25 abril 2017

Poder Judiciário do Rio Grande do Norte vai aderir à greve geral do próximo dia 28

Em assembleia, foi decidido também uma atuação na luta contra as reformas da previdência e trabalhista, que estão tramitando no Congresso Nacional
Divulgação / TJRN

Um verdadeiro massacre civil. É assim que fica evidente a mortandade que acomete o Rio Grande do Norte. Não se pode, entretanto, atribuir a escalada desenfreada da violência apenas a falhas no aparato policial, como insistentemente tenta-se fazer em setores opositores da imprensa local. As causas são diversas e ultrapassam as barreiras territoriais do Estado. Veja o caso de Fortaleza, que passa por momento delicado. Lá, conforme matéria na página 5 desta edição do Agora Jornal, os criminosos tocam o terror nas ruas, incendiando ônibus, e até ameaçam implodir a Governadoria e a Assembleia Legislativa. O que é necessário fazer é se buscar as causas reais da violência. Estas, são devidas a questões sociais gravíssimas, tais como a desigualdade, problemas de psicopatologia, além, sim, com certeza, de falhas na Segurança Pública. O problema, entretanto, é do Brasil. E talvez só seja amenizado dentro de um esforço nacional de superação da realidade atual. Os casos fantásticos de corrupção que dominam a cena nacional, entretanto, são um complicador adicional na resolução do problema. Este, junto com o grave quadro econômico, terminam favorecendo a indignação popular e dificultando a retomada da paz social. Hoje, prepondera a matança e o banditismo.

>> Humilhação. O procurador-geral do Município, Carlos Castim, informou que caberá ao prefeito Carlos Eduardo Alves a decisão sobre se a Prefeitura irá obedecer ou não a manifestação do TCE sobre os saques da previdência. Se decidir não cumprir, será a segunda humilhação e desobediência do chefe do executivo municipal em relação à matéria. O TCE já enviou uma representação ao Ministério Público Estadual solicitando a abertura de investigação sobre o uso de recursos do Natalprev sem a devida autorização legislativa.

>> Santa incompetência. A secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) é de uma incompetência ímpar. Além de multar a cidade inteira, seguindo a orientação do prefeito Carlos Eduardo (PDT), que mandou que os amarelinhos perseguissem os motoristas e ordenou que a fiscalização através dos pardais seja implacável, tem péssimo atendimento. Na busca por informações oficiais, o Agora Jornal esbarra na dificuldade de entrevistar autoridades como a secretária Elequicina Santos. A Assessoria de Comunicação Social, por sua vez, ao invés de facilitar, dificulta. A começar por tornar inacessível o próprio acesso.

>> Empresários. Em reunião nesta semana na Confederação Nacional da Indústria, lideranças manifestaram a preocupação com a imagem do empresário brasileira, que consideram extremamente arranhada com o episódio envolvendo das delações dos executivos na Lava Jato.

>> Bancos. O ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil nos governos do PT Antônio Palocci deve envolver um outro setor econômico na confusão da Lava Jato: o dos bancos. Nessa seara, Palocci, que já é considerado uma das figuras que mais movimentou recursos na Lava Jato, é conhecido pelo bom trânsito.

>> Campanha. O Detran sairá com uma bela campanha de publicidade nos próximos meses, trabalhando reflexões como mote. A campanha será apresentada nos próximos dias ao Ministério Público Estadual, conforme tem sido tradição no governo Robinson Faria. O aprove dos promotores tem se dado devido ao caráter instrutivo das peças publicitárias, a cargo da Executiva Propaganda. Ponto para os publicitários Erick e Odemar.

>> Prisão. Diante do que executivos e funcionários da Odebrecht estão apontado em relação às obras do sítio em Atibaia, está cada vez mais claro que houve beneficiamento do ex-presidente Lula pela empreiteira, o que resulta em improbidade administrativa. Com isso, ganha força a possibilidade de prisão do petista pelo juiz Sergio Moro – mesmo com ele liderando pesquisas de opinião pública em eventual corrida pela disputa presidencial de 2018.

>> Justiça eleitoral. O advogado Luiz Gustavo Alves Smith assumirá mais uma vez uma cadeira no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, na condição de representante da advocacia. Ele toma posse às 14h de hoje para o biênio 2017/2019, sendo, portanto, reconduzido ao cargo. A portaria foi assinada pelo presidente Michel Temer e publicada no Diário Oficial da União de 12 de abril. A sessão será conduzida pelo presidente do TRE, desembargador Dilermando Mota.

>> Responsabilidade. A Potigás está com inscrições abertas para a seleção pública de Projetos de Responsabilidade Social, Cultural e Esportiva até a próxima segunda-feira. O edital e seus anexos com a lista de documentação necessária e requisitos para apresentação dos projetos estão disponíveis no site da Potigás. Junto ao edital, a Potigás lançou o Selo Social “Natural como fazer o bem”.

>> Greve. Servidores do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte aderem à greve geral do dia 28. Eles decidiram em assembleia também atuarem na luta contra as reformas da previdência e trabalhista que estão tramitando no Congresso Nacional sob a batuta do Palácio do Planalto. “Não adianta ficar limitado à militância nas redes sociais, temos de ir às ruas para impedir o fim da previdência e a perda dos direitos trabalhistas”, justificou Gersonilson Martins, coordenador do movimento.
 
Fonte: Agora RN

0 comentários:

Postar um comentário

Translate