30 maio 2017

Reforma política: PT incorpora reforma de Aécio, que perdeu força após delação

Itens da PEC aprovada no Senado podem entrar no texto final
  PEC da reforma política de autoria de Aécio está mais adiantada que a reforma da Câmara, mas perdeu força após delação da JBS

Deputados começam a discutir e votar nesta terça (30), em comissão especial, parecer à emenda constitucional que altera regras eleitorais, o sistema eleitoral e o financiamento de campanhas. A novidade é que pontos de uma outra PEC, de autoria do senador Aécio Neves (PSDB-MG), podem ser incorporados ao relatório de Vicente Cândido (PT-SP). A PEC tucana perdeu força após a delação de Joesley Batista e JBS. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A delação de Joesley JBS complicou, na Câmara, a PEC de Aécio, já aprovada no Senado, que proíbe coligações e cria cláusula de barreira.

A reforma da Câmara trata, à parte, do rito de projetos de iniciativa popular, prazos de desincompatibilização e registros de candidatura.

Deputados querem deixar “para depois” mudanças mais radicais no sistema eleitoral, como voto em lista, voto distrital e financiamento.

A PEC da reforma política de autoria de Aécio está mais adiantada que a reforma da Câmara: até já foi aprovada em dois turnos no Senado.
 
Fonte: Diário do Poder

0 comentários:

Postar um comentário

Translate