27 abril 2018

Órgãos de Saúde Pública orientam como prevenir transmissão da influenza em creches e escolas


Considerando que o vírus influenza pode se disseminar rapidamente entre as populações, especialmente as que vivem em ambientes restritos ou fechados, é necessário reforçar os cuidados de higiene para afastar a doença. Em ambientes com muitas crianças, como creches, a atenção precisa ser redobrada. Pais, professores, cuidadores e as próprias crianças podem adotar algumas medidas para evitar a transmissão da gripe nesses ambientes. O Departamento de Vigilância Sanitária da Secretária Municipal de Saúde  publicou uma nota com recomendações para escolas e creches sobre os cuidados para prevenir a transmissão da doença em ambientes fechados.

A Secretaria de Saúde esclarece que, a depender da imunidade desse público, essa transmissão poderá ocasionar uma situação de surto. A SMS explica ainda que não orienta a suspensão de aulas e outras atividades como medida de prevenção e controle de infecção. Alunos, professores e demais funcionários que adoecerem com febre de início súbito e sintomas respiratórios (tosse, dor de garganta, coriza, obstrução nasal) devem permanecer em afastamento temporário, podendo ser liberado o retorno à escola se apresentarem melhora dos sintomas e ausência de febre por 24 horas (sem uso de
antitérmico).

Confira algumas orientações:

- Cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após o uso;
- Lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar. No caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel;
- Evitar tocar olhos, nariz ou boca;
- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
- Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza;
- Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);
- Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate