14 março 2021

Ministro da Saúde a estados: contratos de Pfizer e Janssen serão assinados semana que vem

Em reunião com governadores do Nordeste na manhã deste sábado (13), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que serão assinados na próxima semana os contratos do governo para a compra das vacinas da Pfizer e da Janssen. Técnicos do ministério confirmaram à CNN a previsão feita por Pazuello aos governadores. Auxiliares do ministro trabalham, inclusive, com a possibilidade de que os contratos com as farmacêuticas sejam fechados já na segunda-feira (15).

No início do mês, a pasta registrou a intenção de compra das vacinas. No dia 3, no Diário Oficial da União, foram publicadas as dispensas de licitação para a aquisição de 100 milhões de doses da Pfizer, e de 38 milhões da Janssen. Os comunicados também informaram que o quantitativo das duas empresas será entregue até dezembro deste ano.

No encontro desta manhã, Pazuello disponibilizou um calendário atualizado da distribuição de vacinas. O documento, confirma informação divulgada pela CNN na última segunda (8): a antecipação em três meses da entrega de todas as 100 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 que serão compradas pelo Brasil.

Segundo o cronograma, 1 milhão de doses serão entregues até o dia 30 de abril; 2,5 milhões até 31 de maio; 10 milhões em junho e mais 10 milhões em julho; 30 milhões até o fim de agosto; e, em setembro, 46,5 milhões. O novo calendário também já coloca a Sputnik V no campo de ‘vacinas contratadas’.

No encontro deste sábado, o Consórcio de governadores do Nordeste e o Pazuello definiram que as 37 milhões de doses do imunizante Sputnik V negociadas pelo grupo serão incorporadas ao Plano Nacional de Imunização coordenado pelo governo federal. O Ministério da Saúde se comprometeu a efetuar o pagamento do contrato que será fechado pelos governadores.

Cada dose custará US$ 9,95 (R$ 55,25 na cotação atual).Segundo governadores disseram à CNN, Pazuello também disse esperar que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dê aval ao uso emergencial da vacina russa nesta semana. A agência aguarda, no entanto, desde janeiro a atualização dos dados da União Química sobre a vacina da Rússia.

A Anvisa considerou incompletas as informações apresentadas no pedido para uso emergencial, feito em 15 de janeiro.Se tiver aval da Anvisa, a expectativa dos governadores é a de que as primeiras doses da Sputnik V sejam entregues em abril –num lote de 1,9 milhão de doses.

Durante o encontro com Pazuello, os governadores fizeram questão de deixar claro que a prioridade é o Plano Nacional de Imunização. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B0, sugeriu, inclusive, uma regulamentação da lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro que permite que Estados e municípios comprem vacinas.

A sugestão de Dino foi para que haja um dispositivo na lei que obrigue Estados e municípios a comunicar o Ministério da Saúde sobre qualquer intenção de compra de vacinas. A ideia, segundo o governador, é que a pasta possa fazer a opção de fechar tal contrato e, acima de tudo, seja informada sobre os imunizantes que estão sendo adquiridos.

Dino disse à CNN que a priorização do Plano Nacional de Imunização é fundamental para evitar que se crie no país uma disputa pelas vacinas, onde os Estados mais ricos sairão sempre à frente. “Não se pode criar brasileiros de classe 1 e de classe 2”, afirmou.

CNN BRASIL

 

0 comentários:

Postar um comentário

Translate