09 agosto 2017

Conselho de Ética livra senadoras de punição

Revista Veja
 
Reunião  tumultuada
 
As seis senadoras que ocuparam a Mesa Diretora do Senado durante a votação da reforma trabalhista foram inocentadas em uma tumultuada sessão do Conselho de Ética da Casa. O arquivamento da ação, protocolada pelo senador José Medeiros (PSD-MT), foi aprovado por doze votos a dois. Houve uma abstenção.

Eram alvos do processo as senadoras Gleisi Hoffmann (PT-RS), Fátima Bezerra (PT-RN), Regina Sousa (PT-PI), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Lídice da Mata (PSB-BA) e Ângela Portela (PDT-RR). O protesto durou aproximadamente seis horas e atrasou a aprovação da reforma trabalhista.

Os trabalhos do Conselho de Ética tiveram de ser interrompidos por dez minutos, após o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) provocar um tumulto antes do sorteio do nome do relator da denúncia. O petista disse que o arquivamento do processo de cassação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) era “muito mais grave” do que o caso desta terça.

Exaltado, Lindbergh se dirigiu ao senador João Alberto Souza (PMDB-MA), presidente do Conselho de Ética, e afirmou que ele não tinha autoridade para abrir um processo contra as senadoras. Sérgio Petecão (PSD-AC), que estava sentado ao lado de Souza, se levantou e trocou xingamentos com o petista.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate