30 junho 2014

Exército de Rosalba em Mossoró espera decisão da governadora para seguir

A governadora Rosalba Ciarlini, que não tem legenda para disputar a reeleição, tem dito que vai participar da campanha, e, "ativamente".
Há que aposte num anúncio de apoio à candidatura do governadorável Robinson Faria (PSD) e da senadorável Fátima Bezerra (PT).
Para qualquer que seja sua posição, Rosalba espera contar com o seu inconformado "exército de Mossoró".
No sábado a governadora esteve na cidade para assistir ao espetáculo "Chuva de Balas no País de Mossoró".
Terminada a apresentação, na hora do agradecimento final do elenco no palco, alguns artistas, vendo Rosalba na primeira fila, gritaram "É a Rosa", "Minha Rosa", alguns mandavam beijos e a governadora terminou sendo aplaudida.
Houve quem falasse em vaias, mas o Blog ouviu aliados e não aliados presentes ao evento no sábado. Ouviu gente que não se posicionaria favorável a Rosalba, que confirmou os aplausos.
Rosalba saiu e fez a pé o percurso junino da Cidadela à Estação das Artes, sendo parada por pessoas que queriam tirar fotos, que queriam a presença dela em suas barracas.
E ela foi entrando, posando, abraçando, ouvindo.
De muitos, a cobrança pelo posicionamento. 
A turma do exército que segue as decisões da governadora quer saber para onde ela vai, para saber o que fazer.
Tem disso em Mossoró. Com Rosalba.
Na Estação das Artes mais assédio.
Uma jovem vestindo 'black' gritou 'Fora Rosalba'.
O companheiro no mesmo estilo a repreendeu e ela continuou falando que aquilo era uma 'palhaçada'.
Mas a sessão pose para fotos seguiu até a governadora subir para o camarote.
Na sacada, se expôs. Houve quem duvidasse da coragem, mas em Mossoró Rosalba se sente em casa, e parece que agora, mais do que nunca ela tem se mostrado como quem tivesse tentado, não tivesse sido conseguido, e agora e tivesse voltando pra casa para ser acolhida. Assim, sim.
Do camarote, assistia à apresentação da banda 'Solteirões do Forró', quando o vocalista Zé Cantor anunciou a presença da governadora Rosalba que "veio prestigiar a festa que ela criou".
Vaias?
Não. 
Aplausos.
Da sacada do camarote ela agradecia, quando viu dona Francisquinha, uma barraqueira antiga de Mossoró, que pediu, e teve autorização para subir no camarote, abraçar a governadora e lhe dar um conselho: "Tudo isso passa e dois anos se passa muito rápido".
Mas, por que dois anos?
Esse é o tempo que falta para a campanha de prefeito.
Diante de números desfavoráveis, de aliados que deram as costas, de descrédito quase total, o "exército" de Rosalba acolhe a governadora em Mossoró.
Mostrando que subestimar a sua liderança não é o caminho mais indicado.
E o segundo maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte fala, e fala alto.
Foi Mossoró, falando alto, que primeiro libertou seus escravos.
Há quem diga que não, que se trata de uma lenda, mas a lenda perdura e a voz da cidade permanece forte.
A política tem reafirmado.
Fotos Carlos Costa
20140630-071347-26027087.jpg

20140630-071410-26050532.jpg
 Fonte: Thaisa Galvão

0 comentários:

Postar um comentário

Translate