02 junho 2018

Justiça Federal condena Henrique Alves a 8 anos e 8 meses de reclusão

Grupo político de Henrique Alves e Eduardo Cunha no RN

Revista Veja

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, condenou nesta sexta-feira, 1, os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) em um processo aberto a partir da Operação Sépsis, que investiga corrupção na Caixa Econômica Federalentre 2011 e 2015. Cunha foi sentenciado a 24 anos e dez meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional, e Alves, a 8 anos e 8 meses de reclusão pelo crime de lavagem de dinheiro.

A sentença sustenta que Henrique Alves recebeu, por intermédio de Eduardo Cunha, 1,64 milhão de reais em propina neste caso, pago a ele por meio de três transferências a uma conta na Suíça. Embora não tenha sido considerado culpado pelo crime de corrupção passiva, Alves, conforme o juiz, “sempre esteve muito próximo dos fatos, acompanhando passivamente a desenvoltura de Eduardo Cunha, indo com ele a reuniões com empresários e dirigentes da Caixa”.

Leia aqui a íntegra da sentença.
Defesas

O advogado Délio Lins e Silva Júnior, responsável pela defesa de Eduardo Cunha no processo, afirma que a sentença é “fantasiosa e baseada em delações premiadas sem qualquer comprovação probatória que sustente a condenação, o que será comprovado no recurso a ser interposto ao TRF”.

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, diz que ainda não teve acesso à sentença, mas ressaltou que o ex-deputado foi absolvido dos crimes de corrupção passiva. “Henrique Eduardo Alves é inocente e a defesa irá recorrer a fim de buscar este reconhecimento”.
 
No entanto, A pena imposta ao ex-deputado Henrique Alves, de 8 anos e 8 meses de prisão por lavagem de dinheiro, deverá ser cumprida só após o trânsito em julgado da sentença expedida hoje pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate