11 maio 2021

ELEIÇÕES 2022: Surgem nomes frágeis políticamente para disputar o governo do RN contra a governadora Fátima Bezerra, que terá um aliado de peso: LULA

 Fátima não teve esse aliado em 2018.

O cenário eleitoral de 2022 no Rio Grande do Norte começa a se desenhar.

Até então apontada como sem adversários na disputa pelo governo do Estado, a chefe do executivo, Fátima Bezerra, que vai disputar reeleição, começa a enxergar os nomes com quem poderá concorrer no próximo ano.

O deputado estadual Tomba Farias, do PSDB, já confirmou que toparia entrar na disputa pelo cargo máximo do Estado.

Tomba foi prefeito de Santa Cruz por dois mandatos e se elegeu deputado, exercendo hoje o terceiro mandato.

Começou no MDB e antes de se filiar ao PSDB passou pelo PTB e PSB.

Em Santa Cruz elegeu como prefeita a esposa Fernanda Costa (MDB), que foi afastada do cargo.

Com discurso de oposição ao governo na Assembleia, Tomba pode ser o nome que o ministro Rogério Marinho vem procurando para comandar o palanque onde ele poderá ser candidato a senador.

O PSDB é comandado no Rio Grande do Norte pelo presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira, e em Natal pelo prefeito Álvaro Dias.

Outro nome que vem surgindo no cenário de disputa pelo governo do Rio Grande do Norte é o do senador Styvenson Valentim, do Podemos.

Presidente da legenda que assumiu depois de ter siro eleito pela Rede Sustentabilidade, Styvenson não tem uma prefeitura sequer comandada pelo seu partido.

Nas Câmaras de municípios com maior número de eleitores, o Podemos elegeu no ano passado apenas um vereador em Mossoró, com 1.740 votos.

E em uma busca aleatória em município menores, também não se encontra representantes do Podemos.

O que mostra que o senador, presidente do Podemos, não trabalhou pelo crescimento do partido no Rio Grande do Norte, o que é importante para eleger um governador, muito embora o parlamentar não considere importantes e fundamentais para uma eleição, apoios de prefeitos e vereadores. A campanha vitoriosa para o Senado não teve esses apoios.

Todo mundo sabe que todo mundo sabe que eleição para governador é diferente, tem perfil diferente, mas Styvenson não parece preocupado com isso.

O senador nem diz que vai disputar o governo e não nega quando alguém diz.

Eis o quadro atual da disputa majoritaria no Rio Grande do Norte no próximo ano.

A governadora Fátima, que passa a ter concorrentes, ganha também um aliado forte, com quem não contou em 2018 quando se elegeu: o ex-predidente Lula.

Em 2018 Lula estava preso e enfrentava um cenário quase que 100% desfavorável ao seu futuro político e até de vida.

O tempo passou, a política ganhou cenários desoladores no Brasil e Lula ressurgiu das cinzas, com a Corte máxima da justiça brasileira dando ao ex-presidente o aval para disputar eleições no próximo ano, e com um detalhe: a mesma Corte que lhe devolveu a elegibilidade, botou no canto da parede o juiz que o acusou e condenou.

O jogo virou.

Com o jogo virado no plano nacional, Lula, que no Nordeste e no Rio Grande do Norte, tem mais simpatia eleitoral do que o presidente Bolsonaro, poderá ser o cabo eleitoral que Fátima não teve em 2018, mas se elegeu.

Entre os nomes que estão na lista para disputa pelo governo do RN em 2022, Tomba e Styvenson seguem o discurso de Bolsonaro.

Fátima continua levantando a bandeira de Lula.

O jogo tá quase pronto para ser jogado.

Com Informações do Blog de Thaisa Galvão e retificação no Título de autoria deste Blog. 

DESTE BLOG: Tem um provável candidato que poderá TOMBAR antes das convenções.

 

0 comentários:

Postar um comentário

Translate