02 julho 2015

Cantor Marrone revela que conversou com espírito de Cristiano Araújo em sonho

Missa de 7º Dia de Cristiano Araújo, dia 1º



Cantor sertanejo esteve na missa de sétimo dia do amigo na noite desta quarta-feira, 1º, em Goiânia.
Marrone na missa de 7º dia de Cristiano Araújo (Foto: Evandro José / EGO)

Amigo da família do cantor Cristiano Araújo, Marrone, da dupla com Bruno, emocionou o público ao subir no palco da missa de sétimo dia em Goiânia e prestar sua última homenagem ao sertanejo – que morreu no último dia 24. Antes de cantar, Marrone revelou que o espírito do cantor o visitou no quarto de um hotel, quando ele estava no Nordeste.

"Eu senti a presença de Cristiano. Sonhei que ele estava na minha cama, eu peguei ele e ele estava se tremendo todo. Acho que ele passou nesta noite para se despedir de mim", disse abalado.

Em outro momento, ao relembrar o jeito humilde e bondoso de Cristiano, Marrone disse ter se "arrepiado das cabeças aos pés". "Caramba! Eu senti a presença de Cristiano agora e me arrepiei das cabeças aos pés", afirmou pausadamente.

O sertanejo ainda afirmou que ele e Bruno se sentiam muito honrados por terem conhecido o Cristiano Araújo, que recebeu uma educação exemplar de seu pai, João Reis. "Sou amigo da família há muitos anos. Conhecia o Cristiano desde os quatro anos. Fico feliz de ver essa multidão aqui, porque se existe esse tanto de pessoas, é porque todas o amavam muito. Tenho certeza que ele vai cantar lá no céu.”
Acidente fatal
Cristiano Araújo e a namorada, Allana Moraes, morreram no dia 24 de junho, em um acidente de carro na rodovia BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. O motorista Ronaldo Miranda perdeu o controle do carro e capotou na estrada. Nem ele nem o empresário do cantor, Vitor Leonardo - que estava no banco da frente - sofreram lesões graves.

Em depoimento à Polícia Civil, ele admitiu que dirigia acima dos 110 km/h permitidos. Se for comprovada sua imprudência ao volante, elepoderá ser indiciado por homicídio culposo(quando não há a intenção de matar) na direção de veículo automotor.

Segundo Ronaldo, ele perdeu o controle do carro depois que o pneu do carro estourou. As rodas do veículo não eram originais e uma perícia está sendo feita por policiais civis e técnicos da montadora Land Rover para verificar se isso pode ter influenciado no acidente.
Marrone canta na missa de 7º dia de Cristiano Araújo (Foto: Evandro José / EGO)
Missa de 7º dia de Cristiano Araújo (Foto: Evandro José / EGO)
Família na missa de 7º dia de Cristiano Araújo (Foto: Evandro José / EGO)
Missa Missa de 7º dia de Cristiano Araújo (Foto: Fotos: Evandro José/EGO)

Fonte; EGO

Máquinas do PAC não podem realizar serviços em troca da contrapartida da Prefeitura

Prefeito de Olho D'água do Borges insiste, persiste e não desiste de usar máquinas do PAC de forma irregular, inclusive nos convênios das obras licitadas. Para tanto, usou o seu facebook para justificar que maquinário faz apenas parte do serviço da Prefeitura, ou seja, a contrapartida. Mesmo assim é proibido o uso do maquinário do PAC. Enfim, máquinas não podem realizar serviços na cidade, apenas na zona rural. Não é o Blog que diz, mas a Portaria do Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA. Por isso, edis oposicionistas denunciaram ao MDA e ao MPF.
Clique e Conheça a Portaria a seguir:

Câmara e Secretarias Municipais de Olho D’água do Borges/RN ainda não criaram Portal de Transparência

Estes Órgãos públicos de Olho D’água do Borges não dão a mínima atenção a Lei Federal de Acesso à Informação. Câmara e Secretarias Municipais ainda não disponibilizaram suas informações na internet. A Câmara não tem sequer um telefone e e-mail institucional. Por isso, Vereadores não têm acesso às matérias com antecedência em função da péssima organização dos serviços de funcionamento da Casa Legislativa. Instituições estão ferindo a Lei Federal de Acesso à Informação.

Professores da UERN esperam proposta do governo para sexta-feira

A expectativa da Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Aduern) é que até esta sexta-feira, 3, o Governo do Estado envie uma contraproposta a reivindicação de reajuste de 12,035% da categoria. A informação foi conformada pela assessoria de comunicação da Aduern.
Na última sexta-feira, 26, a página eletrônica da UERN informava que o Governo enviaria uma proposta até esta terça, mas segundo a assessoria de comunicação da Aduern, até o final da manhã desta quarta-feira, 1º, não havia sido enviado nenhuma proposta.
Docentes e técnicos da Uern reivindicam, entre outras pautas, um realinhamento salarial de 57,53%, que deveria ser escalonado em quatro parcelas de 12,053%, com primeiro reajuste em maio de 2015. Os servidores encontram-se em greve desde o dia 25 de Maio.

Bengala para todos: aprovada aposentadoria aos 75 anos para todos os servidores públicos

Como será a atuação de  um professor da Educação Infantil em sala de aula aos 75 anos?
Ser professor é muito diferente dos cargos de bureau

O plenário do Senado aprovou hoje (1º) o projeto de lei que estende para todos os servidores públicos os efeitos da chamada PEC da Bengala, a emenda constitucional que determinou a aposentadoria compulsória de ministros de tribunais superiores aos 75 anos.
Pelo texto aprovado, os funcionários públicos também passarão a se aposentar compulsoriamente cinco anos mais tarde – atualmente a aposentadoria deles é, no máximo, aos 70 anos. A lei, que ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados, será aplicada aos servidores dos três Poderes, dos estados, dos municípios e do Distrito Federal.
Autor da matéria, o senador José Serra (PSDB-SP) disse que o rojeto é benéfico para os funcionários, que poderão optar por se aposentar antes ou ter mais tempo de contribuição nos casos em que a proporcionalidade não permitir ainda a aposentadoria integral.
Ao falar no plenário do Senado, Serra destacou também que a mudança no tempo da aposentadoria compulsória trará economia para o governo. “As nossas estimativas mostram que o governo, nas três esferas, como um todo, Senador Eunício, vai economizar mais de R$1 bilhão por ano”, disse. De acordo com o senador, com o aumento do tempo da aposentadoria compulsória de 70 para 75 anos, diminui o gasto governamental. “É uma diminuição lenta, mas firme e segura”, afirmou.
O senador José Pimentel, no entanto, alegou que a lei poderá ser considerada inconstitucional por ter vício de iniciativa. Ele citou, como exemplo, outra lei que foi aprovada por unanimidade na Câmara e no Senado estabelecendo aposentadoria compulsória aos 65 anos para os policiais federais e policiais rodoviários federais e que, em seguida, foi considerada inconstitucional no Supremo Tribunal Federal. Apesar disso, ele orientou favoravelmente à votação e colaborou para a aprovação do projeto.
O texto recebeu uma emenda para que os efeitos da lei sejam também aplicados aos membros da Defensoria Pública, que têm carreira independente. A matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados.
Fonte: Agência Brasil

PEC APROVADA: CÂMARA APROVA REDUÇÃO DA MAIORIDADE POR AMPLA MAIORIA

CRIMINOSOS DE 16 E 17 ANOS CUMPRIRÃO PENA EM PRISÃO SEPARADA
DEPUTADOS CELEBRAM A APROVAÇÃO DA EMENDA QUE REDUZ A MAIORIDADE PENAL. (FOTO: LUIS MACEDO)
Por 323 votos favoráveis, 155 contrários e 2 abstenções, a Câmara Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (2) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal para crimes hediondos, homicídio doloso, e lesão corporal seguida de morte. O texto ainda precisa ser votado em segundo turno antes de seguir para o Senado. Pelo texto aprovado, os jovens de 16 e 17 anos terão que cumprir a pena em estabelecimento penal separado dos menores de 16 e maiores de 18.

O número mínimo de 308 votos, que não foi possível obter na véspera, quando faltaram cinco votos para aprobar um texto alternativo, desta vez esse limite foi largamente superado. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que a votação em segundo turno ocorrerá após o recesso parlamentar de julho, já que é preciso cumprir prazo de cinco sessões antes da próxima votação.

O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ) defendeu a redução da maioridade penal. "O PMDB afrma a sua posição de maioria pela redução da maioridade penal, nos crimes especificados. Achamos que a proposta é equilibrada, ela é restrita", disse. “A sociedade não aceita mais a impunidade e não deseja mais sentir o medo, o pavor e o receio que vem sentido no dia a dia. 

GREVE: Vereadores de Pau dos Ferros manifestam apoio à UERN

Greve

A greve na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) foi tema de audiência pública na Câmara Municipal de Pau dos Ferros nesta quarta-feira (01), atendendo o comando de greve da UERN, que fez a mesma solicitação para as câmaras municipais das cidades onde a instituição está inserida.
A vereadora Tércia Batalha, professora aposentada da UERN, foi a autora do requerimento que deu origem à audiência pública, aprovado por unanimidade pelo plenário da Câmara Municipal de Pau dos Ferros. Ela afirmou que a história da UERN está diretamente relacionada ao desenvolvimento não apenas da região, mas em todo o Rio Grande do Norte e municípios vizinhos dos Estados da Paraíba e Ceará. “Todas as conquistas foram frutos da manifestação de todos os seus segmentos. A UERN é um patrimônio do Rio Grande do Norte e precisa ser reconhecida como tal”, afirmou a vereadora.
O presidente da Câmara Municipal de Pau dos Ferros, vereador Gilson Rego, destacou a importância da instituição. “A UERN se confunde com a história de Pau dos Ferros. Nos últimos dez anos Pau dos Ferros se transformou em polo universitário, e a UERN sempre esteve à frente”, afirmou.  
O professor Valdomiro Morais, presidente da Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (ADUERN) lembrou a reposição já negociada. “Esse reajuste representa um impacto em torno de 2% no orçamento do Estado, um valor insignificante”, afirmou. O presidente-eleito do Sintauern cobrou confiança e compromisso no cumprimento do acordo com o Governo do Estado. “Se esse acordo for cumprido, no final de 2018 teremos o salário que deveríamos receber em 2014. A UERN cumpriu seu dever quando aceitou o parcelamento do reajuste em quatro anos. Não estamos pedindo um favor, mas pedimos que seja cumprido um acordo assinado com o Governo do Estado, após negociação”, afirmou.   Os estudantes foram representados por Janaina Martins, da Faculdade de Serviço Social (FASSO).
O reitor Pedro Fernandes fez uma reflexão sobre o momento da greve e afirmou que momentos como esse são necessários para discutir a Universidade. Ele explicou que a instituição busca sua autonomia plena. “Temos uma instituição mantida pelo Governo do Estado, onde temos que fazer toda a programação através do orçamento anual do Estado”, explicou o reitor, que fez um retrospecto da campanha salarial entre UERN e Governo do Estado. “Trabalhamos para que o acordo fosse cumprido e que a reposição salarial coubesse no nosso orçamento, através de uma série de cortes que foram realizados na administração da Universidade. Esperamos o cumprimento do acordo ou uma contra-proposta”, afirmou o reitor, acrescentando que logo que o documento seja enviado pelo governo do Estado será encaminhado aos Sindicatos da UERN.  
O diretor do Campus de Pau dos Ferros, Prof. Gilton Sampaio, chamou a atenção para o respeito à instituição.  “Há um discurso de desrespeito e desvalorização da UERN. Precisamos de força política para combater isso. Muitos de nossos direitos estão sendo discutidos na nossa Universidade. Valorizar essa instituição é valorizar o maior patrimônio do nosso Estado”.  
O Prefeito de Pau dos Ferros, Fabrício Torquato, também esteve presente à audiência, e reafirmou o apoio à instituição. “Todos estamos no mesmo barco. Todos queremos que a greve da UERN acabe, pelos professores, técnicos, alunos e pela sociedade como um todo. A UERN é prioridade. Sexta-feira terei uma audiência com o governador e esse assunto será um dos temas discutidos nesta pauta”, garantiu.
Estiveram presentes ainda o vice-reitor da UERN, Prof. Aldo Gondim; o professor honoris causa da UERN, Paulo Lopo Saraiva, além do vice-prefeito de Itaú, Paulo César;  vereadores de Pau dos Ferros e Portalegre; professores, servidores técnicos e estudantes da instituição, e comunidade em geral.
A Câmara Municipal de Pau dos Ferros foi a segunda a realizar audiência pública para discutir a greve na UERN. Na semana passada, a Câmara Municipal de Mossoró também realizou audiência com o mesmo tema. Outras câmaras de vereadores de municípios onde a instituição está instalada também manifestaram interesse em realizar audiência pública, e as datas estão sendo agendadas. A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte também realizou audiência, manifestando apoio aos servidores e estudantes da UERN. 

01 julho 2015

Cristiano Araújo deixou apartamentos para a mãe e o filho mais velho, diz tia

Divina de Mello conta que a família continua muito abalada com a morte do cantor: 'Minha irmã tem chorado muito, não sai de casa para lugar nenhum'.


Divina de Mello, tia de Cristiano Araújo

(Foto: Marília Neves / EGO)


Julio Paulino de Mello, avô de Cristiano Araújo (Foto: Marilia Neves / EGO)
Avô de Cristiano, Júlio Paulino de Mello
Faz uma semana que Cristiano Araújo morreu, mas toda família continua muito abalada com a partida repentina do cantor. Ao EGO, Divina de Mello, tia do sertanejo, contou que a mãe do rapaz ainda chora muito pela perda e deve sair de casa pela primeira vez após o enterro para ir à missa de sétimo dia do filho, que irá acontecer nesta quarta, 1, na Paróquia Nossa Senhora da Assunção, em Goiânia.
"Minha irmã está muito abalada, tem chorado muito ainda. Não sai de casa para lugar nenhum. Talvez vá à missa, está fazendo de tudo para ir. Somos uma família muito religiosa e essa missa vai ser muito importante para a gente. Vão estar todos reunidos orando pelo Cristiano: a família e os amigos", declarou.
Questionada sobre os filhos de Cristiano - ele tinha João Gabriel, de 6 anos, e Bernardo, de 2 -, Divina disse que eles estão mantendo a rotina normal para não sentir tanta falta do pai. O mais velho recebeu ajuda de um psicólogo para lidar com a situação.
"O Bernardo é muito novinho, né? Não vai nem ter lembrança do pai... Só vai ter as fotos e os vídeos. O João, que é um pouquinho mais velho, já entende mais, mas não está dando trabalho não. A mãe dele, a Luana, procurou um psicólogo e foi contando para ele sobre a morte aos poucos. Acho que ela nem falou no dia para resguardá-lo. Depois ela perguntou se ele queria visitar o túmulo do pai, mas ele não quis. Não conseguimos vê-los ainda porque eles moram longe, mas eles já visitaram a avó. Estão mantendo os compromissos de sempre, indo à escola normalmente", afirmou.EGO NAS REDES SOCIAIS
Divina também revelou que Cristiano deixou pelo menos um dos filhos resguardado. Pouco antes de morrer, ele conseguiu um emprego para Luana Rodrigues, mãe de João Gabriel, e comprou um apartamento que colocou em nome do menino: "Para você ver como as coisas não acontecem por acaso e Deus está no controle. O Cristiano deixou tudo encaminhado. Conseguiu que a mãe mudasse para o apartamento que ele tinha comprado para ela. Ele estava desesperado para as obras acabarem logo para minha irmã poder entrar e, recentemente, deu um outro para o filho mais velho. Pena que não teve tempo de fazer o mesmo pelo Bernardo".
Sobre sua mãe, Luzia de Mello, a avó materna de Cristiano - que passou mal após saber da morte do neto e teve que ser internada no hospital -, Divina falou: "Minha mãe não está muito bem ainda, está fraca e emocionalmente fragilizada. Como recebemos sempre muitas visitas, ela não está nem aqui em casa. Foi para a casa de outra irmã nossa para descansar. Ela não está preparada para ver outras pessoas ainda, não pode se emocionar".
Luzia tem 84 anos. Ela foi hospitalizada porque teve um pico de pressão ao saber da tragédia envolvendo o neto, mas só ficou internada por uma noite. "Ela dormiu bem, a pressão controlou, mas continua com dor no peito. Está deitada, mas não vai voltar ao hospital. Lá, por uma noite que ela ficou, cobraram R$ 500. Aqui ela fica com a família e toma remédio do meu jeito", pontuou o marido dela, Júlio Paulino de Mello, de 92

Fonte: EGO

MPF AJUIZOU CERCA DE 5,5 MIL AÇÕES DE IMPROBIDADE DE 2013 A 2015

Condenados devem ressarcir danos aos cofres públicos e estão sujeitos à perda da função pública, entre outras sanções.
Dois ex-prefeitos de Olho D'água do Borges/RN estão neste rol e o atual está no caminho, mas processos terão que transitar em julgado.


Levantamento feito pelo Ministério Público Federal revelou que, desde 2013, foram ajuizadas 5.445 ações de improbidade administrativa contra agentes públicos, alcançando gestores, ex-gestores e servidores, além de particulares que se beneficiaram das irregularidades e causaram prejuízo aos cofres públicos. O tema é regulamentado pela Lei nº 8.429/92, que trata de hipóteses de enriquecimento ilícito no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na Administração Pública.

Em relação ao ano de 2013, a instituição propôs 3.143 ações e instaurou 9.881 procedimentos de investigação relacionados à improbidade administrativa. Já em 2014, foram contabilizados 2.002 ações e 11.405 procedimentos de investigação. Para 2015, o estudo aponta 300 ações propostas e 6.118 procedimentos de investigação até o dia 22 de maio. O diagnóstico abrange os 26 estados da federação e o Distrito Federal.
Dentre as irregularidades encontradas estão, por exemplo, procedimentos licitatórios fraudulentos, desvio de verbas públicas, inconsistências na prestação de contas ou mesmo a sua omissão. As atribuições do MPF abarcam os atos de improbidade administrativa praticados por agentes públicos federais ou de outros entes políticos – estados e municípios –, desde que envolvam a aplicação de recursos federais. A responsabilidade também pode recair sobre os particulares que concorrem para a conduta ilícita ou que tenham se beneficiado da má gestão das verbas públicas.
Em linhas gerais, as ações do Ministério Público pedem que os acusados sejam condenados à perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio e ainda a ressarcir integralmente o dano; tenham suspensos os direitos políticos; paguem multa civil; sejam proibidos de contratar com a Administração ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios; além de perderem a função pública. Em alguns casos, as irregularidades servem de parâmetro para a propositura de ações penais contra os agentes, quando os fatos também configurarem crime. Na fixação das penas, é considerada a extensão do dano causado, assim como o proveito patrimonial obtido pelo infrator.
Combate à Corrupção – Em 2014, a 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF julgou cerca de 13 mil procedimentos, dos quais mais de 10 mil foram sobre improbidade administrativa, principal tema analisado pelo colegiado, cuja temática é Combate à Corrupção. Além da improbidade administrativa, a 5ª Câmara aprecia crimes cometidos por funcionários públicos e por particulares contra a Administração em geral, crimes de responsabilidade de prefeitos e vereadores e alguns previstos na Lei nº 8.666/93 e seus conexos.
De acordo com o coordenador da Câmara, subprocurador-geral da República Nicolao Dino, são necessários esforços coletivos para combater a corrupção no país, transformando a atuação em resultados concretos e fortalecendo as redes de controle social. “O volume de demandas que chegam à 5ª Câmara reflete a intensidade e a dedicação que as unidades do Ministério Público Federal em todo o Brasil tem dado ao enfrentamento da corrupção”, diz Nicolao Dino. “Além disso, com a redefinição de nosso planejamento temático, fruto de um trabalho de base, importantes projetos foram desenvolvidos na área de coordenação e prevenção da corrupção, buscando, por exemplo, detectar os problemas de estrutura dos órgãos de controle interno do Executivo, os desvios de recursos do Programa Bolsa-Família, a falta de transparência na Administração Pública, entre outras importantes iniciativas que estão sendo executadas por colegas de todo o país”, destaca Nicolao Dino.
A criação dos Núcleos de Combate à Corrupção (NCCs) também trouxe avanços aos trabalhos na área. Atualmente, 25 unidades do MPF já contam com essa estrutura. “Há um interesse para a instalação do núcleo em todas as procuradorias, de forma a racionalizar as investigações e imprimir maior agilidade e efetividade à atuação nas matérias penal e de improbidade”, enfatizou Nicolao Dino. O Núcleo de Combate à Corrupção é composto por ofícios mistos, que têm atribuição plena nas áreas cível e criminal para reprimir condutas que caracterizem violação à Lei de Improbidade Administrativa e à porção da legislação penal referente aos crimes de corrupção. O novo modelo de atuação segue diretriz nacional do MPF, que elegeu o combate à corrupção como prioridade nos próximos anos.
No plano externo, a Câmara tem intensificado a articulação com órgãos de fiscalização e controle, notadamente Tribunal de Contas da União, Controladoria-Geral da União e Polícia Federal, mediante termos de cooperação e convênios. Ainda lançou o portal de Combate à Corrupção do MPF, que reúne casos emblemáticos de corrupção revelados no Brasil (www.combateacorrupcao.mpf.mp.br).
A recuperação de ativos, no Brasil e no exterior, com vistas a recompor o dano ao patrimônio público e a devolver o dinheiro à sociedade, está entre as principais preocupações do MPF. Somente em 2015 – tomando como exemplo alguns casos de atuação das Procuradorias da República –, já foram arrecadados aos cofres públicos R$ 60 milhões do ex-magistrado Rocha Mattos, repatriados da Suíça, mais R$ 579 milhões devolvidos por atuação da força-tarefa Lava Jato. 
Dez medidas – Em março deste ano, o Ministério Público Federal apresentou para debate dez medidas que visam aprimorar a prevenção e o combate à corrupção e à impunidade. As propostas de mudança legislativa buscam evitar o desvio de recursos públicos e garantir maior transparência, celeridade e eficiência ao trabalho institucional, com reflexos no Poder Judiciário. Esse conjunto de propostas tem como destinatários o Congresso Nacional e o Conselho Nacional de Justiça.

INSS decide pagar revisão automática de pensionistas

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) irá pagar, administrativamente, a revisão das pensões para as viúvas e os viúvos que tiveram o benefício reduzido com o ajuste fiscal do governo.A informação é da Folha de São Paulo.
Segundo o órgão, todos os benefícios concedidos durante a vigência da medida provisória 664, que reduziu em até 40% o valor das pensões por morte, passarão por revisão, sem que o segurado precise ir até o posto fazer esse pedido. “Nenhum beneficiário precisará solicitar a revisão. Ela será processada pelo INSS e comunicada ao interessado”, informou o órgão, por meio de nota.
15172323

Senado aprova aumento de até 78% para servidores do Judiciário

Projeto segue agora para sanção ou veto da presidente Dilma Rousseff.
Reajuste será escalonado e concedido de acordo com função dos servidores.


O Senado aprovou nesta terça-feira (20) por 62 votos a zero projeto de lei que concede reajuste salarial escalonado para servidores do Judiciário. O texto prevê que o aumento – entre 53% a 78,56% – será concedido de acordo com a função exercida por cada servidor.
Pelo projeto, o reajuste será escalonado, de julho de 2015 até dezembro de 2017, e o pagamento será feito em seis parcelas. A matéria segue agora para sanção ou veto da presidente Dilma Rousseff.
O governo era contrário ao projeto devido ao impacto nas contas públicas. Segundo o Ministério do Planejamento, o aumento custará R$ 25,7 bilhões nos próximos quatro anos.
Um requerimento para adiamento da votação chegou a ser apresentado, mas foi rejeitado. Somente a bancada do PT votou a favor do requerimento.
Após ter o requerimento de adiamento da votação rejeitado, o PT decidiu liberar a bancada para a votação do projeto. Como a votação da proposta acabou sendo simbólica (sem verificação do voto de cada parlamentar), os votos dos 13 senadores petistas não foram contabilizados no resultado final (62 a 0).
Durante todo o dia, servidores do Judiciário fizeram manifestação dentro e fora doCongresso Nacional para pressionar o Senado a colocar em votação o projeto de lei que aumenta os salários da categoria.Alguns parlamentares, no entanto, se dirigiram ao microfone do plenário para anunciar suas posições, como Lindbergh Farias (PT-RJ) que afirmou ter votado "sim" ao projeto, e Donizeti Nogueira (PT-TO), que disse ter votado "não".
Em maio, o Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a enviar ao Executivo um documento em que defendia a aprovação do reajuste para os servidores do Judiciário. A nota técnica do STF contestou diversos apontamentos feitos pelo Ministério do Planejamento sobre aumentos recentes dados à categoria. De acordo com o texto, os servidores do Judiciário não tiveram reajuste entre 2009 e 2012, ao contrário de outros servidores de formação equivalente em órgãos como Polícia Federal e Receita.
Atualmente, um analista judiciário, com nível superior, recebe inicialmente R$ 8.803,97; um técnico judiciário, de nível médio, R$ 5.365,92.
De acordo com o projeto, o aumento dependerá de dotação orçamentária e autorização específica na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
Como contrapartida ao aumento salarial, os órgãos do Judiciário terão de se esforçar para reduzir gastos com funções de confiança no prazo de um ano.

Adiamento
O adiamento da votação do projeto chegou a ser colocado em votação após a leitura em plenário de ofícios do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e do ministro interino do Planejamento, Diogo Henrique Oliveira, que afirmavam que governo e Judiciário estavam negociando o reajuste dos servidores da categoria.
No ofício, Lewandowski afirma que "que técnicos do STF estão ultimando tratativas com setores competentes do Ministério do Planejamento acerca do reajuste do Judiciário". Já o ministro interino do Planejamento, afirmou que estava "em negociações avançadas com o STF" a respeito do projeto.
Após a leitura dos ofícios, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), e os líderes do governo no Senado, Delcídio do Amaral (MS), e no Congresso, José Pimentel (CE), apresentaram um requerimento pedindo o adiamento da votação por 30 dias.
O líder do PSOL, Randolfe Rodrigues (AP), criticou a atitude dos petistas. "No ofício do presidente Lewandowski não há um pedido de adiamento. Se houvesse, eu até me daria por vencido, mas como não há, vamos votar o reajuste."
Humberto Costa então subiu à tribuna para defender o adiamento da votação e lembrou que se fosse aprovada da maneira atual "provavelmente" seria alvo de veto da presidente Dilma Rousseff. Costa afirmou ainda que não há "urgência" para votar o projeto, já que o reajuste dos servidores será para o ano que vem.
"Nós votaríamos esse projeto hoje se não tivesse uma negociação em curso. Mas é isso que está acontecendo. [...] O STF apresentou uma contraproposta ao governo que, segundo o próprio ministro em exercício do Planejamento, precisa de apenas alguns ajustes para ser aceita", afirmou.

Redução da maioridade penal para crimes graves é rejeitada pela Câmara


Discussão sobre a PEC durou mais de três horas 
Após mais de quatro horas de discussão, o plenário da Câmara dos Deputados rejeitaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. Foram 303 votos favors, 184 contra e 3 abstenções. Para ser aprovado o texto da PEC precisava de, no mínimo, o voto de 308 deputados.


A votação, considerada histórica por sua repercussão, começou pouco depois da meia-noite. A PEC reduz a maioridade penal para a prática de crimes hediondos, como estupro, latrocínio; homicídio qualificado e lesão corporal grave, lesão corporal grave seguida de morte e roubo agravado (quando há sequestro ou participação de dois ou mais criminosos, entre outras circunstâncias).

Como o texto rejeitado era um subistutivo, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que o plenário deverá fazer nova votação para deliberar sobre a proposta original que diminui a maioridade penal para todos os crimes. “Iremos deliberar no colégio de líderes a deliberação”, disse.
Em uma sessão marcada por um plenário dividido, mais de 20 deputados se revezaram na tribuna para defender e argumentar contra o relatório do deputado Laerte Bessa (PR-DF) aprovado no último dia 17, por 21 votos a 6 na comissão especial destinada a analisar o tema.
O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), disse que a maioria da bancada votaria a favor “Nós somos favoráveis porque ele propõe a redução para os crimes hediondos, graves e sobretudo os crimes contra a vida”.
Mesma posição foi tomada pelo deputado Moroni Torgan (DEM-CE) que defendeu a redução sob o argumento de que a medida vai acabar com a sensação de impunidade. “Queremos acabar com a impunidade para esses adolescentes que cometem crimes graves e que praticamente não são punidos como se deve", defendeu.
Contrário à redução, o líder do PROS, Domingos Neto (CE), argumentou que a sociedade quer o fim da impunidade, mas que muitos parlamentares também se colocam a favor para dar uma resposta a opinião pública. “A nossa bancada é contra este modelo de redução que se estende a alguns setores da sociedade pois é discriminatório. Temos que firmar o compromisso de modernizar o Estatuto da Criança e do Adolescente [ECA]”, disse. “A opinião pública condenou Jesus Cristo e absolveu Barrabás”, complementou o vice-líder do governo, Sílvio Costa (PSC-PE).
O governo se posicionou contra a redução e defendeu como alternativa a alteração no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para aumentar o tempo de internação para os adolescentes que cometerem crimes graves, além de mudanças na legislação para endurecer as penas para quem aliciar adolescentes para a prática de crimes. “Não podemos agir emocionalmente, mas também não podemos deixar de dar uma resposta para a sociedade. E o governo está propondo essa mudança”, afirmou Guimarães.
Após a divulgação do resultado, os manifestantes contrários à redução comemoraram e cantaram o Hino Nacional. desde a manhã eles promoveramatos contra a PEC. Os protestos contra a aprovação da proposta reuniram integrantes de organizações estudantis, centrais sindicais e movimentos sociais contrários a redução da maioridade penal. Em frente ao Congresso Nacional, o gramado foi ocupado por manifestantes com faixas e cartazes em um ato contra a PEC.
Com informações da Agência Brasil

Governador Robinson Faria assina retomada de obras do sistema adutor do Alto Oeste

Governador assina retomada de obras do sistema adutor do Alto Oeste
Com a construção do sistema finalizado, 10 municípios terão seu abastecimento água regularizado.

Olho D'água do Borges será beneficiada
De acordo com a Semarh, 11 cidades do RN estão em colapso no abastecimento. Dessas, dez estão no Alto Oeste.
O governador Robinson Faria viajou na tarde de ontem (30) para Pau dos Ferros com a finalidade de participar de uma reunião para discutir a crise hídrica com prefeitos daquela região. Na ocasião, ele assinou a ordem de serviço da retomada das obras do Sistema Adutor do Alto Oeste, paradas desde 2013. Após a finalização das obras, dez municípios terão seu abastecimento de água regularizado, dos quais três estão em colapso.
"Estou aqui com minha equipe técnica da Semarh, Caern e Igarn para discutirmos os problemas da região no que diz respeito à crise hídrica. A seca já castiga nosso estado há muitos anos. Mas não podemos mais pensar em modelos paliativos, porque as pessoas estão cansadas. Precisamos planejar para os próximos anos", disse o governador, apresentando uma medida prática do seu Governo: "A retomada do sistema adutor do Alto Oeste é um exemplo prático disso; uma obra que estava parada há mais de dois anos", disse ele para um auditório lotado da VI Unidade Regional de Saúde.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Mairton França, são 11 cidades em colapso. Dessas, dez estão no Alto Oeste. "Por isso, essa região necessita tanto de nossa atenção", disse França, que repassou para os participantes algumas medidas do Governo do Estado.
"Até hoje nessa gestão já foram perfurados mais de 150 poços. O abastecimento com carros pipa foi estendido também para as zonas rurais. Estamos ousando, como sempre diz o governador, instalando em João Câmara um projeto piloto de um dessalinizador, movido a energia solar, dentro do Programa Água Doce", informou França, acrescentando que esse Programa emancipa a comunidade porque elas passam a gerir a água dessalinizada.
Fonte: ASSECOM/RN

Senado aprova MP que reajusta tabela do Imposto de Renda

O Senado aprovou hoje (30) a Medida Provisória (MP) 670/2015 que reajusta a tabela mensal do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). O texto foi aprovado conforme texto enviado pela Câmara dos Deputados, sem alterações promovidas pelos senadores.

A MP concede reajuste escalonado das bases de cálculo da tabela progressiva do Imposto de Renda. O reajuste vai de 4,5%, para a faixa de renda mais alta, a 6,5%, para a faixa de renda mais baixa (isenta). A renda mensal máxima para isenção passa a ser R$ 1.903,98. Os reajustes valem a partir de abril de 2015 e surgiram de negociações do governo com o Congresso para manter o veto ao reajuste linear de 6,5% para a tabela.
Os senadores de oposição defenderam emenda para que os efeitos da MP vigorassem a partir de janeiro, não de abril, para que ela pudesse valer para todo o ano. O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) chegou a alegar que o ano fiscal não poderia ter apenas nove meses e que deveria ter 12 meses. Na Câmara, os deputados já tinham rejeitado emenda para que toda a tabela fosse reajustada em 6,5%.
No entanto, os deputados aprovaram uma emenda que concede isenção de imposto em despesas com a aquisição de livros, por professores e seus dependentes. O valor, que se encaixa no campo das deduções com educação, poderá chegar a R$ 3.561,50 a partir do ano-calendário 2015. Eles também aprovaram outra emenda que isenta o óleo diesel do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).
As duas modificações foram mantidas no texto aprovado pelo Senado, que segue agora para sanção da presidenta Dilma Rousseff.
Fonte: Agência Brasil

PMs e manifestantes contra a redução da maioridade entram em confronto no Congresso


Os líderes partidários fecharam acordo na tarde desta terça-feira para votar no plenário da Câmara dos Deputados a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos. Ficou acordado que não haverá obstrução, com dez parlamentares falando a favor da proposta e dez discursando contra, segundo o líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE). Os deputados já iniciaram a sessão para analisar a proposta. Manifestantes contra e a favor da proposta lotam as galerias da Casa, que distribuiu senha para entrada de 200 pessoas para assistir a votação. No acesso principal do Salão Verde, enquanto aguardavam a contagem das senhas de acesso à galeria, grupos contrários e favoráveis à redução chegaram a se enfrentar.

No começo os gritos de ordem prevaleceram, mas dois princípios de confusão fizeram com que ambos os lados se exaltassem. A Polícia Legislativa interveio e separou os grupos. Cerca de 30 profissionais das Polícias Legislativa e Militar fecharam as entradas principais do Congresso Nacional. Dentro e fora da Câmara, há grupos reclamando de serem barrados.

Os manifestantes, muitos ligados ao movimento negro e que reclamavam de não conseguir acesso ao plenário, derrubaram o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), que tentava chegar ao plenário. O deputado disse que foi puxado pelos manifestantes.

— Eu pedi, quero passar, eu voto com vocês pela manutenção da idade. Eles me puxaram e eu cai. Depois, ficaram de sacanagem, fingindo que também tinham caído. Agora, vou mudar meu voto. Vou votar pela redução da maioridade. Isso que fizeram é desrespeito à liberdade, à democracia — reclamou Heráclito.

Manifestantes derrubaram o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), que tentava chegar ao plenário. – Jorge William / Agência O Globo

Antes de iniciar a sessão, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), negou que esteja descumprindo o Habbeas Corpus conquistado por 64 manifestantes no Supremo Tribunal Federal (STF) para ter acesso às dependências da Câmara e acompanhar a sessão pública da maioridade penal. Segundo Cunha, a ordem que ele recebeu diz que a permissão para a entrada tem que ser “de acordo com a garantia da ordem” e é o que ele está fazendo.
— A ordem que eu recebi é cumprir de acordo com a garantia da ordem — disse Cunha.
Segundo o presidente, ele já distribuiu entre os partidos, 200 senhas para acesso às galerias e não irá permitir o acesso de mais pessoas porque é preciso ter a garantia de que, em caso de tumulto, possa evacuar sem riscos o local. Cunha também rebateu críticas de que teria impedido a realização de uma coletiva de representantes da sociedade contrários à redução da maioridade penal no Salão Verde. Segundo ele, o Salão Verde é aberto aos parlamentares. Em plenário, deputados reclamavam da dificuldade de acesso dos colegas ao plenários. Outros faziam apelo para que Cunha liberasse mais lugares nas galerias.
O diretor de comunicação da União Nacional dos Estudantes (UNE), Mateus Weber, segurava uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) para exigir a entrada no espaço. Segundo ele, 60 pessoas conseguiram a liminar, nominalmente, para acompanhar a votação. Dezenove pessoas são da UNE e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), o restante é de um grupo criado para se manifestar contra a redução chamado Amanhecer.
— A minha senha é o habeas corpus, uma decisão do STF que o presidente da Casa não quer cumprir. Estamos sendo barrados, mesmo com o habeas corpus — disse Mateus.
Movimentos estudantis e jovens que são contra a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos no Brasil realizaram na tarde de hoje passeata, na Esplanada dos Ministérios. Com buzinas, apitos e fogos de artifício, eles se reuniram no Museu Nacional e caminharam até o Congresso Nacional. As faixas utilizadas pelo movimento trazem as frases: “A educação é a cura” e “Somos contra a redução”. O Hino Nacional foi cantado diversas vezes.
Na Câmara, grupos que são a favor da PEC também vieram acompanhar a votação. Usando camisas distribuídas pela Frente Parlamentar de Segurança Pública com os dizeres “Se você é contra a impunidade do menos, diga sim!”, eles prometem ocupar a galeria da Casa e pressionar os deputados a aprovarem o projeto
SENHAS
A Diretoria Geral da Câmara informou que as senhas foram distribuídas aos partidos de forma proporcional, ou seja, de acordo com o tamanho de cada bancada. Segundo o presidente da comissão especial que aprovou a PEC da Maioridade Penal, deputado André Moura (PSC-SE), a decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ, foi manter o esquema já usado em outras votações.

André Moura informou ainda que, nas galerias, os manifestantes a favor da redução e contra a redução serão posicionados separadamente, para evitar confrontos. A separação ficará à cargo da Polícia Legislativa da Casa. Embora a capacidade do plenário seja para 300 pessoas, Moura explicou mais cedo que 200 pessoas é o limite apresentado pelos técnicos para evitar problemas. O esquema de segurança na Casa, disse Moura, também foi reforçado.
— A ideia é garantir uma votação sem tumultos. Cada partido poderá distribuir suas senhas. Nós acreditamos que teremos os 308 votos para aprovar a PEC. Continuamos conversando com os parlamentares sobre a importância de aprovar a emenda — disse Moura.
Relator da emenda, o deputado Laerte Bessa (PR-DF) defende a proposta, afirmando que a partir de 16 anos o jovem nos dias de hoje tem condição de saber o que é o “certo e o errado”. Inicialmente, Bessa defendia a redução da maioridade para todo tipo de crime. Para atrair o PSDB, no entanto, Eduardo Cunha negociou modificação no texto, para restringir a redução aos crimes hediondos, além de homicídio doloso, lesão corporal grave e lesão corporal seguida de morte e roubo qualificado.
O governo trabalha para garantir que os que defendem a redução não obtenham os votos necessários para aprovar a emenda. Pela Constituição Federal, uma emenda só é aprovada se obtiver, pelo menos, 308 votos sim. Nas últimas semanas, deputados contrários têm conversado com deputados para que mudem de posição. Como contrapartida, defendem alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que permita, entre outras coisas, um tempo maior de internação do menor infrator.

O Globo



30 junho 2015

Música inédita de Cristiano Araújo fala sobre saudade e solidão; ouça

Música usando apenas piano destaca a voz do cantor sertanejo.

Gravação foi feita após convite de diretor do Hospital do Câncer de Barretos.


Há dois meses, numa conversa informal, um dos diretores do Hospital de Câncer de Barretos, interior de São Paulo, sugeriu ao cantor Cristiano Araújo que gravasse uma música usando apenas o piano para destacar sua voz, e Cristiano aceitou a sugestão. No dia seguinte, mandou a música para o amigo em uma mensagem de celular. A música foi composta pelo pai do cantor. Até agora, os assessores mais próximos não conheciam a gravação.


“Eu falei com ele que estava sentindo falta de ter música acústica do DVD e CD novo dele. Vinte e quatro horas depois ele mandou a música”, conta o diretor do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata.

Assista ao clipe e ouça a música no vídeo abaixo:

 Trajetória
Nesta terça-feira (30) faz uma semana que Cristiano Araújo sofreu o acidente. Ele tinha acabado de fazer um show em Itumbiara, em Goiás, e estava voltando para casa, com a namorada Alana Moraes, de 19 anos.  O casal estava no banco de trás do carro. Na frente estavam o empresário e o motorista. O carro onde eles viajavam capotou. A namorada morreu na hora. Cristiano ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu. O empresário e o motorista foram internados e já tiveram alta.

Cristiano Araújo tinha 29 anos e fazia parte de uma nova geração de cantores sertanejos.  Em 2012 lançou o segundo DVD, ao vivo em Goiânia, e consolidou o sucesso. Os amigos dizem que ele estava sempre de bom humor.
“Eu sempre tento agradar pelo menos uma boa parte do público que taí, faço as músicas que fizeram sucesso comigo e invento algumas modas, invento outros estilos no meu show tentando alegrar essa galera toda aí”, disse o cantor.
O pai era uma referência. Numa entrevista ao Fantástico, João falou um pouco da personalidade do filho.  “Ele era uma pessoa que tinha uma índole intocável, uma pessoa do bem que jamais fez qualquer coisa de mal a ninguém. Uma pessoa alegre, feliz, extremamente feliz”.
 O Hospital de Câncer de Barretos tem 48 anos. Ele recebe ajuda do governo, mas boa parte da verba que mantém o hospital vem de doações, e muitas delas de cantores sertanejos.


O hospital tem equipamentos de última geração e alas especiais para crianças. Todos os procedimentos são feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).



Só no ano passado, foram mais de 740 mil atendimentos. A Fundação Pio XII, que deu origem ao Hospital de Câncer de Barretos, surgiu no final da década de 1960. Foi criada por um casal de médicos, os pais do atual diretor, Henrique Prata, para atender pacientes com diagnóstico da doença que não tinham dinheiro.



A partir dos anos 1990, com a ajuda de fazendeiros, empresários e artistas, o hospital começou a ser ampliado. Desde 1999, ele vem sendo considerado um dos melhores do Brasil, segundo pesquisa feita com os pacientes. O índice de satisfação chega a 99%.

O hospital depende da verba do verba do governo federal e de doações. Hoje, 40 artistas, a maioria sertanejos, ajudam o Hospital de Câncer de Barretos. Todos os anos, cada um deles faz um show e o dinheiro é destinado ao hospital. Por ano, são arrecadados R$ 5 milhões.
Investigação
A polícia espera que a leitura dos dados de um equipamento, que funciona como uma caixa preta de avião, possa informar o momento exato do acionamento do airbag, dos freios e, principalmente, a velocidade do carro na hora do acidente. O equipamento vai ser vistoriado no Brasil.

"Se a gente conseguir resolver isso em São Paulo vai ser mais rápido, caso seja encaminhado para Inglaterra a gente vai ter que ter um pouco mais de paciência”, fala o delegado Fabiano Jacomelis.
Em depoimento, o motorista do cantor, Ronaldo Miranda, contou ao delegado que estava acima da velocidade, mas não se recordava a quantos quilômetros por hora dirigia no momento do acidente, e confirmou que as rodas não eram originais. As primeiras perícias mostram que elas têm vários pontos de solda. Foi um amigo de Cristiano que deu as rodas de presente para o cantor.
"Eu já tinha levado ela para soldar. Ela já tinha solda. Eu rodei o ano inteirinho com ela com solda”, conta o amigo do Cristiano, Tiago Ferreira dos Santos.
Nesta segunda-feira (29), o empresário Vitor Leonardo, que também estava no carro, prestou depoimento. Ele confirmou a suspeita da polícia: Cristiano e Allana não usavam o cinto de segurança.

Veja a letra da música de Cristiano Araújo:
Mais uma vez, eu me enfraqueço e me entrego pra você.
Mais uma vez, você apronta e vem correndo me pedir perdão.
Mais uma vez, eu não consigo me afastar e ficar sem você.
Mais uma vez, quase perdi meu pobre coração.

Mais uma vez, faço de tudo pra entender seu modo de agir.
Me faz sofrer, só por prazer, não sei por que me maltrata assim.
Mais uma vez, não sei sorrir por me sentir assim tão só.
Mais uma vez, você se vai, tristeza vem pra mim.
Se eu tento fugir, diz que me adora, não me deixa sair, não vou embora, então fico a sorrir, mas não demora a dor no coração.
A solidão de novo vem pra mim.
É sempre assim.
Até que um dia possa me redimir
Por fim nessa paixão
E dominar de vez essa ilusão do coração

Audiência pública em Pau dos Ferros vai discutir greve na UERN



O comando de greve da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) participou às 10h00 de hoje de uma audiência pública na Câmara Municipal de Pau dos Ferros, onde foi discutida a paralisação dos servidores, que já chega há 37 dias. O objetivo da atividade é ampliar o debate com os parlamentares e a sociedade acerca das necessidades da instituição e de sua importância para o RN.
Antes da audiência, os grevistas se reuniram em frente à Casa de Cultura de Pau dos Ferros para um grande ato público em defesa da universidade, que contou com a participação de diversas representações sindicais e da sociedade civil organizada. A mobilização visa chamar a atenção de populares para pauta de reivindicação das categorias e o descaso com a instituição de ensino.
Para o Presidente da Associação dos Docentes da Uern (Aduern), Valdomiro Morais, a atividade será fundamental para os servidores. Ele ressaltou que a participação em audiências públicas já aconteceu em Mossoró e Natal, e em ambos os casos foi considerada um sucesso pelos grevistas.
“A nossa expectativa é que a atividade amanhã seja tão boa quanto as que foram realizadas em outras cidades. Pau dos Ferros sempre foi um município que recebeu o movimento grevista da Uern de braços abertos, contamos com a participação da sociedade nesta mobilização em defesa de nossa universidade”, afirmou Valdomiro.
CONTRAPROPOSTA Os servidores da Uern ainda aguardam pela contraproposta de realinhamento salarial, que está sendo formulada pelo Governo do Estado e a Reitoria da universidade. Os grevistas reivindicam, entre outras pautas, um reajuste de 57,53%, que a priori seria pago em quatro parcelas de 12,035%
Fonte: Portal da ADUERN

Dinheirama: Prefeitura de Olho D'água do Borges recebeu mais de 1 milhão de reais apenas de repasses federais no mês de junho/2015

Não estão inclusas as receitas de convênios de obras e os repasses das escolas e da saúde.

Clique Aqui e veja extrato bancário




Maquinário do PAC não pode realizar serviços na zona urbana do município, diz Portaria do MDA

Clique a seguir e acesse Portaria do Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA que disciplina o uso das máquinas do PAC.
Entretanto, o prefeito de Olho D'água do Borges usa e abusa do uso ilegal, inclusive em obras de empresas ganhadoras de licitações.

Deputado Beto Rosado no tradicional São Pedro de Riacho da Cruz

O deputado federal Beto Rosado prestigiou o tradicional São Pedro de Riacho da Cruz na noite do dia 28. Parlamentar  estava acompanhado da prefeita Bernadete Rego e do ex-prefeito Marcos Aurélio, ambos muito receptivos. Aproveitei a oportunidade para conversar com o deputado sobre a política de Olho D'água Borges, inclusive os pleitos institucionais junto ao Governo do estado. Veja imagens
Namorada de Betinho, prefeita Bernadete, deputado Beto, ex-prefeito Marcos Aurélio e o vereador Escolástico

Deputado Beto Rosado e o vereador Escolástico

Casal Escolástico-Welitânia


Welitânia e Tânia

Casal Toinho-Tânia

Tânia e Welitânia

Translate