17 abril 2020

Nelson Teich é o novo Ministro da Saúde, mas também valoriza a Ciência, diga-se de passagem




O presidente Jair Bolsonaro  anunciou quinta-feira (16) o médico oncologista Nelson Teich como o novo ministro da Saúde. A informação havia sifo confirmada anteriormente pelo Congresso em Foco com assessores palacianos. O médico entra para substituir Luiz Henrique Mandetta, que foi demitido nesta quinta-feira (16).
Teich chega ao Ministério com o apoio da Associação Médica Brasileira. "Na AMB referendamos o nome de Nelson Teich. É um nome que conta com nosso total apoio e pelo qual temos muita simpatia. Respeitado na classe médica, eminentemente técnico, gestor e altamente preparado para conduzir o ministério da Saúde", afirmou o presidente da instituição, Lincoln Lopes, em nota oficial.
Apesar de a troca ter se dado por desentendimentos a respeito das estratégias de combate à covid-19, o novo ministro não parece estar alinhado às teses de Bolsonaro. Ele já demonstrou, por exemplo, ser favorável ao isolamento social.

"Diante da falta de informações completas de comportamento, morbidade e letalidade de Covid-19, e com possibilidade do sistema de saúde não ser capaz de absorver a demanda crescente de pacientes, a opção pelo isolamento horizontal, onde toda a população que não executa atividades essenciais precisa seguir as medidas de distância social, é uma melhor estratégia no momento ", escreveu Teich no dia 3 de abril em artigo publicado no LinkedIn.

Para Nelson Teich, o Brasil deveria adotar a estratégia de testagem em massa para combater a pandemia de coronavírus.
"Criar uma polarização, imaginando que de um lado estão as pessoas e do outro lado o dinheiro, pode ser um erro grave na avaliação do problema trazido pela Covid-19. Uma situação de competição pode gerar grande ineficiência na capacidade de interpretar a evolução da situação e na capacidade de ajustar o sistema de saúde e o dia a dia das pessoas adequadamente".
"Não me coloco aqui como alguém que defende um lado ou outro, na verdade é o oposto, não pode existir lado. O fundamental é analisar criticamente e de forma contínua a situação e as projeções, integrando continuadamente a nova informação na análise. A informação que chega a cada dia precisa ser complexa, detalhada e em tempo real. É necessário rever diariamente a realidade, os cenários, as projeções e as ações. Como comentado, projeções e posições radicais e emocionais só levam a mais confusão e problema", publicou.
Nelson Teich é carioca e em 1990 f0i responsável pela fundação Grupo Centro e Oncologia Integrado (COI). Foi um sócio-fundador do MDI Instituto de Educação e Pesquisa. Prestou consultoria para o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, de 2010 a 2011. Já foi conselheiro do Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde do Ministério da Saúde.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate