eudo Leite.

Mala de dinheiro pode não ser suficiente para determinar crime, diz diretor da Polícia Federal

 Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

O novo diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, criticou a investigação da PGR (Procuradoria-Geral da República), então comandada por Rodrigo Janot, que sustentou as duas denúncias contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Para Segovia, seria melhor se a maneira como foi conduzida a investigação tivesse maior transparência. Ele então criticou o que avaliou como curto tempo aplicado no trabalho.

Segundo ele, se à época a investigação estivesse sob o comando da Polícia Federal, somente o flagrante de Rodrigo Rocha Loures (PMDB), ex-assessor especial de Temer, com uma mala com R$ 500 mil em São Paulo não seria o suficiente para resolver todos os pontos do caso.

“Talvez seria bom se o Brasil inteiro soubesse e houvesse transparência maior sobre como foi conduzida a investigação. Porque a gente acredita que, se fosse sob a égide da Polícia Federal, essa investigação teria que durar mais tempo, porque uma única mala [de dinheiro] talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime, quem seriam os partidos e se haveria ou não corrupção”, afirmou Segovia.

Governo do Estado do RN não pode sacar dinheiro do Fundo Previdenciário nem pagando multa, diz Banco do Brasil

O Banco do Brasil informou ao Governo do Estado nesta segunda-feira (20) que o dinheiro do Fundo Previdenciário (Funfir) não pode ser sacado.

“Nem sob o pagamento de multas”, diz o Banco.

De acordo com a informação repassada para a Procuradoria-Geral do Estado, as cotas aplicadas no mercado financeiro não se venceram e não podem ser retiradas em nenhuma hipótese.

Tratamento para câncer de próstata ganha genérico inédito

Agência Brasil

A Anvisa publicou hoje (20) o registro do medicamento genérico acetato de abiraterona, que é utilizado no tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático resistente a castração, em combinação com os medicamentos prednisona ou prednisolona.

De acordo com a Lei dos Genéricos, a aprovação do medicamento deve reduzir os custos do tratamento, pois os medicamentos genéricos devem entrar no mercado com valor pelo menos 35% menor que o do produto de referência.

Até o momento não havia genéricos do medicamento acetato de abiraterona, que está no mercado com o nome comercial Zytiga, registrado pela empresa Janssen-Cilag Farmacêutica. O medicamento genérico foi registrado pela empresa Dr. Reddys Farmacêutica.

O acetato de abiraterona inibe seletivamente uma enzima necessária para produção de androgênios (hormônios sexuais) pelos testículos, glândulas suprarrenais e tumores da próstata, além de diminuir consideravelmente os níveis desses hormônios, os quais levam à progressão da doença.

ADUERN: Comandos grevistas e governo estadual abrem conversação

Apesar do impasse e de greve em andamento da Saúde e do professorado da Universidade do Estado do RN (UERN), abre-se uma janela para o diálogo.

Durante o final da manhã de hoje, dirigentes da Associação dos Docentes da UERN (ADUERN) e do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do RN (SINDSAÚDE) participaram de uma reunião na Procuradoria Geral do Estado (PGE).

“Os procuradores querem esse subsídio, com maior número de informações possíveis para poder intermediar a situação junto ao Governo do Estado e tentar resolver este impasse”, destacou o vice-presidente da Aduern, Alexsandro Donato.

20 novembro 2017

Justiça considera legal publicação de vereador em blog e nega ação de indenização

Publicação é de autoria do Blog Prof. Escolástico Paulino.
Advogado de defesa: Francisco Nádson Sales Dias

O juiz Arthur Bernardo Maia do Nascimento, da Comarca de Umarizal, julgou improcedente uma Ação de Indenização por Danos Morais movida por Ibiúna Empreendimentos e Construções Ltda. contra o vereador do Município de Olho D’Água do Borges, Escolástico Paulino Filho. Nela, a empresa alegava que o político mantém na internet um blog, no qual foram postadas notícias inverídicas e tendenciosas que denegriram a sua imagem.

O réu relatou que é vereador do Município de Olho D’Água do Borges, tendo postado as matérias em seu blog no uso de suas atribuições legais e não com o intuito de ferir a imagem de alguém. Ressaltou que as matérias postadas apresentam relação direta com o exercício de seu mandato parlamentar. Por fim, pediu pela condenação da autora em litigância de má-fé.

Analisando-se as provas dos autos, o magistrado entendeu que a demanda deve ser julgada improcedente, pois não há dúvidas de que o réu, na condição de vereador, faz oposição política ao prefeito municipal, haja vista os textos, críticas e denúncias. Assim, o réu nada mais fez do que fazer valer um direito e dever constitucional de acompanhar e fiscalizar os atos da administração pública.
Fonte: Heitor Gregório

UERN: Semestre 2017.2 – período de matrícula curricular para veteranos e novatos vai de 20 a 24 de novembro

  A Pró-reitoria de Ensino de Graduação (PROEG/UERN) informa que as matrículas curriculares para veteranos e novatos que ingressam no semestre letivo 2017.2 estão mantidas para o período de 20 a 24 de novembro, por meio da Plataforma Íntegra (integra.uern.br).
Conforme o Calendário Universitário em vigor, as aulas do segundo semestre de 2017 seriam iniciadas no dia 04 de dezembro, contudo, o início das aulas está condicionado à negociação entre o segmento docente e o governo do estado, para o fim da greve dos professores que teve início no dia 10 de novembro.
Devem efetuar a matrícula curricular: os alunos ingressantes através do ENEM/SiSU, que realizaram matrícula institucional; alunos regulares veteranos e alunos ingressantes através do Processo Seletivo de Vagas Não-Iniciais (PSVNI).
O trancamento voluntário do programa de estudos, para o aluno apto a esta modalidade, será requerido durante a matrícula on-line, exclusivamente na segunda-feira, dia 20 de novembro.
De acordo com o cronograma, o aluno poderá requerer ajuste em sua matrícula, de forma on-line, no período de 04 a 08 de dezembro de 2017.
Veja: EDITAL DE MATRÍCULA
Veja: TUTORIAL (orientações sobre a matrícula on-line)
Cronograma de 20 a 24 de novembro:

20/11/2017 – Das 09h às 23h59 Fase 1 da matrícula on-line – Exclusiva para solicitação de Trancamento de Programa de Estudos
21 a 22/11/2017 – Das 09h do dia 21 às 23h59 do dia 22/11/2017 Fase 2 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares
23/11/2017 – Das 09h às 23h59 Fase 3 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares com vagas disponíveis
24/11/2017 – Das 09 h às 23h59 Fase 4 da matrícula on-line – Exclusiva para pré-matrícula em componentes curriculares com vagas disponíveis

fonte: portal.uern.br

O Rio de janeiro continua LINDO com uma grande miscigenação de raças

 
 
Estive na "Cidade Maravilhosa" no período de 15 a 19 do mês em curso e observei que a Cidade do Rio de janeiro continua repleta de turistas, principalmente estrangeiros.

O Cristo Redentor e o Pão de Açúcar ainda são os principais  cartões portais da cidade, como também às praias de Copacabana, Leblon e Ipanema.

Já as praias de Búzios e Angra dos Reis, distantes 200km e 160km respectivamente do Rio, são as mais visitadas pelos turistas, principalmente estrangeiros, pois estive em ambas e constatei in loco a frequência dos 'gringos'.

VIOLÊNCIA
Durante os cinco dias de visitas à cidade não presenciei nenhuma cena de violência, inclusive andei à pé do Bairro da Lapa ao Centro Histórico da cidade e nos calçadões das Praias sem ser perturbado sequer por morador de rua.
Nos passeios de Van observamos à distância as seguintes Favelas: Rocinha, Pavão e Pavãovizinho, dentre outras. 

Por isso, recomendo fazer turismo na Cidade Maravilhosa.
COMPANHIA
Estive visitando à cidade na companhia dos seguintes casais: Sargento Fuzileiro Naval Neto e esposa Tenente Conceição;  Dilson Dantas e esposa Margatônia, Antonimar Maia e esposa Cristina Maia, como também da minha esposa Welitânia.
Leia mais nas próximas edições deste Blog.

Movimento municipalista luta para aprovar projeto que prevê mais 1% do FPM

Ano após ano, o mês de setembro é reconhecido como um período de escassez nas arrecadações. Com isso, a parcela referente ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), destinada a todas as administrações municipais do país, é reduzida e os Municípios sofrem para arcarem com os custos de serviços básicos da Prefeitura. Para driblar essa situação de aperto e manter com qualidade a gestão das políticas públicas municipais, o movimento municipalista propõe o valor extra correspondente a 1% do FPM nos repasses do referido mês.
Sensibilizado com a grave crise financeira dos Municípios, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) propôs essa medida ao Senado, guiado pelas lideranças municipalistas nordestinas. Sob forma de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 29/2017, a proposição dispõe sobre alteração na “Constituição Federal para determinar que parcela dos recursos dos Impostos de Renda e sobre Produtos Industrializados seja destinada ao Fundo de Participação dos Municípios no mês de setembro de cada ano”.

Sob relatoria do senador Armando Monteiro (PTB-PE), a proposta tramita atualmente na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, onde aguarda apreciação. Capitaneada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), a mobilização nacional de prefeitos que ocorrerá em Brasília entre os dias 21 e 22 de novembro, chamada Não Deixem os Municípios Afundarem, vem cobrar sua aprovação.

Essa matéria está na pauta prioritária da campanha, uma vez que colabora profundamente com as possíveis ações de enfrentamento da crise financeira que vem deixando os Municípios de mãos atadas. Em 2007, o movimento municipalista conquistou o 1% extra do FPM, pago em julho e dezembro. Agora, urge a necessidade dos novos recursos para custeio das necessidades básicas da população e funcionamento das administrações municipais.
 
Fonte: CNM

Repasses de emendas às Prefeituras, por meio do FPM, pode garantir mais R$ 9 bilhões

Os repasses de recursos federais aos Municípios, segundo explicação da Secretária do Tesouro Nacional (STN), são efetuados por meio de transferências constitucionais, legais ou voluntárias. Dentro desse contexto, o movimento municipalista reivindica a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 61/2015, que trata da transferência de emendas para as Prefeituras. A matéria representa, pelo menos, mais R$ 9 bilhões para os governos locais.
 
Uma das pautas prioritárias da Campanha Não deixem os Municípios Afundarem, o texto da PEC possibilita emendas individuais ao Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) da União para repasse de recursos diretamente aos Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios (FPE e FPM). De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), além de promover melhor distribuição de recursos, a PEC também diminuiu a burocracia e simplifica a relação entre os Entes federados.

Conforme explica o presidente da Confederação, Paulo Ziulkoski, na elaboração da peça orçamentária, cada um dos 513 deputados e 81 senadores podem sugerir a alocação de emendas de até R$ 15 milhões cada. Mas a liberação dos recursos depende do Executivo. Ele sinaliza que apenas 12% das emendas impositivas, que são de execução obrigatória, foram pagas até setembro deste ano.

Situação
Ziulkoski pondera que a situação prejudica o parlamentar, os gestores municipais e a comunidade local. Apesar de a medida não ser a mais adequada, a PEC pode viabilizar mais recursos para investimentos nos Municípios. “Com isso, o prefeito não precisa perder tempo em Brasília, de pires na mão. Ele vai prestar conta, ser fiscalizado e termina essa situação. Com isso também qualificamos o debate político, acabando com o toma lá, dá cá”, frisou.

A mesma opinião de Ziulkoski é compartilhada por diversos prefeitos. Durante visita à sede da CNM, o prefeito de Aracati (CE), Bismarck Maia, relatou a burocracia, a lentidão e a ineficiência na execução de obras financiadas com recursos federais, por meio de emendas parlamentares. “Em um mantado, ninguém consegue liberar as obras”, relatou o gestor ao dizer que isso gera perdas ao governo federal, aos parlamentares e, principalmente, aos Municípios.

Bismarck
“O prefeito pega o dinheiro, no primeiro ano do mandato dele, e não consegue executar. O prefeito, entusiasmado, vem a Brasília consegue a emenda, anuncia na cidade e no final do mandato não consegue entregar as obras. O que foi boa notícia, em primeiro momento, virou um terror”, resumiu o gestor cearense. Ele afirmou que a mesma situação se repete em 99% dos Municípios.

Atualmente, o texto da proposta está parado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. Para entrar em vigor, a PEC só depende de vontade política dos parlamentares e da aprovação das duas Casas Legislativas. Isso porque, constitucionalmente, a sanção desse tipo de matéria não passa pela Presidência da República, ela é promulgada pelo Congresso Nacional. 
 
Fonte: CNM

Reforma Ministerial: Temer está entre Marun e João Henrique para Articulação, e convida Baldy

Como Baldy (à dir.) em Cidades, o 'Podemos' adere ao governo
 
Marun é o preferido do Centrão e João Henrique é amigo de Temer; Alexandre Baldy vai para Cidades. 
  O presidente Michel Temer escolherá o substituto do ministro Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) entre o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), nome preferido dos partidos do “centrão”, atualmente relator da CPI mista da JBS, e o ex-deputado João Henrique (PMDB-PI), amigo pessoal do presidente há muitos anos. João Henrique foi presidente dos Correios e atualmente preside o Sesi Nacional.

O substituto de Bruno Araújo no Ministério de Cidades já está definido: será o deputado Antonio Baldy (GO), do Podemos, partido que consolida dessa maneira sua adesão à base de apoio ao governo.

Com essas substituições, o governo deflagra a reforma ministerial ao estilo de Temer, “em suaves prestações”, como a definiu ao Diário do Poder um importante ministro com gabinete no Palácio do Planalto.

No total, deverão ser substituídos até abril, prazo de desincompatibilização, 17 dos 28 ministros do governo que são candidatos a cargos eletivos. Alguns dos novos ministros serão nomeados apenas em abril.

Fonte: Diário do Poder

19 novembro 2017

17 novembro 2017

Leia o Diário do Poder, um dos melhores Portais do Brasil

Clique AQUI e Leia

16 novembro 2017

Recepção Vip do casal militar Neto-Conceição ao casal Escolástico-Welitânia no dia de ontem no Rio de Janeiro

Sargente Neto de Salete como é mais conhecido em Olho D'água do Borges deu total apoio à minha chegada  ao Rio de Janeiro na tarde de ontem, a partir do meu desembarque no aeroporto do Galeão.
Do aeroporto fomos conhecer o bairro nobre da "Ilha do Governador". Na Ilha, conheci vários Restaurantes Top do Bairro.
Por último o casal militar Neto-Conceição abriu sua mansão na Ilha para servir um farto jantar acompanhado de Wisk 12 anos e vinho Português.
Neto de Salete exerce a patente de "Sargento Fuzileiro Naval" e sua esposa Conceição é Tenente da Marinha do  Brasil.
Muito obrigado casal pela receptividade. A recíproca será verdadeira quando estiver na nossa terrinha Olho D'água do Borges.
Desejo também muito sucesso ao casal, tanto na parte pessoal como na Profissional.
Ambos merecem nosso apreço.
Casal Escolástico-Welitânia.


Escolástico e Neto na residência do anfitrião

Casal Neto-Conceição na sua residência na Ilha


Na mansão de Neto e Conceição



Prof. Escolástico ladeado pela esposa Welitânia e pelo Subtenente Neto de Salete


Escolástico e Neto na Baia de Guanabara






Translate