09 janeiro 2018

PT processa Globo, Huck e Faustão na Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico



Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

Apesar de negar que vá disputar a presidência nas eleições deste ano, o apresentador da TV Globo Luciano Huck tornou-se alvo de um processo do PT na Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (8). O partido alega que Huck cometeu e se beneficiou de abuso de poder econômico e dos meios de comunicação durante sua participação no “Domingão do Faustão”, neste domingo (7).

A TV Globo e Fausto Silva, apresentador do “Domingão”, também são alvos da representação, assinada pelos líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), e no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ). Eles pedem a inelegibilidade de Huck ou a cassação do seu eventual registro de candidatura, além de pagamento de multa por parte do apresentador, de Faustão e da Globo.

O candidato do PT é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera as pesquisas de intenção de voto. No dia 24 deste mês, o petista passará por um julgamento decisivo no chamado processo do tríplex, da Operação Lava Jato. Se for condenado em segunda instância, ele pode ficar inelegível ou até mesmo ser preso.
Exaltação “subliminar” de Huck

Para os petistas, o que se viu durante a entrevista do apresentador “foi a demonização da atual política, dos políticos, dos pré-candidatos ao cargo presidencial, e de forma subliminar, a exaltação da pré-candidatura de Luciano Huck, como sendo algo de novo capaz de mudar a realidade vigente e trazer a ‘felicidade’ esperada pelo sofrido povo brasileiro.”

A representação diz ainda que Faustão e Huck “discorreram acerca da necessidade dos brasileiros darem espaço para uma candidatura nova (a dele, Luciano Huck)”, e que o apresentador usou “uma estrutura midiática que nenhum outro pré-candidato terá acesso, causando interferência antecipada na lisura e na igualdade da disputa presidencial que se avizinha.”

Segundo explicação disponível em seu site, o TSE define o abuso do poder econômico em eleições como “a utilização excessiva, antes ou durante a campanha eleitoral, de recursos financeiros ou patrimoniais buscando beneficiar candidato, partido ou coligação, afetando, assim, a normalidade e a legitimidade das eleições.”

“Por uso do poder econômico entende-se o emprego de dinheiro mediante as mais diversas técnicas, que vão desde a ajuda financeira, pura e simples, a partidos e candidatos, até a manipulação da opinião pública, da vontade dos eleitores, por meio da propaganda política subliminar, com a aparência de propaganda meramente comercial”, diz o site do tribunal.

O UOL procurou a assessoria de imprensa da Globo para saber se a emissora, Huck e Faustão comentariam o processo aberto pelo PT, mas não recebeu resposta até o horário da última atualização deste texto.
Candidatura negada

Ao lado da mulher, a também apresentadora da TV Globo Angélica, Luciano Huck voltou a negar sua candidatura presidencial neste ano. Ele disse que atuará no recrutamento de novos candidatos — o apresentador chegou a citar sua participação nos movimentos Agora! e Renova Brasil, voltados para a formação de novas lideranças políticas.

Em texto publicado pela “Folha de S. Paulo” em novembro, Huck já havia dito que não seria candidato a presidente. Apesar das negativas, o apresentador teria pedido ao Ibope para que seu nome não fosse retirado das pesquisas de intenção de voto, e continuaria sendo assediado por partidos políticos.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate