10 julho 2020

PREVIDÊNCIA RN: 11 deputados da AL são contra a 'votação remota', diz deputado José Dias




Sessão remota realizada nesta quinta-feira, 9 

VOTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO GOVERNO DO RN

Durante a Sessão Plenária desta quinta-feira (9), realizada por videoconferência, o deputado José Dias (PSDB) utilizou o horário das lideranças para novamente repercutir a votação da PEC da reforma da Previdência. O parlamentar destacou que 11 deputados são contra a votação remota na Assembleia Legislativa.

José Dias continuou seu discurso, tecendo elogios ao parlamentar Sandro Pimentel (PSOL). “Eu quero também fazer justiça ao deputado Sandro, porque ele esclareceu que não é obrigatório votarmos até o fim desse mês, mostrando que não é verdade o prazo apresentado pelo Governo do Estado”, disse.

Para o parlamentar, o Governo do Estado não quer enfrentar o debate. “Eles diziam que não havia necessidade de reforma da Previdência, que o Brasil tinha saldo, que não era preciso fazer reforma. Aí eles chegaram, viram que havia um grande buraco e mandaram a reforma para cá”, disse José Dias.

Segundo o deputado, agora que existem 11 parlamentares contra a votação remota, o Governo do Estado não aprovará a matéria. “A governadora e sua equipe já devem ter percebido que não adianta ter truculência e usar inverdades. Não é possível que ela não entenda que não é a dona do mundo e muito menos do RN. O Rio Grande do Norte é do seu povo”, censurou José Dias.

“Então eu acho que a partir de agora as coisas tendem a se esclarecer. O governo vai ter um pouco de bom senso e vai querer negociar a reforma, discutindo com todos os interessados, presencialmente, na Assembleia Legislativa. O que cabe à governadora neste momento é ter humildade se dispor a negociar”, concluiu o parlamentar.

Já o deputado Gustavo Carvalho (PSDB) sugeriu que o governo estadual tente, a exemplo de outros Estados, negociar novos prazos com o Ministério da Economia para votação da reforma da Previdência, a exemplo do que vem sendo sinalizado por Minas Gerais. O parlamentar é defensor da votação presencial, a fim de que o debate seja ampliado com todas as categorias de servidores e sindicatos.

“Tive informações que em Minas Gerais a votação foi transferida para agosto, pois os parlamentares receberam um prazo muito pequeno para apreciar uma matéria tão séria”, informou o deputado. “Em Minas Gerais não se vota até o dia 31 de julho e o governo já acertou com o ministro da Economia para a votação ser em 30 de agosto. Essa discussão é necessária e tem que existir junto com os aposentados e toda a sociedade, pois tem mudanças que são necessárias, mas com coerência”, defendeu Gustavo Carvalho.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate