25 maio 2021

Ex-ministro Pazuello dará explicações ao Exército; Alto Comando quer "punição exemplar"

Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello durante o depoimento à CPI da Covid, no Senado Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Lucas Valença

Colaboração para o UOL, em Brasília

Ao acompanhar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um passeio de motocicleta com apoiadores na cidade do Rio de Janeiro, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello pode ser punido pelo Exército com uma simples advertência ou com a penalidade mais grave, o "licenciamento e a exclusão" do militar da Força.

Por mais que seja improvável, a punição de expulsão pode ser aplicada contra o general que participou de um "ato político", algo vedado pelo regulamento interno do Exército. Ao subir no carro de som, Pazuello cometeu um ato classificado pelo código como "grave".

 Clique AQUI e Veja matéria completa

 

Ontem à noite, em um grupo de mensagens que reúne generais quatro estrelas, muitos atualmente do Alto Comando, a reação era de "forte indignação" pela atitude de Pazuello. Era praticamente consenso que o Exército tem que adotar uma "punição exemplar", já que a participação de um general da ativa em ato político pode abrir um precedente muito perigoso, nas palavras dos militares. De acordo com o artigo 45 do Estatuto Militar, oficiais da ativa não podem participar de atos políticos. "Imagina se no ano que vem coronéis da ativa resolvem começar a subir em palanques. Isso não pode acontecer", avalia um militar de alta patente. A cobrança agora é que para que o comandante "... - Veja mais em https://economia.uol.com.br/colunas/carla-araujo/2021/05/24/pazuello-dara-explicacoes-ao-exercito-alto-comando-quer-punicao-exemplar.htm?cmpid=copiaecola

0 comentários:

Postar um comentário

Translate