31 outubro 2013

Lânia Sales vai Colar Grau em Pedagogia na noite deste dia 31. Os parabéns deste Blog

Lânia com seu esposo Naldinho. Foto tirada na mansão do casal

Naldinho, proprietário do 'haras olho d'água' prepara uma grande festa para a noite de hoje (31), em homenagem a formatura de sua esposa Lânia Sales. A Solenidade de Colação de Grau dar-se-á  na noite de  hoje na quadra do Charles.  Este blogueiro agradece o convite e confirma presença. De Mossoró virá o casal Valcides/Joseilma proprietário da empresa Gelice.

Endividamento e inadimplência voltam a crescer em outubro, diz a CNC, mas o Congresso Nacional jamais criou uma política de proteção

Depois de uma queda observada em setembro, os níveis de endividamento e inadimplência voltaram a crescer em outubro deste ano. Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio (CNC), o percentual de famílias inadimplentes no país chegou a 21,6% em outubro.
Em setembro, o percentual havia sido 20,6%. Entre as famílias com renda até dez salários mínimos, o nível de inadimplência, ou seja, o número de pessoas que têm contas ou dívidas em atraso, foi 23,8% em outubro, ante 22,9% em setembro. Entre as famílias com renda mais alta, o percentual subiu de 10,7% em setembro para 12,3% em outubro.
O tempo médio de atraso para o pagamento de uma conta é 59,6 dias, segundo a CNC. A maior parte das famílias (42,7%), no entanto, estava com contas em atraso por mais de 90 dias, em outubro. A pesquisa também mostrou que o percentual de pessoas com contas em atraso e sem condições de pagá-las subiu de 7% em setembro para 7,3% em outubro.
Já o nível de endividamento chegou a 62,1% em outubro, depois de registrar 61,4% em setembro. São consideradas em dívida as famílias que compram com cartão de crédito, usam cheque especial ou pré-datado ou fazem qualquer tipo de crédito ou financiamento, mesmo que pague a conta em dia. A maior parte (73,9%) se endivida com o cartão de crédito

RN: Prefeitos austeros decidem cortar cargos comissionados

LEIA ABAIXO COMENTÁRIO DESTE BLOG

Com as sucessivas frustrações de receitas provenientes do Fundo de Participação dos Municípios, alguns prefeitos começam a adotar, no Rio Grande do Norte, medidas para tentar reduzir os gastos com folha de pagamento. Como não podem cortar as despesas com servidores efetivos, a alternativa é exonerar alguns cargos comissionados.
Benes Leocádio afirma que há prefeituras que avaliam cortes para compensar frustração de receitasBenes Leocádio afirma que há prefeituras que avaliam cortes para compensar frustração de receitas

O prefeito de Touros, Ney Leite, decidiu demitir, e não preencher enquanto não houver recuperação nas receitas, 499 cargos comissionados e contratos que não tenham estabilidade. A economia pode chegar a R$ 439 mil. Ontem, a secretária municipal de Administração, Aparecida do Nascimento, afirmou que não tem estimativa sobre o número de comissionados que vão permanecer nas funções. Ela disse que as exonerações ainda não foram publicadas. Aparecida do Nascimento informou que os salários dos 10 secretários são de R$ 4 mil. Os cargos com remunerações mais baixas em Touros ficam próximos de R$ 700.

O presidente da Femurn, Benes Leocádio, afirmou que há informações de outros municípios no Rio Grande do Norte, nos quais os prefeitos adotaram medidas semelhantes ou avaliam a possibilidade de cortes. Em São Tomé, segundo o presidente da Femurn, também existe a intenção de reduzir a quantidade de funções gratificadas.

Prefeito de Lajes, Benes Leocádio pretende adotar ajustes e entre as medidas em estudo está a exoneração de comissionados. Ele disse que há, atualmente, no município, em torno de 67 cargos de livre nomeação, dos quais 38 ocupados por servidores que não são dos quadros efetivos. Os salários variam de R$ 200 a R$ 3.200. Benes Leocádio ainda não definiu a quantidade de exonerações. Nesta semana, pretende reunir o secretariado para discutir o ajuste.

As justificativas para a redução são comuns nos casos dos prefeitos que planejam fazer as reduções na folha de pagamento. Ney Leite aponta queda nas estimativas de repasses do Fundo Municipal de Participação dos Municípios (FPM), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb) e do Imposto de Circulação de Mercadoria e de Serviços (ICMS). “Se compararmos os meses de janeiro e outubro de 2013, só no FPM, o município teve uma queda de mais de 70%”, lamentou. “Não posso comprometer serviços essenciais, como a Educação e a Saúde”, acrescentou. Ele comentou ainda que os servidores serão recontratados de acordo com a necessidade de cada setor.

Paralisação

Além dos cortes, as prefeituras do Rio Grande do Norte promoverão nos próximos dias 5 e 6 de novembro (terça e quarta-feira da próxima semana) um protesto coletivo e simbólico contra a crise financeira. A decisão foi tomada nesta terça-feira, 29, em assembleia convocada pela Femurn. No protesto, que faz parte do Movimento SOS Municípios, lançado no último dia 21, as prefeituras terão suas sedes administrativas fechadas e sinalizadas com uma faixa preta e uma mensagem à população. Os serviços públicos essenciais serão preservados.

Os prefeitos também vão a Brasília para pedir que os deputados e senadores votem projetos de lei e emendas constitucionais que recuperem as contas dos municípios. Eles pretendem visitar todos os parlamentares federais do Estado. Os prefeitos querem  solicitar que deputados e senadores se comprometam em votar de acordo com os interesses dos municípios.

As estratégias estabelecidas pela assembleia extraordinária da Femurn não param por aí. Todos os prefeitos se comprometeram em telefonar para os deputados e senadores para exigir que votem a favor de medidas de socorro às gestões municipais. Os gestores também pretendem procurar os veículos de comunicação locais para prestar esclarecimentos à população e conscientizar a respeito dos problemas decorrentes da falta de recursos financeiros. Uma das medidas solicitadas ao Congresso Nacional é a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 39 que aumenta em 2 por cento a destinação dos recursos arrecadados com o Imposto de Renda e o Imposto sobre Produção Industrial (IPI) para o Fundo de Participação dos Municípios.

O Movimento SOS Municípios vai continuar e ser ampliado. Nos dias 11 e 12 de novembro, a Confederação Nacional dos Municípios promoverá, conjuntamente com as Federações Estaduais, uma grande mobilização junto ao Congresso Nacional dos Municípios. “Temos de agir agora. A hora é essa. Se medidas não forem tomadas agora, os municípios não terão condições de governabilidade em 2014”, afirma o presidente da Femurn.
Fonte: Tribuna do Norte
DESTE BLOG: Em Olho D'água do Borges tem assessor de primeiro emprego que fatura R$ 3.500,00, enquanto um Secretário ganha apenas R$ 2.038,00. Além disso, a folha de pagamento é recheada de servidores fantasmas. Aqui ainda reina a prática do  paternalismo e clientelismo que culminam com nepotismo, como é o caso, por exemplo,  da mãe exercer um cargo de secretário(a)-adjunto(o) e a(o) filha(o) de Secretário(a). Existem duas dobradinhas com essas características.

Justiça condena ex-prefeito de Tibau

  LEIA ABAIXO COMENTÁRIO DESTE BLOG

 O ex-prefeito de Tibau do Sul, Edmilson Inácio da Silva, que foi candidato na eleição de 2012 no município tornou-se inelegível por 8 anos. A sentença foi assinada pela juíza Ana Karina Carvalho, da 9ª vara eleitoral de Goianinha. Por abuso de poder político e econômico.
Fonte: Robson Pires
DESTE BLOG: Há  um ex-prefeito de Olho D'água do Borges que jamais escapará de ser condenado por improbidade administrativa e pena de inelegibilidade por muitos anos, e,  ainda corre o risco de perder todos os bens, se é que tem em seu nome. Para tanto, o atual prefeito terá que responsabilizá-lo por seus atos ou o município ficará inadimplente e impedido de firmar convênio federal. Tudo em função das falcatruas detectadas pela fiscalização da CGU. Quem viver, verá

Curso de Medicina da UERN triplicará número de vagas no vestibular de 2014

O Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (CONSEPE/UERN) aprovou mudanças significativas para o Processo Seletivo Vocacionado (PSV) 2014.
A partir do próximo (PSV), será implantada a semestralidade no curso de Medicina com ampliação das atuais 26 vagas para 60. O aumento foi aprovado por unanimidade, com parecer favorável do professor Akailson Lennon Soares, conselheiro relator.
A pró-reitora de Ensino de Graduação, Inessa Linhares, explicou que o projeto pedagógico do curso já previa a ampliação do número de vagas. “Desde o início, o curso vem ofertando 26 vagas por ano, embora o projeto pedagógico preveja 52 vagas, mas a semestralidade foi segurada até que fosse formada a primeira turma. Já formamos quatro turmas e o nosso curso tem conceito cinco no ENADE, com altos índices de aprovações em concursos públicos. Isso mostra a qualidade do nosso curso de medicina”, frisou.
Ela disse, ainda, que a estrutura do curso de medicina da UERN já está habilitada para o recebimento de novos alunos. “Temos um programa uma residência consolidada, temos um curso de mestrado em atividade, temos dez professores em capacitação sendo oito em doutorado e dois em mestrado. Temos muitos projetos de extensão e pesquisa. Tudo isso nos dá condições para pedir ampliação de vagas até porque somos o curso de medicina que menos oferta vagas no Brasil. A média é de 80 vagas no país”, destacou.
A professora Sônia Elizabeth Lopes Carrillo, diretora do departamento de Medicina, falou sobre a questão social que envolve o aumento do número de vagas. “A ampliação das vagas não é nada mais que uma consequência natural. Como temos vagas para alunos de escolas públicas, estamos vendo transformações de vidas. Estamos vendo alunos de pais analfabetos chegando ao curso”.
Outro aspecto social mostrado pela professora foi o atendimento à população. “Vamos ter a possibilidade de aumentar a oferta à população que precisa do SUS uma medicina de ponta com nossos ambulatórios”. O curso atualmente tem 160 alunos e o corpo docente tem 62 efetivos e 34 substitutos.
O reitor Pedro Fernandes (foto acima) destacou a importância do ampliação do número de vagas para a formação de médicos. “Eu me sinto muito privilegiado em participar de uma discussão como essa. O curso de medicina tem uma responsabilidade muito grande. A gente conversou com o Ministério da Saúde e da educação. É um esforço do Brasil para que o país tenha mais médicos”, acrescentou.
Novidades - O Consepe também aprovou alteração no horário de realização de provas. O PSV que vai ser realizado nos dias 02 e 03 de fevereiro, será aplicado na parte da tarde: das 13h30 às 17h30.
Uma outra novidade é que a UERN reservará, já a partir do próximo PSV, 5% das vagas para pessoas com deficiência, cumprindo lei recentemente aprovada pela Assembleia Legislativa. Isso representa 130 vagas.
A UERN ofertará 2.180 vagas no Processo Seletivo Vocacionado 2014. O edital do concurso deve ser publicado na próxima semana.
AGECOM/UERN

Deputados são contra o impeachment da governadora do RN

Os deputados Kelps Lima (Solidariedade), Raimundo Fernandes e Vivaldo Costa (PROS) , pronunciaram-se contrários a um  pedido de impeachment para a governadora Rosalba Ciarlini solicitado pelo Sindsaúde, mas ainda não protocolado na Assembleia Legislativa. “Esse é um assunto que deve ser tratado com muito cuidado, já que um pedido de impeachment só deve ser admitido quando tem embasamento jurídico”, disse o deputado do Solidariedade.

De acordo com Kelps Lima, “o governo tem tido resultados muito ruins administrativamente, mas isso não justifica e poderá abrir precedentes perigosos para a democracia e amanhã um governante que queira fazer mudanças estruturais no Estado que contrarie interesses poderá ser vítima de alguma ação golpista”, disse ele, cujo raciocínio é compartilhado com Vivaldo Costa. “Essa história de impeachment é um aburdo. Não se faz isso com uma rosa”, brincou o chamado “papa jerimum” do Seridó.

Outro que se mostra contra um pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini é Raimundo Fernandes, do PROS. Liderado do presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta o deputado oestano diz que não vê motivos concretos para pedido de impeachment, assunto que ele considera complexo e polêmico. “No meu entendimento, não existem razões supervenientes que justifiquem um ato considerado extremo”, ressalta Raimundo Fernandes, acrescentando que qualquer decisão que venha a adotar, primeiramente ouve o seu partido, o PROS, presidido no Estado pelo deputado Ricardo Motta.

Um dos poucos defensores do pedido de impeachment da governadora, o deputado Nelter Queiroz entende que existem motivos para pedir o impedimento da atual gestão governamental. “Acredito ser viável diante da falta de gestão e precariedade nos serviços públicos como saúde e segurança pública. “Se a matéria chegar à Assembleia Legislativa vamos examinar”, disse Nelter Queiroz, que é um dos deputados mais críticos da atual administração estadual.

Marajás perdem mais uma: Ministro Marco Aurélio mantém respeito ao teto salarial até decisão do Plenário do STF

min marco aurelio mello
Ministro Marco Aurélio negou a liminar

O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) “perdeu um round” na tentativa de garantir o pagamento de salários acima do teto constitucional para servidores da Câmara dos Deputados. O corte foi determinado por um ato do Tribunal de Contas da União (TCU) e o Sindilegis questionou essa decisão no STF. Nesta quarta-feira, 30, porém, o Supremo informou que o limite está mantido, pelo menos por enquanto. O ministro relator, Marco Aurélio, decidiu que a limitação continua valendo até que o caso seja apreciado pelo plenário do Supremo.
Em nota, o STF informa que o Marco Aurélio negou pedido do pedido de liminar no Mandado de Segurança do sindicato, argumentando que “a adequada interpretação da cláusula constitucional limitativa da remuneração de servidores e empregados” é matéria que “possui envergadura maior” e deve ser analisada pelo Plenário do Supremo. Ou seja, por ora o teto constitucional deve ser respeitado no pagamento dos supersalários da Câmara.
Diante do atual cenário, o ministro avaliou que não cabe “implementar ato precário e efêmero, antecipando-se à visão do colegiado, não bastasse o envolvimento de valores a serem apreciados”. Para Marco Aurélio “tudo recomenda que, emprestada celeridade à tramitação do processo, aguarde-se o julgamento definitivo” do mandado de segurança.
Segundo Marco Aurélio, cumpre ao Supremo “definir a amplitude da incidência do teto constitucional no tocante às verbas citadas pelo Sindilegis como legalmente devidas”. O Sindilegis argumenta que as verbas oriundas de funções comissionadas, referentes ao pagamento por trabalhos extraordinários e também as incorporadas aos vencimentos dos servidores antes da Emenda Constitucional 41/2003 são devidas, “sob pena de enriquecimento ilícito do Estado e prestação de serviço sem a correspondente remuneração”.
No dia 15 de outubro, a Mesa Diretora da Câmara anunciou o corte nos salários de 1.371 funcionários, entre ativos e aposentados, que recebiam mais de R$ 28.059,29, valor do teto constitucional. O anúncio acata determinação TCU, com efeitos sobre a folha de pagamento de outubro. Com o fim dos supersalários, calcula-se uma economia acima de R$ 70 milhões por ano.
O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), já afirmou que na Casa não haverá devolução de recursos dos servidores atingidos pela medida. “Aqui não houve essa recomendação do TCU”, disse. Não há previsão, portanto, de ressarcir valores pagos acima do teto constitucional antes da decisão pela limitação. Na metade do mês, quando foi confirmado o corte, Alves alertou que a medida deveria provocar ações judiciais.

Fonte: Cláudio Humberto

STF autoriza investigação sobre suspeita de propina a deputados

O Supremo Tribunal Federal abriu inquérito para apurar o envolvimento de deputados federais na Operação Fratelli, deflagrada em abril deste ano e que trouxe à tona esquema de fraudes em licitações públicas conhecido como "máfia do asfalto".
Segundo os promotores, há indícios de pagamentos de propina aos parlamentares.
O procedimento foi instaurado a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).
Ontem, reportagem de "O Estado de S. Paulo" mostrou uma planilha que indicava o pagamento de R$ 3 milhões a pelo menos dez políticos.
A Folha teve acesso a outra planilha, encontrada na casa de Olívio Scamatti, que também aponta pagamento de propina. Scamatti é tido pelo Ministério Público como chefe do esquema.
Na planilha há nomes de deputados estaduais e federais citados em outros momentos da investigação realizada pelos Ministério Público Federal e Estadual, além da Polícia Federal.
A soma dos valores listados na planilha chega a R$ 12,1 milhões, sendo que R$ 1,61 milhão seria destinado a políticos.
Aparecem na lista obtida pela Folha e na planilha divulgada ontem pelo "Estado" menções aos deputados federais Arlindo Chinaglia, Devanir Ribeiro (ambos do PT), Jefferson Campos (PSD) e Otoniel Lima (PRB).
Na lista da Folha, porém, aparece ainda o nome de Cândido Vaccarezza (PT).
Também são citados nas duas listas os deputados estaduais Carlos Cezar (PSB), Ênio Tatto e João Antônio (ambos do PT), além dos prefeitos Donisete Braga (PT), de Mauá, e Geraldo Vinholi (PSDB), de Catanduva. João Antônio é também secretário do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).
Ouvidos pela Folha, eles negaram envolvimento com as supostas irregularidades. 

Fonte: Folha de SP

30 outubro 2013

Mérito do processo de cassação contra prefeita de Mossoró será julgado dia 7 de novembro

Sessão tensa no Tribunal Regional Eleitoral do RN nesta terça-feira.
Na pauta dos debates, o mandato da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina.
O juiz federal Eduardo Guimarães tentou reformar a decisão do desembargador Virgílio Macedo, que no período em que substituiu o desembargador João Batista Rebouças, decidiu pelo retorno de Cláudia à Prefeitura.
Lembrando que ela foi afastada por decisão da juíza Ana Clarisse Arruda.
*
Na defesa de sua tese, Guimarães foi duro com a prefeita…
No final, os juízes Carlo Virgílio, Nilson Cavalcanti e Verlano Medeiros votaram pela manutenção da decisão de Virgílio Macedo.
Ou seja: pela permanência da prefeita no cargo, via cautelar, e não via mérito da questão.
Nos bastidores…o clima foi ainda mais tenso.
*
Relator do mérito da ação de cassação da prefeita Cláudia Regina, o juiz Eduardo Guimarães levará seu voto a Plenário no dia 7 de novembro.
Avaliando o que ele disse hoje em relação ao caso, a sessão é transimitida ao vivo pela internet, o juiz federal deverá entrar cassando o mandato da prefeita e do vice-prefeito de Mossoró.
Caso o voto do relator seja seguido pela maioria do Pleno, Mossoró terá nova eleição.

Fonte: Thaísa Galvão

DESTE BLOG: ENQUANTO OS JUÍZES DE MOSSORÓ CASSARAM A PREFEITA EM SETE PROCESSOS, O JUIZ DE UMARIZAL-RN ESTÁ COM O PROCESSO DE CASSAÇÃO DO PREFEITO DE OLHO D'ÁGUA DO BORGES BRENNO QUEIROGA, DESDE O INÍCIO DE 2013. MESMO ASSIM,  NÃO HÁ DATA PARA JULGAMENTO.

Saiu o resultado do concurso da Assembleia Legislativa do RN. Confira relação dos aprovados

O Diário Oficial do Estado desta terça-feira (29), traz a relação dos candidatos aprovados no concurso da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.
Os recursos referentes aos resultados das provas deverão ser interpostos no prazo de dois dias úteis subsequentes à publicação do resultado, exclusivamente por meio do site da Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br), de acordo com as instruções constantes na página do Concurso Público.
A vista da Folha de Repostas da Prova Objetiva e da Prova Discursiva – Redação e Estudo de Caso – estarão disponíveis no site da FCC a partir da publicação do resultado até o término do prazo para interposição dos recursos
Clique AQUI e veja a RELAÇÃO DOS APROVADOS no concurso da ALRN.

Fonte: Tribuna do Norte

Tem gente que bota para baixo um trabalho sério, diz governadora do RN

A governadora Rosalba Ciarlini fez um desabafo, ao criticar os que, segundo ela, torcem contra o Rio Grande do Norte e apostam no descrédito do Estado. Durante pronunciamento na apresentação do programa RN Sustentável, Rosalba Ciarlini lamentou que precise enfrentar resistências na execução de projetos de interesse público. A governadora, ao ser questionada a quem direcionou essas acusações, disse que se depara frequentemente “com gente que tenta botar para baixo um trabalho honesto e sério”. 
Rosalba Ciarlini: Não entendem como é que a gente está fazendo e as dificuldades que estamos enfrentandoRosalba Ciarlini: Não entendem como é que a gente está fazendo e as dificuldades que estamos enfrentando

Rosalba Ciarlini se mostrou emocionada na entrevista coletiva. Com voz embargada, lamentou que tanto esforço para melhorar as condições de desenvolvimento do Estado não seja reconhecido. Ela pediu também mais divulgação para o que o RN tem de positivo. “Só saem notícias negativas. Quantas notícias saíram daqui para denegrir a Copa? Quantas positivas saíram depois que [a Arena] está para concluir? Se a gente não amar e não defender o que é nosso quem é que vai fazer, de fora vem fazer? Vem não”, destacou.

Antes, a governadora tinha declarado, ao discursar no auditório da Escola de Governo, que algumas obras em andamento, como a construção do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, só foram assegurados, porque houve a mobilização que garantiu Natal como uma das sedes da Copa de 2014. Veja os principais trechos da entrevista concedida pela governadora, momentos após o lançamento do RN Sustentável:

A senhora fez um desabafo no final do evento do RN Sustentável. Para quem foi: para a oposição, para os aliados que deixaram o Governo recentemente...

É difícil a gente querer fazer alguma coisa séria e honesta neste Estado e só ter gente para botar para baixo. Não entendem como é que a gente está fazendo e as dificuldades que estamos enfrentando. [É como se dissessem:] “Nós vamos criar mais dificuldades”. Eu sinto isso no dia a dia. As notícias positivas neste Estado não saem, só saem as negativas. Quantas notícias saíram daqui para denegrir a Copa? Quantas positivas saíram depois que [a Arena] está para concluir? Se a gente não amar e não defender o que é nosso, quem é que vai? De fora, quem vai? Vem não...

E a senhora vê esse Programa RN Sustentável como um marco que vai ajudar o Governo do Estado a sair da crise?

Eu acho que é um ponto importante. Claro que não é uma varinha de condão que no outro dia vai estar tudo acontecendo. Não é assim. Esse projeto vai realmente dar condições de sustentabilidade, com muitos critérios, seriedade, vendo o investimento e o resultado. Não vai ser chegar procurar um bocado de associações e entregar um bocado de equipamentos sem que aquilo seja acompanhado para que realmente dê um resultado. Não é assim. Vai ser trabalhado com sustentabilidade.

Qual a previsão de resultados?

É um projeto de curto, médio e longo prazos. Muita coisa vai poder ser feita na fase inicial, já outros vão demorar porque vão depender da capacitação. Mas o importante é que vamos trazer esse legado para o Rio Grande do Norte.

Prefeitos vão fechar as prefeituras por um dia para chamar a atenção para o problema dos municípios. Como a senhora
vê isso?

É um desespero. Eu escuto os prefeitos e as dificuldades que eu estou passando pelas quedas de FPE [Fundo de Participação dos Estados] são as mesmas que eles passam com a queda do FPM [Fundo de Participação dos Municípios]. Quando a gente chega em um mês como esse e vem a informação que vai cair mais de R$ 50 milhões é difícil. Eu tenho andado pelo interior e ouço que muitas Prefeituras estão sem conseguir pagar a folha, com três, quatro meses atrasando. Os prefeitos têm dito que o que tem salvado os municípios é o ICMS, que mesmo com a seca a gente tem conseguido segurar embora não tenha sido suficiente para superar as quedas com as outras receitas. Mas estamos lutando para superar, temos que procurar alguma forma, só não podemos ficar parados.

A senhora concorda com os prefeitos?

Não, não estou falando. Eu estou dizendo de uma maneira. Vocês, jornalistas, têm uma responsabilidade grande com o Estado. Mas só acho que acima de outro interesse tem que ter o Estado. E ninguém deve denegrir ações seja de quem for.

Por isso a senhora elogiou  a presidenta Dilma Rousseff?

Eu sou justa. Ela não criou dificuldades para o Estado.
 
Fonte: Tribuna do Norte

MEC divulga gabarito oficial do Enem


Provas foram aplicadas nos dias 26 e 27 em 1.661 municípios brasileiros.
Resultado deve sair na primeira semana de janeiro, segundo

Cadernos de prova dos dois dias de Enem (Foto: G1)Cadernos de prova do Enem 2013 (Foto: G1)
O Ministério da Educação divulgou o gabarito oficial da edição de 2013 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas foram realizadas no sábado (26) e domingo (27). Os documentos referentes a cada cor de prova estão disponíveis para download no site do Enem.

O resultado individual das provas, que inclui a correção e nota da redação, deve ser divulgado na primeira semana de janeiro de 2014.
Os participantes podem acessar os resultados individuais mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha no site do Enem.
Os candidatos que fizeram as prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e por alguma razão esqueceram de marcar no cartão-resposta a cor do caderno de provas que recebeu ou a frase que continha em destaque (uma coisa ou a outra) terá a prova corrigida, segundo informou a assessoria de imprensa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), autarquia do Ministério da Educação responsável pela organização do Enem.

Segundo o edital, a capa do caderno de questões possui informações sobre a cor do mesmo e uma frase em destaque. Cabe obrigatoriamente ao candidato marcar nos cartões-resposta a opção correspondente à cor da capa do caderno de questões. Ele também deve transcrever nos cartões-resposta a frase apresentada na capa de seu caderno de questões.
O Inep afirma que, se o candidato transcreveu uma das duas opções (a cor ou a frase da prova), é possível identificar qual cor de prova o candidato realizou, uma vez que para cada cor de prova existe uma frase específica. No caso da prova rosa de domingo, por exemplo, a frase que identifica a cor da prova é "De tudo fica um pouco".
Provas de 2013
As 90 questões de ciências humanas e de ciências da natureza aplicadas no sábado trouxeram perguntas que abordavam globalização, a demarcação de terras indígenas, o governo de Juscelino Kubitschek, circuitos elétricos, química orgânica e a transmissão da rubéola. Entre os elementos de cultura pop que apareceram nas questões estava a canção "Disneylândia", do grupo Titãs. Em ciências humanas, os alunos se depararam com diversas charges e cartuns, alguns deles históricos, como um da década de 1930 que falava sobre o voto feminino no Brasil, e outro que ilustrava a época do governo de Juscelino Kubitschek, marcada pelo desenvolvimentismo, mas também pela desigualdade social.
Já em ciências da natureza, a prova do Enem trouxe questões clássicas principalmente em física e química, com problemas que pediam conhecimentos como amperagem e voltagem, e outros exigindo o cálculo de massa, mol, além de outras questões de química orgânica. Em outra questão de física, os candidatos tiveram que identificar os diferentes gráficos que representavam adequadamente os movimentos de velocidade nas diversas fases da queda de um paraquedista.
A questão mais comentada, porém, foi uma de história do Brasil que, no texto de uma charge, trouxe a palavra "gasolina" escrita com "z". O MEC explicou que a grafia errada tem um contexto histórico e irônico, mas a pergunta acabou virando piada no Twitter.
No domingo, a prova de linguagens e códigos trouxe um texto em inglês sobre Steve Jobs, o fundador da empresa de tecnologia Apple, e o candidato tinha de responder qual sua contribuição para a tecnologia. Em português, uma das questões trouxe um trecho da música "Até Quando" do cantor Gabriel o Pensador. Também uma das questões citava os protestos no Egito e a relação deles com a internet. Em matemática houve a predominância de cálculo de área de todos os objetos, cálculo de tangente, perguntas sobre lucro e porcentagem, com exemplos que traziam o aluno para situações da vida real, como calcular o melhor custo/benefício ou saber qual empresa deu mais retorno em menos tempo. Conhecimentos mais específicos sobre logaritmo foram requisitados. A maioria das questões pedia que o aluno soubesse lidar com conversão de unidades, de minutos para segundos, de centímetros para metros, entre outras.
As provas foram consideradas puxadas por estudantes e professores. Segundo eles, nesta edição, o Enem ficou "com jeito de vestibular".
A divulgação do gabarito oficial do Enem 2013, porém, não pode ser usada como base para o cálculo da nota final dos candidatos. Isso acontece porque a metodologia usada pelo exame leva em consideração outros fatores, e não só o número de questões certas. A Teoria de Resposta ao Item (TRI) usa um conjunto de cálculos e probabilidades baseados no tipo de pergunta que o candidato acerta e no desempenho dos demais estudantes. Entenda como é feito esse cálculo
Uma das imagens usadas para motivar a redação dos candidatos (Foto: Reprodução)Uma das imagens usadas para motivar a redação
dos candidatos (Foto: Reprodução)
Redação

A prova de redação do Enem neste ano teve como tema "Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil". O assunto foi considerado por professores como atual, pertinente e adequado ao formato de redação do exame. Quatro informações serviram como base para a redação, duas imagens e dois textos. Uma das imagens ilustrava uma campanha do governo federal defendendo que as pessoas não dirijam após beber, e a outra trouxe um infográficos com dados de uma pesquisa sobre os efeitos da campanha na percepção da população. Já os dois textos eram informativos e traziam dados sobre acidentes de trânsito e iniciativas de adaptação dos bares à nova legislação, que entrou em vigor em 2008 e, em 2012, se tornou ainda mais rígida.
As regras da correção da redação também se tornaram ficaram mais duras neste ano. Inserção de trechos indevidos, como receitas de macarrão e hinos de times de futebol, que fogem ao tema, poderão resultar em nota zero para o candidato. A alteração, inclusive, está explícita no edital da prova, ao contrário das edições anteriores.
Além disso, o limite para a discrepância entre as duas notas dos corretores foi reduzido. Neste ano, todas as redações do Enem serão corrigidas por pelo menos duas pessoas. Todas as vezes que as duas notas tiverem uma diferença de mais de 100 pontos, um terceiro avaliador corrigirá a prova para que se chegue à nota final. No ano passado, essa tolerância era de 200 pontos. Se a nota em um das cinco competências (que vai de 0 a 200) tiver discrepância de 80 pontos, a redação também irá para o tercerio corretor.
Por causa da mudança, a estimativa do governo é de um aumento no número de redações que passem pela terceira correção. Em 2012, 21% das provas estiveram nessa situação. Agora, ele afirma que essa porcentagem chegue a um terço. Para garantir uma correção mais rigorosa, houve um aumento no número de corretores de 5.692 para uma quantidade prevista de 8.400 segundo o Inep. O número de supervisores também subiu, de 234 para 280, e 35 coordenadores deverão liderar o processo de avaliação.
Após a fase de correção, as redações estarão disponíveis para visualização na página do Inep na internet, mas segundo o edital, seu uso será apenas para fins pedagógicos. Os estudantes terão acesso com a senha pessoal gerada no momento em que fizeram a inscrição para o exame. Ainda não há data para essa divulgação.

Fonte: Globo.com

Translate