31 outubro 2014

Getúlio Rêgo assume: “Eleitor não obedece mais às lideranças”

O deputado estadual reeleito, Getúlio Rêgo (DEM), estava confiante no poder dele como liderança política e prometeu a Henrique Eduardo Alves (PMDB) a vitória dele em Pau dos Ferros. A derrota do peemedebista no primeiro e no segundo turno no município, porém, parece que fez o democrata repensar a situação. Agora, Getúlio já afirma que o eleitor está mais autônomo e não se deixa influenciar tanto como ocorria anteriormente.
“A eleição de 2014 foi diferente. A população não se pauta mais por lideranças políticas”, afirmou Getúlio Rêgo, reeleito para o 9º mandato na Assembleia Legislativa. Para o democrata, os políticos hoje não podem mais “se arvorar” como proprietários de voto. “O que se viu foi uma total autonomia do eleitor”, observou.
Getúlio Rêgo é uma prova dessa situação de autonomia do eleitor. Após declarar apoio a Henrique, em meio à polêmica união de “adversários em Pau dos Ferros”, o democrata trabalhou ao lado do filho, o ex-prefeito da cidade, Leonardo Rêgo, e do atual chefe do Executivo, Fabrício Torquato. Mesmo assim, no primeiro turno, o peemedebista perdeu para Robinson Faria (PSD) por uma diferença de cerca de 200 votos.
A situação mexeu com o “brio” de Getúlio Rêgo – e de Leonardo também – e a situação ficou ainda mais grave com o anúncio de Fabrício Torquato de que apoiaria Robinson. “Henrique vai dar uma lapada em Robinson em Pau dos Ferros”, afirmou Getúlio Rêgo, avisando que iria redobrar os esforços para garantir uma vitória expressiva do peemedebista na cidade.
O que aconteceu, no entanto, é a prova da autonomia do eleitor – ou, como Robinson afirmou, do “voto livre”. O candidato apoiado por Getúlio, por Leonardo e pelo lado peemedebista caiu de 5,7 mil votos, para pouco mais de 5 mil. Robinson, por sua vez, subiu de 5,9 mil, para 9,4 votos.

DESTE: TORÇO PARA O ELEITOR SER CADA VEZ MAIS REBELDE, INCLUSIVE EM OLHO D'ÁGUA DO BORGES QUE O PREFEITO SE ACHA O DONO ABSOLUTO DO ELEITORADO. FAZ ASSÉDIO AO ELEITOR  ATRAVÉS DE PROMESSAS DE CARGOS, BOLSAS DE TODO TIPO, CASA POPULAR, EMPREGO EM FÁBRICA E ATÉ CONSTRUÇÃO DE BANHEIROS. PARAFRASEANDO BORIS CASOY: "ISTO É UMA VERGONHA".

Translate