08 novembro 2016

Ocupação da UERN em Pau dos Ferros dá exemplo de cidadania e resistência


Por Cláudio Palheta Jr. 7/11/2016 | 5:14 Publicado em Artigos, Destaque, Informes da ADUERN, Notícias
O Campus Avançado Maria Elisa de Albuquerque Maia (CAMEAM), em Pau dos Ferros, já não é mais o mesmo desde a manhã do dia 1 de novembro. Nesta data, dezenas de alunos e alunas realizaram uma grande assembleia estudantil e ocuparam as instalações da unidade, protestando contra o sucateamento da UERN e o pacote de medidas federais que desmantelam a universidade pública como um todo.

Munidos de uma coesa pauta de reivindicações, os/as estudantes estiveram reunidos por mais de 6 horas com o Reitor Pedro Fernandes no último sábado (05), na tentativa de negociar alguns dos pontos e garantir a retomada das aulas.

Os/as discentes cobram a limpeza imediata de todo o campus e garantia do pagamento das bolsas atrasadas para que a ocupação seja suspensa. Além destes pontos, o documento com as reivindicações dos/as estudantes ainda conta com outras 19 exigências, endereçadas tanto ao Governo do Estado como à administração da UERN. (veja o documento completo aqui)

O reitor e sua equipe administrativa se comprometeram a enviar até amanhã (08) uma equipe de Auxiliares de Serviços Gerais (ASG’s) para que seja feita a limpeza do CAMEAM. Quanto ao pagamento das bolsas, que há três meses se encontram atrasadas, o compromisso foi de que até o dia 20 deste mês os valores estarão quitados.

Além da conquista das reivindicações imediatas, ao longo desses dias os/as estudantes de Pau dos Ferros deram uma aula de respeito e cuidado com as instalações do CAMEAM. Juntos, eles assumiram a responsabilidade de limpar, organizar e zelar pelo Campus enquanto um acordo com a reitoria não é firmado.

Através de uma força-tarefa, os/as discentes mantiveram a unidade impecável, mesmo sem a ajuda dos servidores terceirizados, que até a última semana estavam com suas atividades paralisadas, mostrando a todos que uma ocupação em nada tem de vandalismo e depredação do patrimônio público.
A estudante Taíza Barros, que participa da ocupação, destacou o respeito dos/as alunos/as ao espaço coletivo e ao direito do outro. Em conversa com docentes da UERN, a aluna destacou o amadurecimento dos discentes nos dias em que a mobilização está ocorrendo.

“ Aqui a gente passa por um processo psicológico forte, estamos longe de nossas casas, sem contato com nossos pais, confinado com pessoas até então desconhecidas. Mas tudo isso faz com que a gente tenha que dialogar com novas pessoas, conviver junto, conhecer suas personalidades”, afirmou.

Politização e cultura – Outro ponto importante na ocupação de Pau dos Ferros foram as ações voltadas para a formação política e cultural de estudantes e docentes que participam da mobilização. Já na primeira noite, os manifestantes realizaram um grande sarau que atraiu dezenas de pessoas com poesia, música, arte e debates.

Nos dias seguintes o movimento realizou as rodas de conversa como: “Memórias e Histórias do movimento estudantil na UERN Pau dos Ferros: experiências e reflexões”, ministrada pelo Prof. Gilton Sampaio e “Uma História de Luta: O Manifesto Comunista e os Movimentos Sociais”, entre outras. Além disso, foram realizadas uma sessão de cinema (que apresentou o clássico ‘O pianista’, grande vencedor do Oscar de 2002) e uma roda de capoeira, que contou com a presença de moradores de Pau dos Ferros.

Apoio e solidariedade – A ocupação na UERN de Pau dos Ferros mobilizou não só o movimento estudantil do município e região, mas também professores/as, servidores/as técnicos, docentes da rede municipal e estadual de ensino e a população em geral. Foram inúmeras as manifestações de solidariedade e apoio, com destaque para as doações de alimentos e suprimentos básicos para os/as estudantes.

O movimento também contou com a participação massiva de alunos secundaristas de Pau dos Ferros, que se integraram à ocupação. Muitos dos alunos decidiram participar da ação pensando na importância da UERN na cidade e em como ela é fundamental para o futuro de todas as pessoas daquela região.

Visita da ADUERN na ocupação – A diretoria da ADUERN também esteve presente na ocupação, garantindo o apoio do movimento docente à luta dos/as estudantes. No último sábado (05), professores e professoras foram à Pau dos Ferros e conversaram com representantes do movimento.

Durante assembleia docente, realizada na última sexta-feira (04) o estudante Jack Jones, que está ocupando o CAMEAM pode falar por alguns minutos para toda a categoria, apresentando a pauta de reivindicações dos/as alunos/as, que foi amplamente apoiada pelos/as professores/as.

0 comentários:

Postar um comentário

Translate