02 novembro 2017

02 de novembro, Dia de Finados: o que significa e por que é celebrado nesta data?

 
O Dia de Finados, também conhecido como Dia dos Mortos ou simplesmente Finados, se trata de um feriado religioso, dedicado a orações e homenagens aos que já se foram. Aliás, a palavra “finados” significa exatamente isso, algo que finou, findou, acabou ou morreu.

No Brasil, por exemplo, o Dia de Finados faz parte de um costume católico e consiste em visitar as sepulturas dos entes queridos que já morreram e enfeitar seus túmulos com flores. As pessoas também acendem velas por suas almas e rezaram por eles no cemitério.


No México, as pessoas também comemoram o Dia de Finados, mas de uma maneira mais festiva e colorida que a brasileira. As celebrações duram 3 dias e as pessoas zombam da morte enfeitando as ruas e organizando desfiles.

De forma geral, os mexicanos acreditam que as almas dos que já se foram visitam seus parentes nessa data e é costume também ter alteres decorados dentro de casa. Eles os enfeitam com flores, caveiras de papel machê, retratos das pessoas mortas e pequenas oferendas.


Por que em 2 de novembro?

Conforme registros históricos, a tradição foi instituída pela Igreja Católica no século 10 e diz que os vivos devem interceder pelas almas que estão no purgatório esperando a purificação.

Mas, o costume é mais antigo do que se imagina. Desde o século 2, ao que tudo indica, já se tem indícios de cristão que rezavam por seu falecidos, visitando os túmulos dos mártires e pedindo pelos que já morreram.



Aos poucos, então, a Igreja foi aderindo ao costume e no século 5 já era costume dedicar um dia do ano para rezar por todos os mortos, especialmente pelos quais não tinham família e ninguém se lembrava de pedir por suas almas.

Mas, o a escolha do dia 2 de novembro como a data oficial para celebrar o Dia de Finados só foi feita mesmo no século 13. Os responsáveis pela Igreja escolheram o dia por suceder o Dia de Todos os Santos, comemorado em 1º de novembro.


Dia de Finados e outras religiões

Porém, esse tipo de culto aos mortos não é uma exclusividade do catolicismo. Quase todas as religiões, desde a pré-história, contam com um dia específico dedicado à memória dos mortos.

Os celtas, por exemplo, por acreditarem na continuação da vida após a morte; reuniam-se em suas casas no dia 1º de novembro para homenagear e evocar os que já partiram.



Nos países de religião budista, como na Tailândia, os mortos também são homenageados até hoje por meio de procissões, música e desfiles de máscaras. No Japão, por outro lado, é costume fazer uma oferenda de arroz e algas para que as almas dos mortos sejam alimentadas.

No caso do protestantismo, no entanto, a data não é comemorada. Os protestantes não acreditam na existência do purgatório, como a Igreja Católica, e não têm o hábito de orar pelos mortos.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate