10 março 2021

SUSPEIÇÃO DE MORO NOS PROCESSOS DE LULA: Ministro Nunes Marques pede vista e adia decisão do STF sobre suspeição de Moro

 Ministro Kassio Nunes Marques.

O ministro Nunes Marques, indicado por Jair Bolsonaro e o mais novo no Supremo Tribunal Federal (STF), pediu mais tempo para analisar o habeas corpus que pede que o ex-juiz federal Sergio Moro seja declarado suspeito em ações envolvendo o ex-presidente Lula. Com isso, o julgamento foi paralisado e não há previsão de retorno.

Até o momento dois ministros votaram a favor da suspeição (Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski) e dois votaram contra o pedido de Lula (Edson Fachin, relator do caso, e Cármen Lúcia).

O voto de Nunes Marques deve desempatar a questão. Porém, a ministra Cármen Lúcia, que já votou contra o habeas corpus em 2018, anunciou que tem novo voto escrito e o lerá após Nunes Marques se manifestar, indicando que também mudará de posição para considerar Moro suspeito.

Em seu voto, Nunes Marques disse que nunca teve acesso ao processo digital e que nem teve "sequer a curiosidade" de acessar os diálogos presentes no processo. Com isso, alegou, precisará de mais tempo para julgar a questão.

O ministro Ricardo Lewandowski também considerou que as ações de Sergio Moro reveladas pela operação Spoofing demonstram completa incompatibilidade para atuar no caso. "A revelação pública daquilo que ocorreu nos bastidores do fórum federal de Curitiba afasta qualquer dúvida que ainda pudesse existir acerca da parcialidade do então juiz Sérgio Moro", escreveu o ministro.

Para o ministro, Moro "chefiou à margem da lei" um grupo com procuradores, "evidenciando, quando menos, um olímpico desprezo de sua parte pelos deveres funcionais previstos na Lei Orgânica da Magistratura Nacional e no Código de Ética da categoria."

Fonte: Congresso em Foco

Clique AQUI  e Veja mais... 

DESTE BLOG: O julgamento ficou empatado em 2 X 2, mas a ministra Carmén Lúcia e o ministro Fachin pediram para fazer Declaração de voto, após o voto de Nunes Marques, no dia que devolver o processo que pediu vista, além do voto do próprio Nunes.

 

0 comentários:

Postar um comentário

Translate