05 janeiro 2018

Nada resolvido entre Governo e militares. Saída poderá ser União pagar débito do FUNDEB

Do Editor do Blog do Ney Lopes

O encontro no início da noite de ontem, 5, entre o governador e militares em paralização resultou em nada.

Há informação (ainda não confirmada pelo blog), de que o governador Robinson Faria não compareceu.

Mandou representantes.

Resultado: nenhum avanço.

Tudo permaneceria na estaca zero.

A corda está sendo puxada por ambos os lados e certamente “romperá”.

Esse não é um bom prognóstico.

O general comandante das forças militares em operação no RN, já declarou que o prazo termina na próxima semana, o custo das operações é altíssimo e que esse dinheiro poderia ser usado de outra forma.

Afinal, realmente não é tarefa das forças armadas manter a segurança pública, embora receba o aplauso da opinião pública.

Não se trata de pessimismo nem posição extremada.

Mas só haverá solução com o pagamento dos salários atrasados, o que permitirá o RN “respirar”, aprovar medidas saneadoras e refundar a administração estadual.

Doente na UTI precisa de assistência imediata.

Não há como esperar, diante de um cenário de calamidade pública.

Hoje, a Tribuna do Norte publica uma informação importante.

É que o governador teria feito um apelo para que o governo federal pague (pelo menos uma parte) um valor do FUNDEB que o estado ganhou em ação judicial (cerca de R$ 1,7 bilhão).

Esse dinheiro poderá quitar salários, pois a ação assegurou ressarcimento pela União de valores pagos a inativos da educação.

Se verdadeira essa hipótese seria o caminho e a prioridade para a bancada federal agir e “pressionar politicamente” o governo Temer.

Trata-se de um fato concreto e que abriria novos horizontes para o Estado.

Apelo daqui, dacolá, anuncio de medidas saneadoras, proposito de vender ativos etc…. não são soluções em curto prazo.

Repita-se: estomago não pode esperar mais.

A solução (mesmo paliativa) terá que vir o mais rápido possível.

E esse dinheiro do FUNDEB pode ser um caminho.

Veremos!

0 comentários:

Postar um comentário

Translate