19 dezembro 2017

Governo do RN ainda não tem data para calendário de pagamento dos servidores



Em audiência realizada na manhã de hoje (18/12) entre as entidades que compõe o Fórum dos Servidores do RN e o Governador do Estado, Robinson Faria, foi discutida a situação do atraso dos pagamentos e a falta de um calendário para os próximos meses.

O Governador informou que para realizar os pagamentos é necessária a liberação dos recursos prometidos pelo Governo Federal, e que estaria indo a Brasília ainda hoje para tentar negociar com o Presidente Michel Temer maior celeridade no “socorro” de 750 milhões de reais para o Rio Grande do Norte.

Robinson assumiu o compromisso com os sindicatos e entidades de que o valores recebidos serão utilizados integralmente para o pagamento dos servidores estaduais. Ele informou, porém, que ainda não há previsão de data para que isso aconteça haja vista que para a liberação do “socorro” é necessária uma Medida Provisória (MP) junto ao Governo Federal e o tempo para que esse trâmite se encerre ainda não pode ser definido.

O Chefe do Executivo Estadual informou que o apoio financeiro do Governo Federal só será concedido mediante a reforma da previdência estadual, que aumentaria a alíquota previdenciária do funcionalismo público de 11% para 14%. O Governador decidiu por esta medida mesmo que esta obrigatoriedade não constasse no acordo firmado com o Tribunal de Contas da União (TCU) não constasse essa obrigatoriedade, o que revoltou os sindicalistas e representantes de entidades de classe presentes.

A Presidenta da ADUERN, Rivânia Moura, convocou toda a categoria a participar da sessão da Assembleia Legislativa do RN (AL/RN) amanhã (19/12) onde o aumento da alíquota será votado. Para a docente, somente a pressão unificada poderá impedir que o Governo realize essa manobra, que joga nas costas dos trabalhadores e trabalhadoras a crise econômica do Estado.

“ Não podemos aceitar mais este ataque. No caso da UERN, estamos com salários atrasados, com possibilidade de não receber o 13º, cinco anos sem reajustes salariais e agora teremos um aumento na taxa da previdência ? O governo precisa arcar com a responsabilidade da sua falta de gestão e prioridade com os servidores deste estado”, afirmou a Presidenta.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate