31 maio 2018

DEMOCRACIA é o único caminho, diz Ministra Cármen Lúcia

Presidente do STF reage a grave momento político, econômico e social

Ministra Cármen Lúcia ao presidir a sessão do Pleno do STF (Foto: Antônio Cruz/ABR)

Em reação ao contexto da greve de caminhoneiros com indícios de locaute e pedidos por intervenção militar, a ministra-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, afirmou nesta quarta-feira (30) que a democracia é o único caminho legítimo a seguir no Brasil. Ao abrir a sessão plenária, a ministra disse que Corte Suprema está exercendo suas atribuições neste momento com “profunda preocupação, atenção e responsabilidade com o grave momento político, econômico e social experimentado pelos cidadãos brasileiros”.

Cármen Lúcia destacou que é necessário ter serenidade, mas também rigor e respeito com o cumprimento aos direitos fundamentais.

“Não há escolha de caminho. A democracia é o único caminho legítimo, e assim cumprimos nosso dever com a República Federativa do Brasil”, enfatizou a ministra. “Lutamos e conquistamos a democracia, trabalhamos como órgão direta e soberanamente responsável pela sua manutenção e aperfeiçoamento permanente. Somos juízes a serviço do Estado Democrático de Direito. Também na democracia se vivem crises, mas as dificuldades se resolvem com a aliança dos cidadãos”, afirmou Cármen Lúcia.

A ministra assegurou que a democracia não está em questão e que, embora haja questões sócio-políticas e financeiras, o direito brasileiro oferece soluções para o quadro atual.


“Não temos saudade senão do que foi bom na vida pessoal e, em especial, histórico de nossa pátria. Regimes sem direitos são passados de que não se pode esquecer, nem que se queira lembrar”, disse.

A presidente do STF ressaltou que os cidadãos brasileiros podem confiar que o Poder Judiciário não deixará de cumprir sua obrigação de guardar a Constituição e de resguardar e assegurar a eficácia dos direitos de todos. “Este Supremo Tribuna Federal, órgão de cúpula do Poder Judiciário brasileiro, contando com a responsabilidade e a atuação de cada cidadão, cumprirá com seu dever, como se espera que todas as instituições públicas e particulares o façam”
 
Fonte: Diário do Poder

0 comentários:

Postar um comentário

Translate