04 outubro 2018

CAP/UERN: Estudante de Pedagogia de 71 anos recebeu o grau no último dia 2 ao lado de mais 55 alunos



Maurina colou grau aos 71 anos

“Quando eu entrei pela primeira vez na UERN pra ter aula parecia que eu estava flutuando, que tinha um anjo comigo. Era muita alegria”. O relato sobre o primeiro dia de aula de uma estudante de Pedagogia, que poderia ser interpretado como o sentimento de uma adolescente ao ver um novo mundo desdobrar-se à sua frente, resume o sentimento de uma mulher de 71 anos que, abraçando o diploma recém-recebido, comemora a realização de um sonho.

Um sonho com raízes fincadas ainda da infância. Nascida no município potiguar de Frutuoso Gomes, Maurina Maria Maia teve o primeiro contato com a alfabetização aos dez anos de idade, quando o pai contratou uma professora para lhe ensinar a ler.

Cada lição que aprendia, Maurina buscava repassar para as amigas e parentes que também ainda não haviam ido à escola, durante brincadeiras nas quais ela pouco a pouco percebia o desejo crescente de tornar-se professora.

Nos anos seguintes, ainda que enfrentando dificuldades de deslocamento e a falta de condições financeiras da família, ingressou na escola e continuou alimentando o objetivo de fazer do ensino sua profissão – meta que alcançou aos 28 anos, quando tornou-se professora da rede básica do município de Almino Afonso.

Capacitação

Com o passar dos anos, já vivendo a realidade que idealizara durante a infância, Maurina sentiu nascer um novo desejo – conquistar o ensino superior. A intenção, conta, era poder oferecer algo a mais para os alunos. Mais uma vez, aprender para ensinar.

O novo sonho se concretizou aos 68 anos, quando Maurina ingressou no curso de Pedagogia do Campus Avançado de Patu, através do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), que é voltado para a capacitação de professores da rede básica de ensino.

Maurina viveu então uma nova etapa da vida. “Eu pude passar pros meus alunos o que eu estava aprendendo ali. Pude dar meu melhor para eles. Isso foi gratificante demais”, recorda.

Após toda a trajetória de conquistas obtidas através de muito esforço, Maurina tenta transmitir aos alunos, além das lições básicas da escola, a ideia de que a persistência e o comprometimento são caminhos que tornam possível a concretização de sonhos. “Eu digo que as pessoas não desistam, que não desistam nunca”, enfatiza.



Colação de grau

Na noite da última terça-feira (2), Maurina esteve entre os 55 estudantes do Campus Avançado de Patu, dos cursos de Pedagogia e Matemática, que colaram grau e obtiveram o diploma.

Realizada no Módulo Esportivo Miguel Câmara Rocha, a cerimônia foi presidida pela diretora do Campus de Patu, Cláudia Tomé.

Durante discurso, a professora destacou a importância do Campus de Patu não apenas para cada um dos formandos, mas também para o desenvolvimento da região, e ressaltou a necessidade de que alunos, técnicos e professores continuem alimentando sonhos.

“Poderiam vocês receber os diplomas agora se nós e as gerações que nos antecederam tivessem esquecido de sonhar com uma universidade pública e gratuita em cidades do interior? Poderia uma senhora de 71 anos estar realizando sua formatura se tivesse esquecido de sonhar?”, questionou a diretora do Campus de Patu.




Professores na Assembleia Universitária
 

0 comentários:

Postar um comentário

Translate