16 junho 2019

Defesa de Lula diz que novas mensagens atribuídas a Moro revelam perseguição



A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a se manifestar depois que novas trocas de mensagens atribuídas ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, e procuradores da Lava Jato foram reveladas, na noite desta sexta-feira, 14, pelo site The Intercept Brasil. Em nota, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins dizem que as novas mensagens, “além de afastar qualquer dúvida de que o ex-juiz Sérgio Moro jamais teve um olhar imparcial em relação a Lula, mostram o patrocínio estatal de uma perseguição pessoal e profissional, respectivamente, ao ex-presidente e aos advogados por ele constituídos”.

“É estarrecedor constatar que o juiz da causa, após auxiliar os procuradores da Lava Jato a construir uma acusação artificial contra Lula, os tenha orientado a desconstruir a atuação da defesa técnica do ex-Presidente e a própria defesa pessoal por ele realizada durante seu interrogatório (10/05/2017)”, afirmam na nota os advogados de Lula.

De acordo com as supostas mensagens publicadas nesta sexta, o ex-juiz federal pediu aos procuradores em Curitiba que divulgassem uma nota à imprensa para responder ao que chamou de “showzinho” da defesa do ex-presidente Lula e apontar “contradições” do petista, após o depoimento prestado por ele no caso do tríplex do Guarujá (SP).

O pedido, de acordo com o site, foi feito por Moro ao então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima na noite do dia 10 de maio de 2017 – mesmo dia do depoimento prestado por Lula. O vídeo da audiência foi divulgado por decisão do próprio Moro, então magistrado da 13ª Vara da Justiça Federal no Paraná.

Os supostos diálogos, que envolvem também mensagens do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) em Curitiba, mostram que os procuradores acataram a sugestão do atual ministro para tirar o foco de Moro e protegê-lo. Segundo o site, as conversas ocorreram por meio do aplicativo Telegram e foram enviadas por fonte anônima.

“É inimaginável dentro de um Estado de Direito que o Estado-juiz e o Estado-acusador se unam em um bloco monolítico para atacar o acusado e seus advogados com o objetivo de impor condenações a pessoa que sabem não ter praticado qualquer crime”, continua a defesa de Lula na nota publicada neste sábado.

Segundo os advogados, tais fatos “reforçam o que sempre defendemos nos processos e no comunicado encaminhado em julho de 2016 ao Comitê de Direitos Humanos da ONU: Lula é vítima de ‘lawfare’ e o ataque aos seus advogados é uma das táticas utilizadas para essa prática nefasta”.

Também nesta sábado, o Ministério da Justiça afirmou que não confirma a veracidade das mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Por meio de nota, o ministério declarou que “não reconhece a autenticidade e não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas”.

A pasta reiterou, na nota, “a necessidade de que o suposto material, obtido de maneira criminosa, seja apresentado à autoridade independente para que sua integridade seja certificada.”

Estadão Conteúdo

Provérbio do dia


- Para criar inimigos não é necessário declarar guerra. Basta dizer o que pensa". (Lutter Kink




MAIS VAZAMENTO DA LAVA JATO: Sexta parte de vazamentos aponta Sergio Moro como coordenador da Lava Jato que perde em audiência nas redes sociais

O site Intercept Brasil, que vem apresentando conversas vazadas entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da Lava Jato, publicou a “Parte 6” da série que vem garantindo audiência em todo o país.

De quem está do lado de Moro e Dallagnol, e de quem está contra a força-tarefa da Lava Jato.

Um levantamento apontou placar desfavorável à força-tarefa, como publicou hoje no Globo o colunista Ancelmo Góis.





O lote inédito de diálogos aponta Sergio Moro como coordenador da operação.

Pelo que foi divulgado, Moro teria pedido aos procuradores para que eles divulgassem uma nota à imprensa para rebater o que ele chamou de ‘showzinho’ da defesa do ex-presidente Lula.

Abaixo trechos soltos da Parte 6 da série campeã de audiência, com trechos que estão na íntegra no link em seguida.







CLIQUE AQUI para ler a SEXTA publicação do Intercept Brasil.

15 junho 2019

Pagamento dos servidores do governo do RN amanhaceu hoje nas contas bancárias

Governo do RN creditou hoje o pagamento integral de algumas categorias e,  apenas 30% de quem ganha acima de R$ 5.000,00.
Crédito é referente ao mês de junho/2019.

FESTA JUNINA: Educandário desta cidade promove ARRAIÁ na noite de hoje na Praça de Eventos

A Festa junina será animada por trio 'pé de serra' e Fabiano Show.
Evento começa às  18h00 com quadrilhas para a criançada. Em seguida será a apresentação de Fabiano.

DOMINGO (16): Grande CAVALGADA JUNINA de Olho D'água do Borges. "Manifestação Cultural" integra o Calendário Oficial de Eventos deste Município

SECRETARIA DE TURISMO APOIA ESSA GRANDE MANIFESTAÇÃO CULTURAL
'SEMTUR' APOIA ESSA GRANDE MANIFESTAÇÃO CULTURAL
Cavalgada é uma manifestação cultural em forma de passeio, realizada por grupos de cavaleiros e amazonas, entre crianças e idosos.

PERSEGUIÇÃO A LULA: Sérgio Moro, enquanto julgava Lula, sugeriu à Lava Jato emitir uma nota oficial contra a defesa. Eles acataram e pautaram a imprensa


Um trecho do chat privado entre Sergio Moro e o então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima mostra que o ex-juiz pediu aos procuradores da Lava Jato uma nota à imprensa para rebater o que chamou de “showzinho” da defesa de Lula após o depoimento do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá. O conteúdo faz parte do arquivo As mensagens secretas da Lava Jato.

Os procuradores acataram a sugestão do atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, em mais uma evidência de que Moro atuava como uma espécie de coordenador informal da acusação no processo do triplex. Em uma estratégia de defesa pública, Moro concedeu uma entrevista nesta sexta-feira ao jornal o Estado de S. Paulo onde disse que considera “absolutamente normal” que juiz e procuradores conversem. Agora, está evidente que não se trata apenas de “contato pessoal” e “conversas”, como diz o ministro, mas de direcionamento sobre como os procuradores deveriam se comportar.

Eu topo

Juntamente com as extensas evidências publicadas pelo Intercept no início desta semana – em que Moro e Deltan conversam sobre a troca da ordem de fases da Lava Jato, novas operações, conselhos estratégicos e pistas informais de investigação –, esta é mais uma prova que contraria a tentativa de Moro de minimizar o tipo de relacionamento íntimo que ele teve com os promotores.

Ao contrário da defesa de Moro de que as comunicações eram banais e comuns – contendo apenas notícias e informações, mas não ajudando os promotores a elaborar estratégias (“existia às vezes situações de urgência, eventualmente você também está ali e faz um comentário de alguma coisa que não tem nada a ver com o processo”, disse ao Estadão) –, essas conversas provam que Moro estava sugerindo estratégias para que os procuradores realizassem sua campanha pública contra o próprio réu que ele estava julgando.

O showzinho da defesa

O episódio ocorreu em 10 de maio de 2017, quando Moro já presidia um processo criminal contra o ex-presidente no caso do “apartamentro triplex do Guarujá”. Eram 22h04 quando o então juiz federal pegou o celular, abriu o aplicativo Telegram e digitou uma mensagem ao Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba.

“O que achou?”, quis saber Moro. O juiz se referia ao maior momento midiático da Lava Jato até então, ocorrido naquele dia 10 de maio de 2017: o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele era acusado – e pelo qual seria preso – de receber como propina um apartamento triplex no Guarujá. Disponibilizado em vídeo, o embate entre o juiz e o político era o assunto do dia no país.

Seguiu-se o seguinte diálogo:



Além do depoimento, outro vídeo com Lula também tomava conta da internet e dos telejornais naquele mesmo dia. Depois de sair do prédio da Justiça Federal, o ex-presidente se dirigiu à Praça Santos Andrade, em Curitiba, e fez um pronunciamento diante de uma multidão. Por 11 minutos, Lula atacou a Lava Jato, o Jornal Nacional e o então juiz Sergio Moro; disse que estava sendo “massacrado” e encerrou com uma frase que entraria para sua história judicial: “Eu estou vivo, e estou me preparando para voltar a ser candidato a presidente desse país”. Era o lançamento informal de sua candidatura às eleições de 2018.

Um minuto depois da última mensagem, Moro mandou para o procurador Santos Lima:



Moro, o juiz do caso, zombava do réu e de seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa na imprensa.

As afirmações do então magistrado que o Intercept divulga agora contradizem também o que ele dissera horas antes a Lula, naquele mesmo dia do julgamento, publicamente, ao iniciar o interrogatório do petista: que o ex-presidente seria tratado com “todo o respeito”.

“Eu queria deixar claro que, em que pesem alegações nesse sentido, da minha parte não tenho nenhuma desavença pessoal contra o senhor ex-presidente. Certo? O que vai determinar o resultado desse processo no final são as provas que vão ser colecionadas e a lei. Também vamos deixar claro que quem faz a acusação nesse processo é o Ministério Público, e não o juiz. Eu estou aqui para ouvi-lo e para proferir um julgamento ao final do processo”, disse Moro.

“PQ RESOLVERAM FALAR AGORA? PQ ERA O EX-PRESIDENTE?”

Dez minutos depois da conversa com o então juiz, naquele 10 de maio, Santos Lima abriu o grupo Análise de clipping, em que também estavam assessores de imprensa do MPF do Paraná. Ele estaria em Recife no dia seguinte em um congresso jurídico.



Oito minutos depois, Santos Lima copiou a conversa que teve em seu chat privado com Moro – em que o juiz sugere a nota pública para apontar as contradições de Lula – e colou em outro chat privado, com o coordenador da Lava Jato no MPF, Deltan Dallagnol. Eram 22h38.

Àquele horário, os procuradores da força-tarefa discutiam num chat chamado Filhos de Januário 1 se deveriam comentar publicamente o depoimento de Lula. Às 22h43, Santos Lima escreveu no grupo, dirigindo-se a Dallagnol: “Leia o que eu te mandei.”. Ele se referia às mensagens que trocara com Moro. Três minutos depois, Dallagnol responderia em quatro postagens consecutivas no grupo:



Foi a vez então de Dallagnol mandar uma mensagem ao grupo Análise de clipping, dos assessores de imprensa.



O assessor de imprensa estranhou o pedido e alertou que poderia ser um “tiro no pé”.



O que os assessores não sabiam é que não era o MPF que queria influenciar o juiz, mas o juiz que estava influenciando o MPF. Três minutos antes de mandar essas mensagens ao grupo, Dallagnol havia escrito a Moro. Além de elogiá-lo pela condução da audiência, o procurador falou sobre a nota:



O pedido de Moro para apontar as contradições da defesa de Lula seria discutido no chat Filhos do Januário 1 até o fim da noite e também na manhã do dia seguinte, 11 de maio. E, finalmente, atendido.

Os procuradores, acatando a sugestão de Moro, distribuíram uma nota à imprensa, repercutida por Folha de S. Paulo, Estadão, Jovem Pan e todos os principais veículos e agências do país. As notícias são centradas justamente na palavra desejada pelo juiz: “contradições”.

Na nota, a força-tarefa expõe o que considera serem três contradições do depoimento de Lula e refuta diretamente uma alegação da defesa do petista, que os procuradores consideraram mentirosa.

Naquela noite, Dallagnol enviou uma mensagem a Moro para explicar por que não explorou a fundo as contradições do petista:



A RESPOSTA DO MINISTRO MORO AO INTERCEPT BRASIL

Nós procuramos a assessoria do ministro Sérgio Moro nesta sexta-feira e apresentamos com antecedência todos os pontos mostrados nesta reportagem. Recebemos como resposta a seguinte nota: “O Ministro da Justiça e Segurança Pública não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas, especialmente sem análise prévia de autoridade independente que possa certificar a sua integridade. No caso em questão, as supostas mensagens nem sequer foram enviadas previamente.”

Apesar de chamar as conversas de “supostas”, Moro admitiu, hoje, a autenticidade de um chat. Em uma coletiva, ele chamou de “descuido” o episódio no qual, em 7 de dezembro de 2015, passa uma pista sobre o caso de Lula para que a equipe do MP investigue.

Nós também entramos em contato com a assessoria do Ministério Público Federal do Paraná, que não respondeu.

Intercept Brasil

Relator da Reforma da Previdência derruba propostas de Bolsonaro nocivas à classe trabalhadora; confira

Confira as principais mudanças no relatório
Idade mínima para trabalhador urbano:
– Proposta do governo: a idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens após o período de transição, com tempo mínimo de contribuição de 20 anos para ambos os sexos.
– Relatório: idades mínimas mantidas, com tempo de contribuição de 20 anos para homens e 15 anos para as mulheres.
Regra de transição:
– Proposta do governo: no Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que abrange os trabalhadores do setor privado, a PEC prevê três regras de transição para o setor privado: sistema de pontos por tempo de contribuição e por idade, aposentadoria por tempo de contribuição para quem tem pelo menos 35 anos de contribuição (homens) e 30 anos (mulheres) e pedágio de 50% sobre o tempo faltante pelas regras atuais, desde que restem menos de dois anos para a aposentadoria. Para o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), dos servidores públicos, o texto estipula um sistema de pontuação que permitiria a aposentadoria a partir dos 61 anos para homens e 56 anos para mulheres. A partir de 2022, as idades mínimas subiriam para 62 anos (homens) e 57 anos (mulheres). Nesse caso, no entanto, os servidores receberiam um valor mais baixo. Os trabalhadores públicos que entraram até 2003 precisariam trabalhar até 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) para terem direito à integralidade (último salário da ativa) e paridade (mesmos reajustes salariais dos ativos).
– Relatório: o texto acrescentou uma regra de transição que valerá tanto para o serviço público como para a iniciativa privada. Os trabalhadores a mais de dois anos da aposentadoria terão um pedágio de 100% sobre o tempo faltante para terem direito ao benefício. No caso dos servidores públicos que entraram antes de 2003, o pedágio dará direito à integralidade e à paridade.
Aposentadoria rural:
– Proposta do governo: idade mínima de 60 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, com 20 anos de tempo de contribuição para ambos os sexos.
– Relatório: mantidas as regras atuais, com 55 anos para mulheres e 60 anos para homens, incluindo garimpeiros e pescadores artesanais. Apenas o tempo mínimo de contribuição para homens sobe para 20 anos, com a manutenção de 15 anos para mulheres.
Professores:
– Proposta do governo: idade mínima de 60 anos de idade para a aposentadoria de homens e mulheres, com 30 anos de tempo de contribuição.
– Relatório: idade mínima de 57 anos para mulheres e 60 anos para homens, com definição de novos critérios por lei complementar. Regra vale para professores do ensino infantil, fundamental e médio.
Capitalização:
– Proposta do governo: Constituição viria com autorização para lei complementar que instituirá o regime de capitalização.
– Relatório: proposta retirada.
Benefício de Prestação Continuada (BPC):
– Proposta do governo: idosos de baixa renda receberiam R$ 400 a partir dos 60 anos, alcançando um salário mínimo somente a partir dos 70.
– Relatório: proposta retirada, com manutenção de um salário mínimo para idosos pobres a partir dos 65 anos.
Abono salarial:
– Proposta do governo: pagamento restrito aos trabalhadores formais que ganham um salário mínimo, contra dois salários mínimos pagos atualmente.
– Relatório: pagamento aos trabalhadores de baixa renda (até R$ 1.364,43 em valores atuais).
Pensão por morte:
– Proposta do governo: pensão por morte começaria em 60% do salário de contribuição, aumentando 10 pontos percentuais por dependente até chegar a 100% para cinco ou mais dependentes. Retirada da pensão de 100% para dependentes com deficiências intelectuais ou mentais. Apenas dependentes com deficiências físicas receberiam o valor máximo.
– Relatório: mantém nova fórmula de cálculo, mas garante pensão de pelo menos um salário mínimo para beneficiários sem outra fonte de renda. Pagamento de 100% para beneficiários com dependentes inválidos (deficiência física, intelectual ou mental) e para dependentes de policiais e agentes penitenciários da União mortos em serviço.
Salário-família e auxílio-reclusão:
– Proposta do governo: pagamento restrito a beneficiários com renda de um salário mínimo.
– Relatório: pagamento a pessoas de baixa renda (até R$ 1.364,43 em valores atuais).
Reajuste de benefícios:
– Proposta do governo: eliminava trecho da Constituição que preservava a reposição das perdas da inflação.
– Relatório: manutenção do reajuste dos benefícios pela inflação.
Estados e municípios:
– Proposta do governo: PEC valeria automaticamente para servidores dos estados e dos municípios, sem necessidade de aprovação pelos Legislativos locais.
– Relatório: retirada de estados e municípios da PEC, com a possibilidade de reinclusão dos governos locais por meio de emenda na comissão especial ou no Plenário da Câmara.
Incorporação de adicionais:
– Proposta do governo: PEC não aborda assunto.
– Relatório: extensão aos estados e municípios da proibição de incorporar adicionais por cargo de confiança ou em comissão ao salário dos servidores, vedação que existe em nível federal.
Acúmulo de benefícios:
– Proposta do governo: limite para acúmulo de benefícios a 100% do benefício de maior valor, somado a um percentual da soma dos demais, começando em adicional de 80% para um salário mínimo e caindo para 0% acima de benefícios de mais de quatro salários mínimos. Médicos, professores, aposentadorias do RPPS ou das Forças Armadas ficam fora do limite por terem exceções estabelecidas em lei.
– Relatório: altera para 10% adicional para benefícios acima de quatro salários mínimos, mantendo os demais pontos.
Encargos trabalhistas:
– Proposta do governo: possibilidade de incidir desconto para a Previdência sobre vale alimentação, vale transporte e outros benefícios trabalhistas.
– Relatório: proposta retirada.
Aposentadoria de juízes:
– Proposta do governo: PEC não abordava assunto.
– Relatório: retirada da Constituição da possibilidade de pena disciplinar de aposentadoria compulsória para juízes.
Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT):
– Proposta do governo: PEC não abordava assunto.
– Relatório: repasse de 40% das receitas do FAT para a Previdência Social, atualmente esses recursos vão para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). *Agência Brasil

A HORA do TURISMO

A CAMPANHA

O conceito “A Hora do Turismo”, criado pelo Ministério do Turismo para marcar o momento positivo da indústria nacional de Viagens, é o mote da nova campanha publicitária da Pasta.
Desde o dia 1º de janeiro de 2019, o governo federal trabalha para converter o potencial turístico do Brasil em efetiva geração de empregos e renda para a população. As medidas incluem incentivos:
- à abertura de mercado, visando o aumento da competitividade do setor;
- à estruturação e qualificação da oferta turística;
- à promoção dos destinos;
- à parceria público-privado;
- à captação de investimentos e estímulo a novos negócios;
- e a ações que tornem o destino Brasil mais atrativo tanto para brasileiros quanto para estrangeiros.
No momento em que, pela primeira vez, o Turismo ocupa papel de destaque na agenda econômica do governo federal, o Ministério do Turismo acredita que o tempo do desenvolvimento chegou para o setor.

14 junho 2019

BOA NOTÍCIA PARA A EDUCAÇÃO: MEC propõe aumentar para 15% contribuição da União ao Fundeb

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, sugere aumentar contribuição. Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O MEC (Ministério da Educação) propõe aumentar a contribuição da União ao Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para 15%. Atualmente, a União contribui com 10%. O MEC defende que esse aumento seja feito progressivamente, até o sexto ano de vigência da nova regra, segundo nota da pasta.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, já havia antecipado que a pasta estudava o aumento da contribuição, mas esta é a primeira vez que uma porcentagem específica é apresentada.

O Fundeb é atualmente uma das principais fontes de financiamento para as escolas de todo o país. Corresponde a aproximadamente 63% dos recursos para financiamento da educação básica pública no Brasil, de acordo com o MEC.

A proposta foi apresentada por Weintraub e pelo secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, nessa quarta-feira (10), em reunião com parlamentares. Eles informaram que o aumento da contribuição da União está sendo discutida com o Ministério da Economia e com o Congresso Nacional.

“Não estamos trabalhando de maneira isolada nessas propostas. O MEC entende perfeitamente a qual contexto faz parte e a necessidade de ajuste nas contas públicas para que o país volte a crescer”, disse Vogel na nota.

Detalhes da proposta

O governo propõe que a contribuição da União aumente em uma escala progressiva de 1 ponto percentual por ano até o percentual de 15%, partindo do percentual mínimo de 10% no primeiro ano de vigência do novo fundo.

Se aprovada a proposta, o novo Fundeb passa a vigorar em 2021, e em 2022 a União complementará o montante com o equivalente a 11% do fundo. O valor máximo de 15% será atingido em 2026.

O MEC defende ainda que o valor a ser repassado por aluno matriculado na rede pública deve ser calculado a partir de uma base de dados disponível à União e operacionalizável anualmente. A sugestão é a troca do termo “valor aluno/ano total” por “valor aluno/ano calculado a partir dos recursos próprios”. Segundo a nota do MEC, isso faria com que houvesse uma “melhor delimitação metodológica da forma de distribuição da Complementação da União”.

Outro ponto defendido é a indução, pela União, da adoção de modelos de repartição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) voltados à qualidade da educação. Os modelos, segundo a pasta, levariam à busca por melhores resultados na gestão dos sistemas de ensino por parte dos estados e à melhoria da gestão, pelos municípios, desses sistemas.

Esse ponto vai ao encontro do que Weintraub já havia defendido anteriormente, de premiar as redes de ensino que tiverem melhores resultados educacionais.

Complementação da União


Pela legislação vigente, o Fundeb tem validade até o final de 2020. Para tornar o fundo permanente, propostas com conteúdos relativamente semelhantes tramitam tanto no Senado (PEC 33/2019 e PEC 65/2019), quanto na Câmara dos Deputados (PEC 15/2015).

O Fundeb é formado por dinheiro proveniente dos impostos e das transferências obrigatórias aos estados, Distrito Federal e municípios, os fundos de participação constitucionais. Além desses recursos, a União faz aporte complementar em alguns estados o que, no ano passado, representou R$ 13 bilhões. O recurso da União é repassado quando o valor por aluno no estado não alcança o mínimo definido nacionalmente, atualmente de R$ 3.016,17 ao ano.

A diferença entre as propostas que estão em tramitação no Congresso é o aumento da complementação da União que, em todas elas, passaria a colocar mais recursos no fundo. Pela proposta da Câmara, esse percentual passaria para 30% em dez anos. No Senado, a complementação chegaria a 30% em três anos ou a 40% em 11 anos, dependendo da proposta.

Proposta da Câmara

Na nota divulgada pelo MEC, Vogel disse que o ministério enxerga o texto que está sendo relatado pela deputada professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) como “bastante avançado tecnicamente e em convergência com o MEC”. A deputada foi uma das participantes da reunião desta quarta-feira (12).

Dorinha Seabra avalia como positiva a sinalização do governo de que quer ampliar os repasses. Ela disse, no entanto, que defenderá um percentual maior. A proposta da Câmara prevê o repasse do equivalente a 15% do fundo pela União já no primeiro ano de vigência da lei. A partir de então, o aumento seria de 1,5 ponto percentual, até chegar, em dez anos, a 30%.

“Hoje quem banca o Fundeb são estados e municípios. A União, que tem um papel constitucional supletivo e concentra a maior parte dos recursos, redistribui R$ 14,4 bilhões. Os estados redistribuem R$ 22 bilhões. A distância entre o investimento de estados e União é gigante”, disse.

Segundo a deputada, a intenção, ao aumentar os recursos repassados pela União, é que haja uma maior equidade entre todas as redes de ensino do país. “Hoje, tem município que conta com R$ 1,4 mil por aluno. O maior valor chega a quase R$ 20 mil por aluno, por ano. É um nível de distorção muito alto”.

Além de propor o aumento dos repasses, segundo Dorinha Seabra, os parlamentares irão apontar também de onde deverão vir esses recursos.

A proposta da Câmara é a que está mais avançada em termos de tramitação e discussão. A deputada disse que os parlamentares estão em contato com o governo para construir a melhor proposta. A intenção, segundo os parlamentares, é alinhar as propostas que tramitam em ambas as Casas.

R7, com Agência Brasil

Reitoria e pró-reitores conversam com Direção e Chefes de Departamentos do Campus de Patu



A Reitoria da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) realizou mais um momento de diálogo entre a gestão universitária e as unidades acadêmicas. Nesta quinta-feira (13), a direção e chefia de departamentos do Campus Avançado de Patu (CAP) apresentaram os avanços registrados nos últimos anos, bem como as principais demandas do Campus.

O reitor Pedro Fernandes falou sobre a importância do impacto da UERN no município de Patu, destacando as bolsas do PIBID, que distribui R$ 40 mil por mês entre os estudantes do Campus. “A maior contribuição da UERN em Patu é sem dúvidas a formação de nossos alunos, mas não podemos esquecer esse aspecto econômico”, ressaltou o reitor.

A diretora Cláudia Tomé iniciou agradecendo ao reitor Pedro Fernandes e à equipe de pró-reitores e assessores da Reitoria pelo empenho em sempre buscar resolver as demandas apresentadas pelo CAP.

“Hoje estou aqui muito mais para agradecer que para pedir. Toda a equipe tem feito o possível para atender nossas demandas. Temos crescido muito graças a uma equipe que está junto a mim, inclusive a equipe da Reitoria”, afirmou a diretora do Campus de Patu, referindo-se a climatização das salas de aula e ao reconhecimento dos cursos de Pedagogia, Matemática e Ciências Contábeis.

Entre as principais demandas apresentadas, a equipe do Campus de Patu apresentou questões de infraestrutura, transporte, biblioteca, auxílios e pós-graduação. Alguns questionamentos foram respondidos na própria reunião, e outros encaminhamentos serão apresentados posteriormente pelas pró-reitorias e assessorias.

As reuniões com as Faculdades e Campi Avançados atendem uma reivindicação do Fórum de Diretores e têm o objetivo de ampliar o diálogo entre a administração universitária e as unidades

'VAZAMENTO NA LAVA JATO': Não é só o caso Lula, todos os processos da Lava jato estão comprometidos, diz jurista

A jurista Carol Proner, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante da rede Juristas pela Democracia, classificou nesta terça-feira (11), como “completamente ilegal” a conduta do ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, nos processos da operação Lava Jato, como mostraram as revelações do site The Intercept. Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Proner diz que não apenas a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está comprometida, mas todos os processos da Lava Jato em Curitiba.
  
The Intercept divulga diálogos de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol que embasaram reportagem



O site The Intercept Brasil divulgou na noite desta quarta-feira(12) diálogos completos entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol que embasaram a reportagem.


Através do Twitter, Glenn Greenwald fundador do The Intecept afirmou que "todos os documentos, chats , áudios, vídeos, etc., são autênticos. A verdade sobre Moro, Deltan e outros está finalmente sendo revelada".


Veja AQUI matéria na íntegra.





  



Está no DCM


Não eram apenas Sergio Moro e seus subordinados no Ministério Público Federal em Curitiba que vazavam informações para os antas do site da Empiricus(O Antagonista).


Há indícios de que o Tribunal Regional Federal da 4a. Região também privilegiou os jornalistas (sic) da organização com informações que deveriam ser mantidas sob sigilo.


Foi em 24 de janeiro de 2018, quando o TRF-4 confirmou a sentença de Sergio Moro e tirou Lula da disputa eleitoral.


Às 8:17, quando ainda não havia iniciado a sessão, o site Antagonista postou uma nota com informações que só poderiam ter sido vazadas por quem já conhecia o resultado do julgamento:


“Dos resultados possíveis no julgamento de hoje, há um cenário novo: a possibilidade de Gebran Neto aumentar a pena de Lula.


Os votos de Victor Laus e Leandro Paulsen seriam idênticos, mantendo a sentença de primeira instância”.


Foi exatamente o que aconteceu, conforme se divulgaria no final da tarde, quando a sessão terminou: Gebran aumentou a pena de Lula de 9 anos e seis meses para 12 anos e um mês de prisão, e os votos de Victor Laus e Leandro Pausen foram idênticos.


Os antas do site tinham bola de cristal? Deram o chute certo? Claro que não. Alguém vazou. Resta saber se foi alguém da Vara de Moro, para a qual o resultado do TRF-4 também teria sido vazado, ou se foi alguém do próprio tribunal.


Só peixe graúdo é que tem informação desse tipo.

Caso Neymar: ‘Querem passar que Najila é louca, mas não vão conseguir’, diz quarto advogado da modelo

Foto: Reprodução / SBT

O advogado baiano Cosme Araújo afirmou nesta quinta-feira que assumiu a defesa da modelo Najila Trindade, de 26 anos. Ele é o quarto defensor da jovem desde que a acusação de estupro contra Neymar veio à tona, em 1º de junho. Em entrevista ao GLOBO na manhã desta quinta-feira, Cosme disse que sua cliente não tem motivos para mentir e que não vai aceitar provocações de assessores do atacante da Seleção, que prestará depoimento na tarde desta quinta-feira em São Paulo .

— Ela (Najila) perdeu a confiança nos outros advogados. Houve muito vazamento. Parece que eles querem passar para o mundo que ela é uma bandida ou é louca. Mas não vão conseguir. Querer é uma coisa, conseguir é outra — disse Cosme. — Pensa bem: se estivesse mentindo, ela não teria por que insistir tanto na acusação.

Embora a polícia de São Paulo ainda não tenha recebido a procuração de Cosme e ele não tenha se encontrado com a modelo presencialmente, o advogado afirma que está conversando com Najila “três, quatro vezes por dia” e está se inteirando do caso. Ele disse que não conseguirá viajar a São Paulo nesta quinta-feira para acompanhar o depoimento do atacante à polícia.

Questionado sobre o fato de que a modelo não entregou para a polícia até hoje o vídeo de sete minutos que poderia comprovar as agressões de Neymar , Cosme respondeu que não comentaria o assunto porque isso faz parte do “sigilo profissional” entre advogado e cliente.

O primeiro representante da modelo foi José Edgard Bueno, acionado por ela logo após o retorno de Paris, onde se encontrou com Neymar. Bueno orientou sua cliente a buscar um acordo de reparação com o jogador, mas a estratégia não deu certo. Embora sustente que queria apenas que o atleta pagasse o tratamento psicológico e danos morais sofridos por Najila, Bueno foi acusado por Neymar pai de tentativa de extorsão. Ele reagiu dizendo que o pai do jogador fez uma armadilha .

Bueno saiu do caso em 1º de junho, depois que a modelo registrou a acusação de estupro na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo, contrariando sua orientação.

A defesa passou a ser feita, então, por Yasmin Abdalla. Menos de uma semana depois, no dia 6 de junho, Yasmin deixou o caso e o repassou para um amigo, Danilo Garcia de Andrade, que acompanhou Najila durante o depoimento à polícia na sexta-feira da semana passada.

Andrade abandonou a defesa na segunda-feira . Segundo ele, a modelo quebrou sua confiança ao não entregar para os investigadores o vídeo que teria feito de Neymar, como prometera no depoimento, e ao sugerir que o próprio advogado estaria por trás do sumiço do seu tablet. Andrade disse que não tem como defender “alguém que não entrega provas”.

Em entrevista ao SBT na segunda-feira, Najila voltou a dizer que não sabia onde estava o tablet e sugeriu que a polícia estava “comprada” para não ajudá-la. A declaração motivou o registro de um boletim de ocorrência contra a modelo pela própria polícia, que acusa a jovem de difamação .

Morador de Ilhéus (BA), Cosme disse que chegou a Najila por intermédio do pai da modelo, que é seu amigo, “um ex-policial militar, evangélico, uma pessoa muito querida”, que vive em Ibirataia, também no interior da Bahia. Nas últimas eleições, Cosme concorreu a uma vaga de deputado federal pelo PDT. Recebeu 17.044 votos, mas não foi eleito. Dois anos antes, ele havia ficado em quarto colocado na eleição para prefeito de sua cidade, com 9.127 votos.

Sobre a estratégia que deve atuar para defender a modelo, o advogado prometeu ser ético, sem levar desaforo para casa:

— Vamos respeitar o lado do acusado, vamos trabalhar com lisura. Mas não vamos aceitar provocação do outro lado. Toda ação tem uma reação.

O Globo

Regiões Turísticas

As regiões turísticas são territórios que possuem características similares e/ou complementares e aspectos em comum (identidade histórica, cultural, econômica e/ou geográfica). Geralmente esses territórios são compostos por vários municípios.

Esses municípios se articulam, normalmente em uma instância de governança regional, para desenvolver o turismo de forma conjunta; regionalizada. Numa região podem existir municípios que não recebem turistas, mas que se beneficiam da atividade pelo fornecimento de produtos e serviços. A lógica do Programa de Regionalização do Turismo pressupõe que trabalhar o turismo de forma integrada, regionalizada e cooperada é mais vantajoso para a região, pois o turista é estimulado a permanecer mais tempo na região, gerando mais recursos para os municípios envolvidos.

Alguns estados, por já trabalharem a regionalização do turismo mesmo antes do Programa, adotam outras nomenclaturas para as regiões turísticas, como circuitos, zonas, polos. O Ministério do Turismo respeita essas nomenclaturas e utiliza a expressão “região turística” como uma nomenclatura de referência nacional, mas considera o conceito de território para todas essas áreas.

O que é e para que serve uma Instância de Governança Regional?


O modelo de gestão do Programa de Regionalização é descentralizado para as Unidades da Federação (estados e Distrito Federal), regiões e municípios. Diante disso, para as regiões turísticas o Ministério do Turismo propôs a criação de Instâncias de Governança Regionais.

A Instância de Governança Regional é uma organização com participação do poder público, do setor privado e de outras entidades representativas do turismo dos municípios componentes das regiões turísticas, com o papel de coordenar o Programa em âmbito regional. Elas passam a ser responsáveis pela definição de prioridades, pela coordenação das decisões a serem tomadas, pelo planejamento e execução do processo de desenvolvimento do turismo na região turística. Essa instância pode, dentre outros formatos, ser um conselho, um fórum, um consórcio regional de municípios.

13 junho 2019

REFORMA DA PREVIDÊNCIA DE BOLSONARO: Professor vai se aposentar aos 60 anos e a professora aos 57 anos

Redução de Idade é apenas para os professores e as professoras da educação básica

Professores da educação básica poderão se aposentar com 60 anos, se homem, e 57 anos, se mulher

O substitutivo do relator da reforma da Previdência (PEC 6/19), deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), prevê que o servidor federal poderá se aposentar voluntariamente aos 65 anos, se homem, e aos 62 anos, se mulher, desde que tenha completado pelo menos 25 anos de contribuição, 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo em que se dará a aposentadoria. A aposentadoria compulsória continuará aos 70 ou 75 anos, conforme a Lei Complementar 152/15.

Os professores da educação básica poderão se aposentar aos 60 anos de idade, se homem, e 57 anos, se mulher. O texto original do Executivo previa 60 anos para todos, nos setores público e privado. Ambos terão de pagar pelo menos 25 anos de contribuição, mais 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo em que se dará a aposentadoria.

O valor da aposentadoria dos servidores públicos corresponderá à média dos salários de contribuição para qualquer regime, partindo de um mínimo de 70% aos 25 anos de contribuição. A esse percentual serão acrescidos dois pontos percentuais para cada ano, até o limite de 100% a partir de 40 anos de contribuição.

O valor dos proventos de aposentadoria não poderá ser inferior ao salário mínimo nem superior ao limite máximo (teto) estabelecido para o Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Os proventos serão reajustados pelos mesmos critérios do RGPS, que hoje usa a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Regras de transição
É assegurada para os atuais servidores, com critérios cumulativos que consideram idade mínima e tempo de contribuição mais 20 anos de efetivo exercício e 5 anos no último cargo. Para os homens, serão necessários 35 anos de contribuição; para as mulheres, 30. A idade mínima para eles será 61 anos e subirá para 62 em 2022; para elas, 56 inicialmente e depois 57. O cálculo dos benefícios de aposentadoria seguirá a regra da média aritmética de todos os salários.

O substitutivo apresenta uma nova regra de transição em relação ao texto original do Executivo, desde que seguidos, cumulativamente, os requisitos mínimos. Os atuais servidores terão como opção aposentar-se cumprindo um pedágio de 100% do tempo de contribuição que faltar na data da promulgação da futura emenda constitucional.

A proposta contempla ainda um sistema de pontos que combina a idade com o tempo de contribuição. Para os homens, a pontuação mínima para se aposentar começa em 96 e aumenta em 1 a cada ano, chegando a 105. No caso das mulheres, o mínimo parte de 86 e vai subindo 1 ponto até alcançar 100.

Os servidores que ingressaram antes de 2003, que atualmente podem se aposentar com direito a benefício igual ao último salário e paridade com reajustes da ativa, só assegurarão essas condições se permanecerem trabalhando até os 65 anos, se homem, ou 62 anos, se mulher. No caso dos professores de ambos os sexos, só aos 60 anos.

Continua:
Relator da reforma da Previdência sugere nova regra de transição
Regra geral exige cumulativamente idade mínima e tempo de contribuição para aposentadoria

Clique AQUI e veja mais...
Substitutivo prevê alíquota progressiva para contribuição previdenciária

ADUERN Convoca Docentes para a Greve Geral da Classe Trabalhadora, 14 de junho


A ADUERN convoca toda a categoria a participar da Greve Geral da classe trabalhadora brasileira, na próxima sexta-feira, dia 14. Em Mossoró, a manifestação será realizada a partir das 15h com concentração na Igreja Católica do Alto de São Manoel. Orientamos que os docentes lotados nos campi procurem a representação local da ADUERN para maiores informações acerca das manifestações nas demais localidades.

ESQUENTA - ADUERN, ADUFERSA, SINDPREVS, SINTEST, e SINASEFE realizam na sexta (14) às 8h, um esquenta para a greve geral. O esquenta será realizado na sede da ADUERN e contará com uma roda de conversa sobre a importância da defesa da Previdência Pública, além de um café da manhã para os presentes e uma apresentação musical do sanfoneiro Severo Ricardo.

PERDENDO A PACIÊNCIA: Fórum de servidores do Governo do RN ameaça com paralisações

Os servidores públicos estaduais também reivindicam do governo do Estado o mesmo tratamento dado aos membros dos órgãos autônomos – reajuste salarial de 16,38%, vez que há pelo menos dez anos estão sem reposição dos índices inflacionários aos salários. Por conta disso, o Fórum Estadual dos Servidores já encaminhou aos sindicados pela realização de assembleias que deliberem, na primeira quinzena de julho, sobre indicativos de greves, caso o governo também não apresente um calendário de pagamento das folhas de julho até dezembro de 2019 e da quitação das folhas salariais em atraso – parte do 13° salário de 2017 e as folhas de novembro e dezembro e 13º de 2018.

Os servidores estavam frustrados porque a audiência que teriam com a governadora Fátima Bezerra (PT), na tarde de ontem, terminou sendo adiada, porque a chefe do Poder Executivo permanecia em Brasília, onde ela participou da reunião dos governadores que discutiu a reforma da previdência e aproveitou para visitar Ministérios em busca de recursos para o Rio Grande do Norte.

Representantes do Fórum dos Servidores foram ontem até a Governadoria e após um protesto dos dirigentes sindicais. Ficou marcada com o Gabinete Civil uma nova data para a audiência com a governadora para às 11 horas do dia 26. Policiais e bombeiros militares têm um indicativo de paralisação de suas atividades a partir das 8 horas desta segunda-feira (17). Ao invés dos praças se apresentarem nos quartéis, vão montar vigília em frente à Governadoria, no Centro Administrativo de Lagoa Nova, em protesto pelo não pagamento dos salários atrasados e falta de atualização salarial, que segundo o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), Eliabe Marques, tem uma defasagem de 60,49%.

Além disso, Marques disse que os praças pedem o pagamento das promoções já efetivadas (abril, agosto e dezembro de 2018) e cobram a efetivação das promoções referente a 21 de abril e ainda a atualização dos níveis remuneratórios. “Temos ainda o pior salário inicial da Federação na carreira policial, e uma diferença extrema entre as demais forças de segurança”, diz ele.

Click aqui e veja a matéria completa: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/sem-equiparaa-a-o-fa-rum-ameaa-a-com-paralisaa-a-es/450945

TRIBUNA DO NORTE

TURISMO: Onze estados brasileiros tiveram crescimento no número de turistas internacionais


 OLHO D'ÁGUA DO BORGES: "MUNICÍPIO DO MAPA DO TURISMO BRASILEIRO"
Os dados fazem parte do Anuário Estatístico 2019, lançado nesta semana pelo Ministério do Turismo com base em informações da Polícia Federal


Marco zero, em Recife. Pernambuco foi o estado com o maior crescimento de turistas estrangeiros em 2018. Crédito: Bruno Lima/MTur

Todas as regiões do país registraram estados em que a entrada de turistas estrangeiros cresceu. Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo demonstraram alta no número de viajantes internacionais em 2018. Os dados fazem parte do Anuário Estatístico do Turismo, divulgado pelo Ministério do Turismo nesta semana, com base em informações da Polícia Federal. No cenário nacional, também houve crescimento de 0,5% em relação a 2017, com 32.606 turistas internacionais a mais em destinos brasileiros.

Pernambuco (45,7%), Minas Gerais (44,8%), Ceará (44,1%) e Amapá (31,2%) correspondem aos estados que mais registraram crescimento de turistas internacionais no ano passado, se comparado com 2017. Na linha de frente, São Paulo (2,2 milhões), Rio de Janeiro (1,3 milhão) e Rio Grande do Sul (1,1 milhão) ainda permanecem como os que mais recebem estrangeiros no país.

Do Nordeste, Bahia e Pernambuco correspondem aos estados que mais tiveram crescimento nas chegadas de turistas de outros países. Na região Norte, Amazonas e Amapá são os destaques na demanda turística internacional. No Sudeste, São Paulo e Rio de Janeiro; na região Sul, Rio Grande do Sul e Paraná; e no Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal. CONFIRA O ESTUDO NA ÍNTEGRA

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, os dados configuram um excelente termômetro para as ações que o Ministério vem implementando ao longo dos cincos meses de gestão. Este crescimento, fora do eixo São Paulo-Rio de Janeiro, demonstra um avanço na diversificação e qualificação da oferta turística de outros estados, melhorias na infraestrutura da região e ações de promoção.

“No fundo, o ponto central é a priorização do turismo brasileiro nos municípios e estados em uma gestão integrada e uniforme. Nesse sentido, vivemos um momento único, que oferece uma excelente oportunidade ao nosso país. O presidente Jair Bolsonaro tem colocado o setor de viagens no centro da agenda estratégica do Brasil e temos atacado gargalos históricos para o setor como a isenção do visto e a abertura do mercado às companhias aéreas internacionais. Tudo isso contribui para estes resultados”, ressalta o ministro.

MEIOS DE TRANSPORTE E PAÍSES DOS TURISTAS – O estudo também contemplou os principais países emissores de turistas estrangeiros para cada estado, além do meio de transporte mais utilizado. O modal aéreo ocupa a 1ª posição no Amazonas, Bahia, Ceará, DF, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Norte. Já o meio terrestre lidera as chegadas de viajantes estrangeiros no Acre, Paraná, Rio Grande do Sul, Roraima e Mato Grosso do Sul. No segmento marítimo, Amapá aparece como o estado que mais contabiliza chegadas internacionais pelo meio fluvial.

Estados Unidos aparecem como um dos principais países emissores de turistas para os estados do Amapá, Amazonas, Distrito Federal e Minas Gerais. Já na América do Sul, Argentina ocupa a primeira posição na Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio Grande do Norte.

Ainda sobre este recorte, os turistas do Peru e da Bolívia são os que mais visitam o Acre. França também está fortemente presente no Amapá, no Pará e no Ceará. A Venezuela aparece com um dos principais emissores no Amazonas e Roraima, por conta da proximidade de fronteiras, assim como acontece com Argentina e Paraguai no estado do Paraná e com a Bolívia e Paraguai no Mato Grosso do Sul.

Suriname aparece como um dos principais emissores no estado do Pará, única aparição do país. Na mesma leva, Chile está entre as nacionalidades que mais enviam turistas para o Rio de Janeiro e Santa Catarina; Portugal para a Bahia e Rio Grande do Norte, e a Itália para o Ceará e Pernambuco.



Edição: Darse Júnior

'CAVALGADA' DE OLHO D'ÁGUA DO BORGES SERÁ A MAIOR FESTA QUE ANTECEDE OS FESTEJOS JUNINOS LOCAL E REGIONAL; VEJA PROGRAMAÇÃO


Neste domingo, 16 de junho, todos os caminhos levam à cidade de Olho D’água do Borges, onde acontecerá a tradicional VII Grande Cavalgada Junina Mardonio de Alencar Fernandes, que reúne centenas de cavaleiros e amazonas de diversas cidades da nossa região.

A concentração do evento começa logo cedo no Posto de Petro, (Trevo de Rafael Godeiro), onde será servido o café da manhã e saida prevista para às 9:00hs. Terá um bate sela no Parque de Vaquejada de Berg de Pompeu e chegada no bar de Junior bala às 13:00hs, onde será servido almoço e muito forró com Romulo Salles e Ismael Sanfoneiro.

O evento é realizado pela Comissão Junina de Cavalgada e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Olho D’água do Borges e patrocinadores locais e das cidades vizinhas.

De acordo com a Comissão Organizadora, os preparativos finais já estão prontos e várias comitivas de diversas cidades já confirmaram presença. “Quem vem para esta Cavalgada pela primeira vez, jamais deixará de retornar na edição seguinte, é um grande momento de entretenimento, novas amizades e satisfação entre todos”.


A cavalgada esse ano será cadenciada pelo grande poeta das cavalgadas, o amigo Lalauzinho de Lalau, com muito verso prosa e poesia.

É show papai!!!! 

Com Informações do Blog do Gilberto Dias

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: Relator deixa Estados e Municípios de fora da PEC, mas poderão ser reincluídos por acordo


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, informou que estados e municípios devem ficar de fora do relatório da reforma da Previdência (PEC 6/19), cuja apresentação está prevista para amanhã (13), mas poderão ser reincluídos se houver acordo com os governadores sobre o texto.

Segundo Maia, a ideia é que durante a votação seja apresentada uma emenda com a reinserção. O presidente destacou que ainda é preciso negociar pontos divergentes na proposta.

“Nós temos interesse de manter estados e municípios, mas é uma questão política: o relatório vem sem estados e munícios e temos até a primeira semana de julho no Plenário para reincluir com o acordo que estamos construindo com os governadores para que todos os problemas previdenciários estejam resolvidos”, disse Rodrigo Maia.

Responsabilidade dividida

Caso os estados e municípios fiquem mesmo de fora da Reforma da Previdência (PEC 6/19), cuja apresentação está prevista para amanhã (13), o Rio Grande do Norte terá um grande abacaxi.

Aqui, a Previdência também é um problema.

Precisa de uma reforma urgente.

E – como deverá ocorrer – será um problema maior para os deputados estaduais.

Em Brasília, o clima é que os deputados federais e senadores não querem assumir sozinhos o ônus da Reforma.

Ou seja…ideal é dividir a responsabilidade com os governadores, prefeitos e deputados estaduais.

E assim, evitar o efeito ‘Rogério Marinho’, como diz a coluna do Estadão de hoje. Que perdeu a disputa em 2018, após ter sido o relator da Reforma Trabalhista.

FUTEBOL: Abertura da Copa América terá 10 minutos de duração e muita tecnologia

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Com 400 pessoas em cena, 100 músicos e muita tecnologia, a cerimônia de abertura da Copa América vai mostrar o sonho de 12 crianças, cada uma representando um dos países que participarão da competição. Segundo os organizadores da Copa, a história das crianças será contada em duas partes: a primeira, no início, e a segunda, no encerramento da cerimônia, que terá início as 21h10 de sexta-feira (14), no estádio do Morumbi, em São Paulo.

“É a primeira vez, em grandes eventos, que a gente conta [uma história] neste formato [dividida em duas partes]. Desta vez, o Brasil, como anfitrião, convida toda a América do Sul para contar uma história juntos. Os protagonistas serão os 12 países juntos, com os dois convidados [Japão e Catar]”, disse o diretor artístico da cerimônia, Edson Erdmann. “A plateia do estádio vai participar e vai contar a história junto”, ressaltou.

Erdmann lembrou que os espetáculos que abriram a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016, contaram a história do Brasil. “Agora teremos ancestrais de todos os países convidados e vamos contar a história da América do Sul”, afirmou.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, escrita por Rafinha RSQ, Léo Santana, Karol G e Ovy On the Drums. A canção, que será interpretada por Léo Santana e pela colombiana Karol G, mistura o swing latino e o funk.

A organização ainda não sabe quantos chefes de Estado vão participar do jogo de abertura da Copa América, entre Brasil e Bolívia. Até este momento, apenas o presidente Jair Bolsonaro e o emir do Qatar, Tamim bin Hamad al Thani, confirmaram presença.

Das 12 seleções que vão participar do evento, oito já estão no Brasil, e duas chegam hoje (12): Peru e Japão. As equipes do Paraguai e do Uruguai chegam amanhã (13).

Os portões do Morumbi serão abertos quatro horas antes do início do jogo entre Brasil e Bolívia, marcado para as 21h30. A dica é que as pessoas usem o transporte público e cheguem cedo ao estádio, já que será proibido circular de carro dentro da área de segurança estabelecida ao redor de cada um dos estádios.

Ingressos

O diretor-geral do Comitê Organizador Local, Segundo Agberto Guimarães, informou que torcedores de mais de 117 países adquiriram ingressos para a Copa América no Brasil. Segundo Guimarães, té este momento, mais de 65% dos ingressos foram vendidos, mas a expectativa é de aumento do volume de vendas com o início da competição.

“Greve geral”

Quanto à “greve geral”, convocada para esta sexta-feira, dia de abertura da Copa América, Agberto Guimarães, informou que a organização do evento acompanhará de a possível paralisação. “O que posso dizer é que nossas áreas de operação e segurança têm trabalhado em parceria com as instituições governamentais. As ações que devem ser tomadas, devem ser tomadas pelos entes públicos. Não temos autoridade para impedir nada disso. Vamos acompanhar de perto, em parceria. E esperar que tudo aconteça de forma pacífica, sem nenhum problema.”

Competição

A 46ª Copa América, que reúne 12 seleções, será disputada em cinco cidades: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O Brasil está no Grupo A e enfrentará as seleções da Bolívia, Venezuela e Peru. O Grupo B é formado pelas equipes da Argentina, da Colômbia, do Paraguai e do Catar. Fazem parte do Grupo C o Uruguai, o Equador, o Chile e o Japão.

O atual campeão é o Chile. O Brasil obteve seu último título na Copa América em 2007, na Argentina.

Mascote

A mascote da competição é uma capivara, Zizito, cujo nome recebeu 65% dos votos em uma consulta nas redes sociais. A outra opção de nome, Capibi, ficou com 35% da preferência dos internautas.

Nesta quarta-feira, os artistas Léo Santana e Karol G, que interpretarão a música-tema da Copa América na cerimônia de abertura, e o ex-lateral da Seleção Brasileira Cafu, posaram no Morumbi, com a mascote, cujo nome homenageia o maior artilheiro da história da competição, Zizinho, que fez 17 gols e divide a liderança com o argentino Norberto Méndez.

Agência Brasil

Translate